Rali de Portugal sai de Coimbra e vai a Mortágua

A 54.ª edição do Vodafone Rally de Portugal, sexta ronda do Campeonato do Mundo de Ralis, versão 2020, vai para a estrada uma semana antes em relação ao ano passado, com partida junto à Porta Férrea, na Universidade de Coimbra, beneficiando, no primeiro dia, dupla passagem por Lousã, Góis e Arganil, e uma em Mortágua.

CARLOS SOUSA (carlos.sousa@autolook.pt) – Fotos: JORGE CUNHA E ALBANO LOUREIRO / AIFA E OFICIAIS

Já está delineado o Vodafone Rally de Portugal para 2020. Na estrada de 21 a 24 de Maio, a prova do Automóvel Club de Portugal (ACP) volta a marcar presença na região Centro, pelo segundo ano consecutivo. Depois do sucesso o ano passado, a partida oficial da sexta ronda do Campeonato do Mundo de Ralis (WRC) terá lugar em Coimbra.

Com a Porta Férrea a servir de pano de fundo, as viaturas percorrem alguns dos locais mais emblemáticos circundantes à porta de entrada para o pátio da Universidade, voltando a estacionar na Rua Larga, num cenário de grande beleza cénica. Quem não tiver oportunidade de se deslocar às especiais, esta é, sem margem para dúvidas, a oportunidade única de registar o momento na Alta de Coimbra, precisamente no dia 21, apreciar um bom espectáculo e ver os pilotos e viaturas de competição a poucos centímetros, com destaque para a sempre desejável sessão de autógrafos que antecede a partida simbólica.

Não está colocada de parte nova visita à Biblioteca Joanina, do século XVIII situada no Palácio das Escolas da Universidade de Coimbra, no pátio da Faculdade de Direito, apresentando um estilo marcadamente barroco, sendo uma das mais originais e espectaculares bibliotecas barrocas europeias.

LOUSÃ ABRE “HOSTILIDADES”

Depois de pernoitarem na cidade do Conhecimento, pilotos e máquinas iniciam a retirada da Rua Larga, no dia seguinte (dia 22), rumo à especial da Lousã. Será em território lousanense que a etapa portuguesa do WRC inicia a odisseia ao Centro, composta por uma classificativa apelativa. a tirada disputa-se para o lado oposto da serra, rumo a S. Lourenço, com uma descida final espectacular para Vilarinho, povoação que fica junto à Lousã. Uma típica especial, muito idêntica às existentes em Monte Carlo, efectuada entre ganchos absolutamente fenomenal.

A sublime descida até ao derradeiro centímetro de especial que abre as “hostilidades” da prova do Automóvel Club de Portugal (ACP) vai permitir um “banho” de multidão, não só porque é a especial que fica mais próximo do local de partida, mas porque reúne um extraordinário embelezamento paisagístico.

A espectacularidade da especial serve de aperitivo para as emoções a reviver nos troços de Góis e Arganil, muito semelhante ao figurino da edição do Vodafone Rally de Portugal do ano passado.

MORTÁGUA NA ALTA-RODA DO WRC

Os pilotos repetem a dose ao início da tarde, seguindo, posteriormente, em direcção a Mortágua onde os espera mais uma aprazível prova especial. Trata-se do regresso do Rally de Portugal às estradas florestais do município de Mortágua que se saúda e que os mortaguenses lutaram, de forma firme e insistentemente, para recolocar a prova mundialista nos seus magníficos pisos de terra para voltar a ver os melhores pilotos de ralis do planeta próximo de casa.

Espera-se um elevado nível de competitividade no concelho que, em mais de década e meia, tem proporcionado distintas lutas pelo triunfo no Rali de Mortágua, competição levada a cabo pelo Clube Automóvel do Centro. O pelotão ruma depois a Norte para a disputar da Super-Especial no Eurocircuito de Lousada.

O ano passado, o público não saiu defraudado da prova desenhada pelo do Automóvel Club de Portugal (ACP), bem pelo contrário. Prova disso são os números impressionantes que fizeram parte do Vodafone Rally de Portugal e lhe garante um lugar incontornável na história do Campeonato do Mundo, com milhares de pessoas a rumarem a Arganil, para muitos o “santuário” dos ralis em Portugal, Lousã e Góis. Agora reaparece Mortágua para enriquecer ainda mais a competição lusitana do Mundial.

PORTO STREET STAGE SÁBADO À TARDE NA BAIXA

Para o dia 23 de Maio (sábado), o figurino não deverá variar muito em relação à edição deste ano, iniciando-se em Vieira do Minho, seguindo para os conhecidos troços de Cabeceiras de Basto, na Serra da Cabreira, e Amarante, com início em Mondim de Basto. Ainda em termos desportivos, o dia completa-se com o pelotão do Campeonato do Mundo de Ralis (WRC) a acelerar novamente nas ruas da Baixa da Invicta, naquela que será a terceira edição da Porto Street Stage.

A prova, que nas duas primeiras edições realizou-se a uma sexta-feira, terá desta vez lugar a um sábado, prevendo-se uma enorme enchente na cidade portuense. Estreada em 2016 e reeditada em 2018, a classificativa volta assim a integrar o figurino oficial do Vodafone Rally de Portugal, encerrando a segunda e penúltima etapa da prova portuguesa pontuável para o Mundial de Ralis.

A região de Fafe volta a dominar o último dia de competição. Além da incontornável classificativa de Fafe-Lameirinha, em formato de Power Stage na segunda passagem, os troços de Montim e de Luílhas completam o programa.

A consagração dos pilotos e equipas está marcada para a Marginal de Matosinhos, junto ao mar, onde são esperados milhares de fãs do Vodafone Rally de Portugal para a festa da cerimónia de pódio.

CALENDÁRIO DO WRC PARA 2020

O calendário para o Mundial de 2020 já tinha sido revelado, em que o Vodafone Rally de Portugal marca presença, de novo no mês de Maio. A esta novidade juntam-se outras alterações de vulto, com três regressos muito falados que fazem com que o próximo ano leve o Mundial, pela primeira vez na história, a disputar-se em seis continentes.

A primeira grande novidade em termos de regressos é o Quénia, que marca o início da segunda metade de época, em Julho, e leva o pelotão

de novo a África, 18 anos depois da saída do Safari do Mundial. Segue-se a Nova Zelândia, que tem lugar em Setembro oito anos após a última presença no calendário.

A última novidade é o Japão, que marca o final da temporada em Novembro, isto depois da última visita do WRC ao País do Sol Nascente ter tido lugar em 2010. De fora ficam a Córsega, Espanha e Austrália.

 

Monte-Carlo – 23 a 26 e Janeiro

Suécia – 13 a 16 de Fevereiro

México – 12 a 15 de Março

Chile – 16 a 19 de Abril

Argentina – 30 de Abril a 3 de Maio

Portugal – 21 a 24 de Maio

Itália – 4 a 6 de Junho

Quénia – 16 a 19 de Julho

Finlândia – 6 a 9 de Agosto

Nova Zelândia – 3 a 6 de Setembro

Turquia – 24 a a28 de Setembro

Alemanha – 15 a 18 de Outubro

Inglaterra – 29 de Outubro a 1 de Novembro

Japão – 19 a 22 de Novembro

Partilhe

Deixe um comentário

avatar
  Inscrever  
Notificação