Regresso ao trabalho no grande “circo”…

Terminadas as férias, a Fórmula 1 está de volta à acção, com o regresso a acontecer no mítico traçado belga de Spa-Francorchamps, recente palco da “Power Stage” do Rali de Ypres, prova pontuável para o WRC.

PEDRO RORIZ (auto.look2010@gmail.com)

A vitória do francês Esteban Ocon (Alpine/Renault) na Hungria, fruto das circunstâncias em que ela decorreu, foi uma das novidades do ano, mas não é crível que em Spa algo de semelhante suceda, a menos que a chuva, sempre possível nas Ardenas marque presença.

Contudo a prova magiar permitiu a Lewis Hamilton (Mercedes) regressar ao comando do campeonato, com quatro pontos de vantagem sobre o holandês Max Verstappen (Red Bull/Honda), os únicos candidatos ao título que está na posse do inglês.

Contudo, a Red Bull sente que este pode ser o seu ano e, por isso, é de esperar um final de temporada, qualquer que ele seja, emocionante, com uma marcação cerrada dos pilotos e das equipas, como sucedeu após o incidente dos dois em Silverstone.

O inglês Lando Norris (McLaren/Mercedes), que tem feito uma excelente temporada, ocupa uma inesperada terceira posição, mas as atenções, em Spa, vão estar centradas no seu colega de equipa, Daniel Riccardo (McLaren/Mercedes).

O piloto australiano vai alinhar no seu 200.º Grande Prémio e não esconde que quer fazê-lo com a conquista de um bom resultado, importante para ajudar a equipa, criada pelo neo-zelandês Bruce McLaren, a cimentar o terceiro lugar no campeonato de construtores, ameaçado pela Ferrari, que chega ao traçado belga com três pontos de atraso.

E se o duelo pela “pole position” e a vitória envolve, em condições normais, os pilotos da Mercedes e da Red Bull, já a luta pelo lugar de “melhor dos outros” será protagonizada pelos homens da McLaren e Ferrari. O espanhol Fernando Alonso e o francês Esteban Ocon, ambos em Alpine/Renault, procuraram aproveitar as falhas dos seus adversários a exemplo do que sucedeu na Hungria.

As condições atmosféricas poderão ser determinantes, em especial se tivermos condições de aderência irregular, o que é possível ao longo dos mais de seis quilómetros de perímetro do traçado belga.

CLASSIFICAÇÕES DOS “MUNDIAIS”

PILOTOS – 1.º, Lewis Hamilton, 192 pontos; 2.º, Max Verstappen, 186; 3.º, Lando Norris, 113; 4.º, Valtteri Bottas, 108; 5.º Sérgio Perez, 104; 6.º, Charles Leclerc, 80; 7.º, Carlos Sainz, 80; 8.º, Daniel Ricciardo, 50; 9.º, Sebastian Vettel, 48; 10.º, Pierre Gasly, 48; 11.º, Esteban Ocon, 39; 11.º, Fernando Alonso, 36 ; 13.º, Lance Stroll, 18; 14.º, Yuki Tsunoda, 16; 15.º, Nicola Latifi, 4; 16.º, George Russell, 2; 17.º, Antonio Giovinazzi, 1; 18.º, Kimi Raikkonen, 1

CONSTRUTORES – 1.º, Mercedes-AMG Petronas F1 Team, 300 pontos; 2.º, Red Bull Racing Honda, 290; 3.º, McLaren F1 Team, 163; 4.º, Scuderia Ferrari Mission Winnow, 160; 5.º, Alpine Renault, 75; 6.º, Aston Martin Cognizant F1 Team, 66; 7.º, Scuderia Alpha Tauri Honda, 64; 8.º, Williams Mercedes, 6; 9.º, Alfa Romeo Racing Ferrari, 2.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *