Renault: 21 anos consecutivos de liderança

Grupo Renault obteve o melhor resultado, em Portugal, desde 1989

(auto.look2010@gmail.com)

Um ano histórico para a Renault, em 2018. Pelo 21.º ano consecutivo, liderança da tabela de vendas de veículos de passageiros e de comerciais ligeiros, neste caso, com uma quota recorde de 21,4%. Já o Clio, pelo sexto ano consecutivo, foi o modelo preferido dos portugueses. Mas no balanço de 2018 destaque, igualmente, para a Dacia, que ascendeu ao 13º lugar das marcas mais vendidas em Portugal.

Para a marca Renault o ano de 2019 marcará o início da renovação do ciclo de modelos. Um ciclo que se iniciou no final de 2012 com a comercialização da 4ª geração do Clio e que colocou a gama Renault como uma das mais atraentes e competitivas do mercado.

UM ANO EM REVISTA

Com 267.600 unidades vendidas, o mercado automóvel português registou, em 2018, um crescimento de 2,7% em relação a 2017. A marca Renault assegurou, em 2018, o 21.º ano consecutivo de liderança, com 39.616 unidades vendidas (incluindo passageiros e comerciais ligeiros), a que correspondeu uma quota de mercado de 14,8% – o melhor resultado dos últimos 15 anos.

A título de curiosidade, sublinhe-se que a Renault vendeu mais do dobro da terceira marca do mercado e só a Rede de Concessionários comercializou mais unidades do que as vendas totais (VP + VCL) da segunda marca mais vendida em Portugal.

A Renault liderou de forma confortável no mercado de Veículos de Passageiros, com 13,7% de quota de mercado (31.215 automóveis vendidos) e nos Comerciais Ligeiros (8.401 unidades vendidas) com uma quota histórica de 21,4%.

Mas também para o Grupo Renault foi um ano extraordinário, uma vez que as 46.479 unidades vendidas das marcas Renault e Dacia (VP + VCL), bem como Alpine, corresponderam a uma quota de mercado de 17,4%. O valor mais alto registado desde 1989 (o segundo ano de mercado aberto, depois de vários anos de contingentação). Mas também o volume de vendas foi o mais alto desde 2000.

VEÍCULOS DE PASSAGEIROS: 6 ANOS DE LIDERANÇA CLIO

Em 2018, a Renault incrementou a liderança, com uma quota de mercado de 13,7%, mais 0,1% do que em 2017. Pelo sexto ano consecutivo, o Clio foi o modelo líder de vendas em Portugal, com um total de 13.592 unidades vendidas. E desde que, em 2013, foi lançada a quarta geração, foi sempre o automóvel preferido dos portugueses.

Mas, em 2018, o Clio não foi o único Renault posicionado no topo da tabela de vendas. Com 6.189 unidades vendidas o Captur confirmou o seu extraordinário sucesso comercial e foi o quarto modelo mais vendido em Portugal em 2018. O Renault Mégane, um “cliente” habitual do top 5 dos modelos mais vendidos (apenas por uma vez nos últimos 16 anos não ocupou uma das 5 primeiras posições no mercado) foi o quinto modelo mais vendido no mercado Português com um total de 5.795 unidades.

A forte presença da Renault – com uma das mais completas, jovens, modernas e tecnológicas gamas do mercado – a par da adequação da gama às expectativas e necessidades do cliente português, quer em termos de equipamentos, quer na relação produto/qualidade/preço, foram pilares do sucesso da marca no mercado.

COMERCIAIS LIGEIROS: UM ANO HISTÓRICO DE LIDERANÇA

O mercado de Veículos Comerciais Ligeiros é absolutamente estratégico para a presença comercial da Renault em Portugal. Em 2018 a quota de mercado da Renault no mercado VCL cresceu 1,5 pontos e às 8.401 unidades vendidas correspondeu a melhor quota de toda a história da presença da Renault em Portugal: 21,4%. Mais de um em cada cinco Comerciais Ligeiros vendidos em Portugal ostenta a marca Renault.

Todos os modelos da gama de Comerciais Ligeiros da Renault obtiveram nos seus segmentos quotas de mercado superiores a 20%. O Clio Société foi o líder do segmento nos derivados de passageiros, enquanto os furgões Trafic e o Master foram os líderes nos segmentos respectivos.

2018: ANO HISTÓRICO NO MERCADO DOS 100% ELÉCTRICOS

Em 2018, os automóveis 100% eléctricos foram a opção natural de um cada vez maior número de portugueses. Com um total de 4.330 unidades o mercado de automóveis 100% eléctricos representou 1,6% do total de automóveis ligeiros (passageiros + comerciais) vendidos em Portugal.

As 1.488 unidades vendidas pela marca Renault da sua gama Z.E., significaram um crescimento das vendas de 73% e uma quota de mercado de 34,4% que confirma o estatuto da Renault como uma das marcas referenciais e pioneiras na mobilidade eléctrica. O Renault ZOE e o Kangoo Z.E. ocuparam, respectivamente, o 2º e o 5º lugar entre os automóveis eléctricos mais vendidos em Portugal. As 1.305 unidades vendidas do Renault ZOEelevam-no ao estatuto de 4.º modelo mais vendido dentro de toda a gama de automóveis de passageiros da marca Renault.

DACIA: O SEGUNDO MELHOR RESULTADO DE SEMPRE

Apesar de alguns constrangimentos de produção, a Dacia teve, em 2018, mais um ano de afirmação no mercado nacional. Com 6.849 unidades vendidas, (6.508 automóveis de passageiros e 341 comerciais ligeiros), a Dacia igualou a quota de mercado recorde alcançada em 2017 de 2,6%. Números que permitiram ascender à 13.ª posição das marcas mais vendidas em Portugal.

O posicionamento da Dacia é claramente vocacionado para o mercado de clientes particulares. Neste mercado a quota de mercado da Dacia ronda os 6% (informações disponíveis através das transferências de propriedade) o que a coloca num dos 5 primeiros lugares do mercado Português na venda a clientes privados.

Sustentada por uma gama fiável, um posicionamento de preço sem concorrência, bem como a “generosidade” da marca que claramente oferece muito por um valor reduzido, a Dacia reúne todas as condições para continuar a ser um caso de sucesso.

AMBIÇÕES DO GRUPO RENAULT EM 2019: LÍDER EM TODAS AS FRENTES

Para 2019, a marca Renault pretende manter a representatividade no país, num mercado que se estima que voltará a valer cerca de 270.000 unidades, entre veículos de passageiros e veículos comerciais ligeiros. Para a Dacia, as ambições para o presente ano passam por um efectivo crescimento das vendas e da quota de mercado.

Como Fabrice Crevola, administrador-delegado da Renault Portugal, «2018 foi mais um histórico para a marca, em Portugal». «Não só porque atingimos os 21 anos consecutivos de liderança, mas porque o fizemos obtendo a melhor performance do Grupo dos últimos 30 anos. A Renault liderou nos automóveis de passageiros e nos comerciais ligeiros, onde conquistou a melhor quota de mercado da história. Um resultado que premeia o profissionalismo de todos aqueles que trabalham para o Grupo Renault, nas suas empresas, mas também na Rede de Concessionários».

Mas para além dos números conseguidos em 2018, Fabrice Crevola destaca a extraordinária performance comercial da Renault nas últimas duas décadas.

«Num mercado aberto e competitivo como é o mercado Português, conseguir 21 anos consecutivos de liderança constitui motivo de orgulho. É fruto de um imenso trabalho feito ao longo de muitos anos, mas, igualmente, do reconhecimento dos Portugueses pelas marcas do Grupo e, em particular, pela Renault, com uma das mais atractivas e sedutoras gamas do mercado. Mas estes resultados também se justificam pela nossa capacidade de adaptar a nossa oferta de produtos e de serviços às necessidades e exigências dos Portugueses e, claro, da forte e profissional presença que a Renault tem em todo o país, através da sua Rede de Concessionários», sustentou o responsável.

Em relação a 2019, o administrador-delegado da Renault Portugal admite que «será mais um ano difícil, mas pródigo em novidades no que à Renault diz respeito». «Estamos a iniciar um novo ciclo de renovação da gama, pelo que vai ser um ano marcado por muitos lançamentos e, por isso mesmo, de ainda mais dinâmica na Rede de Concessionários. Ou seja, vamos contar com novos argumentos de produto que nos permitem, pelo menos, manter a representatividade em Portugal».

No que diz respeito à Dacia, Fabrice Crevola admite que «temos a ambição de crescer em volume e em quota de mercado. Em 2018 a marca ascendeu à 13.ª posição, mas o resultado até podia ter sido mais positivo, se não tivesse havido alguns constrangimentos de produção».

PLANO DE LANÇAMENTOS 2019

São muitas as novidades que a Renault prevê lançar em 2019. O mês de Janeiro é marcado pela chegada ao mercado do novo Renault Kadjar, assim como da entrada na gama Mégane do novíssimo motor a gasolina 1.3 TCe, desenvolvido em parceria com a Daimler. Mas no que toca a motorizações, até ao final do primeiro quadrimestre, também os novíssimos motores a diesel, Blue 1.7 dCi e Blue 2.0 dCi vão chegar à gama Renault, nomeadamente aos modelos topo de gama.

Ainda no primeiro trimestre de 2019 está previsto o lançamento do Renault Scénic e do Mégane Trophy, enquanto para o segundo trimestre está prevista a comercialização da nova fase do Renault Twingo. O final do primeiro semestre será marcado pelo lançamento mais aguardado do ano: a quinta geração do Renault Clio. Já no final do verão chega ao mercado nacional as novas fases dos modelos Renault Koleos e Espace. Também no final do primeiro semestre serão comercializadas as novas fases dos modelos Trafic e Master, dois pilares absolutos da gama de Comerciais Ligeiros. Em relação à Dacia, a novidade passa pela chegada à gama Duster do novo motor a gasolina 1.3 TCe.

Referência final para a Alpine, a grande novidade do mercado de 2018. Depois das entregas dos primeiros A110 Première Edition, já estão a chegar, a Portugal, as primeiras unidades das versões Pure e Légende.

Partilhe

Deixe um comentário

avatar
  Inscrever  
Notificação