Rally Montelongo candidato ao Europeu de Clássicos

Com o centro nevrálgico em Fafe, a prova que homenageia o piloto local, Carlos Vieira, vai para a estrada a 25 e 26 do corrente mês com um total de 13 classificativas sediadas naquele concelho minhoto.

(auto.look2010@gmail.com)

Carlos Cruz e Parcídio Summavielle

O Rally Montelongo Carlos Vieira, a realizar nos próximos dias 25 e 26, pontuável para o Campeonato de Portugal de Clássicos (CPCR), no Campeonato Start Norte de Ralis e ainda com uma prova-extra que acompanha a do CPCR, é candidato a integrar, já em 2023, o calendário do Campeonato do Europeu de Clássicos FIA (FIA European Historic Rally Championship), uma aspiração antiga tanto do Demoporto (Clube de Desportos Motorizados do Porto) como da autarquia de Fafe.

Atualmente, o Europeu tem um calendário de nove provas, entre as quais figuram nomes de referência como os ralis Costa Brava, Ilha d’Elba ou Sanremo, espalhados por países como a Espanha (2), a Itália (2), a República Checa, a Suíça, a Hungria, a Áustria e a Finlândia.

Carlos Vieira alvo de homenagem pelo Município de Fafe e Demoporto

«Desde 2020, quando este mesmo rali integrou o ERC, em plena pandemia, que ambicionávamos entrar no Europeu de Clássicos. E como foi possível constatar nesse ano, Fafe dispõe de excelentes condições, pois as classificativas de asfalto são maioritariamente as mesmas, para entrar no calendário dessa competição FIA. Há toda uma envolvência, das classificativas à paisagem, que torna esse rali, a decorrer integralmente no concelho de Fafe, apelativo para vir a fazer parte das grandes competições FIA de veículos históricos», refere Carlos Cruz, presidente do Demoporto.

Dividido por dois dias, o Rally Montelongo Carlos Vieira, que presta homenagem ao piloto local e campeão nacional de ralis em 2017, engloba um total de 13 classificativas (130,04 km) na prova do CPCR e ainda na prova-extra que admitirá veículos não clássicos.

No sábado os pilotos fazem uma dupla passagem pelas “especiais” de Vila Pouca (9,71 km), Aboim/Gontim (9,01 km) e Monte (12,05 km), para no dia seguinte completarem uma “ronde” por Montim (6,92 km), Várzea Cova (11,01 km) e Queimadela/Travassos (10,88 km), estando o final do rali previsto para as 15h10, no Parque da Feira Velha (Fafe).

A prova o Campeonato Start Norte de Ralis decorre apenas no sábado, com seis classificativas, referentes a uma dupla passagem por Vila Pouca, Aboim/Gontim e Monte.

Tudo indica que esta edição da prova candidata ao FIA European Historic Rally Championship venha a contar já com a presença de alguns pilotos espanhóis, numa espécie de pré-internacionalização.

Esta época, entre os pilotos inscritos naquele campeonato contam-se “máquinas” tão diversas como os Lancia Rally 037, Subaru Legacy, Toyota Celica GT Four, Audi Quattro A2, BMW M3, Ford Escort RS e Opel Manta 400, entre muitos outros veículos com passado e ainda hoje uma atração em qualquer evento.

«Fafe sempre quis ter uma solução alternativa de rali em piso de asfalto e o sucesso do Montelongo de há dois anos, com a ajuda de Vieira do Minho e da Póvoa de Lanhoso, foi extraordinário, integrando o calendário do ERC, depois de ter surgido a oportunidade, ainda na altura da pandemia. O que então estava previsto era, em 2022, a prova entrar no Europeu de Históricos», começou por referir Parcídio Summavielle, vice-presidente da edilidade de Fafe.

«Claro que é importante para nós ser anfitriões de um rali com carros tão emblemáticos e fabulosos como os das décadas de 70, 80 e 90, mas para isso terá que ser em pisos de asfalto e desta vez, sublinhe-se, circunscritos aos limites territoriais do nosso concelho. A Câmara de Fafe e a Demoporto delinearam um percurso que vai, com toda a certeza, ser do agrado dos concorrentes, que pela primeira vez passam no Confurco em asfalto, sendo ainda utilizada uma parte da EN 206», acrescentou o autarca.

«Os ralis históricos atraem um público diferente e será muito importante esta concentração no concelho de Fafe, que também possui capacidade para um rali de asfalto de grande dimensão e não se esgota apenas nos pisos de terra. Aliás, agradeço desde já a presença dos pilotos que vão fazer o Start Norte e apelo a todos os outros para que se inscrevam na prova extra, inclusive os do Campeonato de Portugal de Ralis, que podem aproveitar a prova para testar, agora que o campeonato entra na fase de asfalto. Cá estaremos para os receber e proporcionar-lhes um fim de semana agradável», concluiu Parcídio Summavielle.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.