Regresso do WRC à Grécia ao fim de oito anos

Oito anos depois, o Campeonato do Mundo de Ralis (WRC) está de volta às duras estradas de terra da Grécia, onde as decisões costumam acontecer nos quilómetros finais beneficiando aqueles que foram mais eficazes a gerir as “armadilhas” do traçado.

PEDRO RORIZ (auto.look2010@gmail.com)

Vencedor, em 2013, da última prova grega pontuável para o “Mundial”, o finlandês Jari-Matti Latvala está de volta à Acropole, agora como director desportivo da Toyota, que comanda o Campeonato do Mundo de Marcas.

Vencedor de quatro das oito provas efectuadas, o francês Sébastien Ogier (Toyota Yaris WRC) chega à Grécia com 38 pontos de vantagem sobre o seu colega de equipa, o inglês Elfyn Evans (Toyota Yaris WRC) e o belga Thierry Neuville (Hyundai i20 Coupé WRC), moralizado pela vitória caseira, na Bélgica, palco da prova anterior.

Penalizado por abrir a estrada no primeiro dia, numa das provas em que isso é mais penalizador, o francês sabe que uma boa gestão pode permitir-lhe terminar o rali num bom lugar e tirar partido dos “estragos” que a dureza do percurso não deixará de fazer.

O estónio Ott Tanak (Hyundai i20 Coupé WRC), o finlandês Kalle Rovampera (Toyota Yaris WRC) e o espanhol Dani Sordo (Hyundai i20 Coupé WRC), que beneficia do facto de ser o oitavo na estrada no primeiro dia, estarão na luta pela vitória.

Entre os RC2, os três primeiros, os noruegueses Andreas Mikkelsen (Skoda Fabia Rally2 Evo) e Mads Ostberg (Citroen C3 Rally2) e o boliviano Marco Bulacia Wilkinson (Skoda Fabia Rally2 Evo), estão separados por 16 pontos e o duelo entre eles poderá ser tão interessante como o da luta pela vitória, ficando por saber qual deles resiste melhor à dureza do percurso.

Entretanto encurtado em consequência da anulação das provas marcadas para Inglaterra e Chile, o WRC viu desaparecer mais uma prova, o Rali do Japão, pro causa do covid-19, o que reduz a competição a 11 ralis, em lugar dos 14 que estavam previstos, voltando a ser falada a possibilidade do Rali de Monza voltar a ser uma realidade, embora com mais estrada e menos circuito.

Um caso a seguir com atenção, porque quanto menos provas houver mais perto Sébastien Ogier está de revalidar o título.

Em termos de estrada, a prova grega arrancou na quinta-feira à tarde com uma Super Especial com menos de um quilómetro (0,98 km), que serviu para apresentação das equipas presentes, para esta sexta-feira os concorrentes terem de enfrentar cinco especiais, uma delas feita por duas vezes.

No sábado mais seis provas de classificação, duas delas repetidas, por sinal as mais extensas, para no domingo a prova terminar com mais duas provas de classificação, uma delas feita por duas vezes, com a segunda passagem a funcionar como “Power Stage”.

Classificações dos “Mundiais”

PILOTOS – 1.º, Sébastien Ogier, 162 pontos; 2.º, Elfyn Evans, 124; 3.º Thierry Neuville, 124; 4.º, Kalle Rovampera, 99; 5.º Ott Tanak, 87; 6.º, Takamoto Katsuta, 66; 7.º, Craig Breen, 60; 8.º, Gus Greensmith, 34; 9.º, Dani Sordo, 31; 10.º, Adrien Fourmaux, 30; 11.º, Teemu Suninen, 17; 12.º, Mads Ostberg, 13; 13.º, Yohan Rossel, 12; 14.º. Jari Huttunen, 10; 15.º, Andreas Mikkelsen, 8; 16.º, Esapekka Lappi, 7; 17.º,  Oliver Solberg, Onkar Rai, Pierre-Louis Loubet, 6; 20.º, “Pepe” Lopez, Karan Patel, Alexey Lukyanuk, Pieter Jan Michiel Cracco, 4; 24.º, Jan Solans, Carl Tundo, Fabian Kreim, 2; 27.º, Eric Camilli, Nikolay  Gryazin, Marco Bulacia Wilkinson, Vincent Verschureren, 1

NAVEGADORES – 1.º, Julien Ingrassia, 162 pontos; 2.º, Scott Martin, 124; 3.º Martijn Wydaeghe, 124; 4.º, Jonne Halttunen, 99; 5.º, Martin Jarveoja, 87; 6.º, Daniel Barritt, 66; 7.º, Paul Nagle, 60; 8.º, Renaud Jamoul, 30; 9.º, Chris Patterson, 28 ; 10.º, Borja Rozada, 20; 11.º, Mikko Markkula, 17; 12.º, Torstein Eriksen, 13 ; 13.º, Alexandre Coria, 12; 14.º, Carlos Del Barrio, 11; 15.º, Mikko Lukka, 10; 16.º, Ola Floene, 8; 17.º, Janne Ferm, 7; 18.º, Sebastian Marshall, Drew Sturrock, Florian Haut-Labourdette, Elliott Edmonson, 6; 22.º, Diego Valejo, Tauseef Khan, Yaroslav Fedorov Jasper Vermeulen, 4; 26.º, Rodrigo Sanjuan, Tim Jessop, Frank Christian, 2; 29.º, François-Xavier Buresi, Konstantin Aleksandrov, Marcelo Der Ohannesian, Filip Cuvelier, 1

MARCAS – 1.º, Toyota Gazoo Racing WRT, 348 pontos; 2.º, Hyundai Shell Mobis WRT, 307; 3.º, M-Sport Ford WRT, 135; 4.º, Hyundai 2C Competition, 44.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *