Resistência com regras comuns em Le Mans e EUA

O mesmo carro poderá correr em provas míticas como Le Mans (França), Daytona ou Sebring (EUA), ao contrário do que acontecia até agora.

(auto.look2010@gmail.com)

Os organizadores das principais corridas mundiais de resistência automóvel anunciaram hoje um acordo para a uniformização de regulamentos, que permitirá aos carros europeus correr nos campeonatos americanos e aos americanos nas 24 Horas de Le Mans.

O objectivo é que, a partir de Setembro de 2021 no FIA WEC (Campeonato do Mundo de Resistência) e de Janeiro de 2022 no campeonato WeatherTech SportsCar Series (campeonato americano IMSA), os fabricantes possam entrar na nova categoria rainha e

competir nos dois principais campeonatos em corridas de resistência com este novo modelo de carro numa categoria que passa a ser denominada LMDh.

Ou seja, o mesmo carro poderá correr em provas míticas como Le Mans (França), Daytona ou Sebring (EUA), ao contrário do que acontecia até agora. As duas organizações (Automobile Club de l’Ouest e IMSA) foram inspiradas por elementos de cada um dos seus respectivos regulamentos, os Hypercarros de Le Mans, do ACO, e os DPi 2.0 do IMSA.

A nova categoria terá um modelo baseado num novo chassis comum, com elementos do chassis dos Le Mans Hypercars e LMP2, e construído pelos quatro fabricantes actuais de LMP2: Dallara, Ligier, Multimatic e Oreca.

Este novo chassis também será usado para a nova geração LMP2. O carro usará um sistema KERS (recuperação de energia) híbrido comum, no eixo traseiro. Só serão revelados mais detalhes técnicos do carro em Março, em Sebring, numa apresentação dos departamentos técnicos do ACO e IMSA.

Partilhe

Deixe um comentário

avatar
  Inscrever  
Notificação