Rali de Monte Carlo com muitas novidades

A 88.ª edição do Rali de Monte Carlo, prova de abertura do Campeonato Mundial de Ralis (WRC), versão 2020, surge mais compacta mas mais selectiva comparativamente do ano passado, com cerca de 25% do percurso alterado, com várias novidades e inúmeras dificuldades…

PEDRO RORIZ (auto.look2010@gmail.com)

Como tem sido tradicional, as excepções foram os anos de 2008, 2009 e 2010, o Rali de Monte Carlo abre o Campeonato do Mundo de Ralis (WRC), este ano com muitas novidades. A primeira prende-se com o regresso da partida a Monte Carlo, na quinta-feira à tarde, o que vai obrigar a uma longa ligação até à zona de Gap, onde têm lugar as duas primeiras especiais, já corridas de noite, o que vai aumentar as dificuldades para as equipas.

Mas as atenções estão centradas nas mudanças verificadas nas várias equipas oficiais, havendo uma enorme curiosidade em ver como é que os pilotos e as equipas vão funcionar no arranque da temporada.

A primeira novidade diz respeito à opção do estónio Ott Tanak (Hyundai i20 Coupé WRC), que trocou a Toyota, marca com a qual conquistou o título que ostenta, pelo construtor sul-coreano, que o contratou com o objectivo de chegar aos títulos mundiais, que têm escapado, às vezes de forma inesperada.

O belga Thierry Neuville (Hyundai i20 Coupé WRC) e o francês Sébastien Loeb (Hyundai i20 Coupé WRC) completam o lote de pilotos da marca sul-coreana, na prova monegasca, e se o francês apenas terá aparições esporádicas, o belga fará, tal como o estónio, todo o campeonato, ficando por saber como vai reagir ao aumento da pressão por ter ao seu lado o campeão do mundo, título que Thierry Neuville já deixou escapar, por não resistir à pressão.

O facto da Citroën ter abandonado o “Mundial” permitiu à Toyota passar a contar com o hexa-campeão mundial, o francês Sébastien Ogier (Toyota Yaris WRC), que terá optado pela equipas dirigida pelo finlandês Tommi Makinen, por sentir que o carro pode permitir-lhe reconquistar o ceptro, o que parece ser o seu objectivo antes de colocar um ponto final na carreira.

Tommi Makinen foi ainda buscar o inglês Elfyn Evans (Toyota Yaris WRC) à Ford e o seu compatriota Kalle Rovampera (Toyota Yaris WRC), apontado como o futuro “finlandês voador”, à Skoda, para dar a volta à sua lista de pilotos, que integra ainda o japonês Takamoto Katsuta (Toyota Yaris WRC), que vai continuar a sua aprendizagem da condução de um WRC.

Meritório é o esforço do inglês Malcolm Wilson que, apesar do escasso apoio da marca, continua a manter a Ford no Campeonato do Mundo, contando, este ano, como pilotos o finlandês Teemu Suninen (Ford Fiesta WRC) e o inglês Gus Greensmith (Ford Fiesta WRC), que permanecem na equipa, a que juntou o finlandês Esapekka Lappi (Ford Fiesta WRC), que estava sem volante depois do abandono da Citroen.

A M-Sport inscreve, ainda, um quarto Ford Fiesta para o lituano Deividas Jocius, que faz a estreia ao volante de um WRC. Agora falta saber quem é que mais depressa vai adaptar-se à “nova arma” e pode ser esse o melhor argumento para o triunfo.

Intenso será, igualmente, o duelo entre os RC2, com Citroen, Hyundai, Ford, Skoda, VW e Fiat a estarem presentes, o que abre um amplo leque de possibilidades quanto ao sucessor de Kalle Rovampera.

A ESTRADA

A edição 2020 do Rali de Monte Carlo arranca, na quarta-feira, em Gap, palco do “shakedown” (3,35 km), antes dos concorrentes rumarem a Monte Carlo para a partida oficial, na quinta-feira (17h00, 16h00 em Portugal Continental), junto ao Casino de Monte Carlo.

Segue-se uma ligação de cerca de 200 km até às proximidades de Gap, onde têm lugar as duas primeiras provas de classificação: Malijai – Puimichel (17,47 km – 19h38, hora de Portugal Continental) e Bayons – Bréziers (25,49 km – 21h26)

Na sexta-feira, os concorrentes têm pela frente três especiais, percorridas por duas vezes: Curbans – Venterol (20,02 – 7h36 e 12h54), St Clément Sur Durance – Freissinières (20,68 km – 8h56 e 14h14) e Avançon – Notre Dame du Laus (20,59 km – 10h21 e 15h39)

No sábado, a caravana regressa a Monte Carlo e há só duas provas de classificação, feitas por duas vezes, St. Léger les Mélèzes – La Bâtie Neuve (16,87 km – 8h38 e 13h08) e La Bréole – Selonnet (20,73 km – 9h56 e 14h26) para que a chegada aconteça mais cedo, depois de um Parque de Assistência que tem lugar em Gap.

Por fim, no domingo há uma dupla passagem pelas especiais de La Bollène Vésubie – Peira-Cava (18,41 km – 7h17 e 9h55) e La Cabanette – Col de Braus (13,36 km – 8h08 e 11h18), com a segunda passagem por La Cabanette – Col de Braus a funcionar como “Power Stage”, antes da consagração junto ao Casino de Monte Carlo.

OS VENCEDORES

No arranque de mais um Campeonato do Mundo de Ralis recordemos os vencedores das 597 provas que contaram para o campeonato

PILOTOS

79 – Sebastien Loeb

47 – Sebastien Ogier

30 – Marcus Gronholm

26 – Carlos Sainz

25 – Colin McRae

24 – Tommi Makinen,

23 – Juha Kankkunen

20 – Didier Auriol

19 – Markku Alen

18 – Jari-Matti Latvala, Hannu Mikkola

17 – Miki Biasion,

16 – Bjorn Waldegaard

15 – Mikko Hirvonen

14 – Walter Rohrl

13 – Petter Solberg

12 – Thierry Neuville, Ott Tanak

11 – Stig Blomqvist, Timo Salonen

10 – Richard Burns, Ari Vatanen

7 – Bernard Darniche, Sandro Munari, Gilles Panizzi

6 – Kenneth Eriksson

5 – Markko Martin, Kris Meeke, Shekhar Mehta, Jean Pierre Nicolas, Jean-Luc Therier

4 – François Delecour, Timo Makinen. Michele Mouton

3 – Jean Claude Andruet, Andreas Mikkelsen, Jean Ragnotti, Henri Toivonen

2 – Philippe Bulgaski, Ingvar Carlsson, Mkael Ericsson, Mats Jonsson, Bruno Saby, Kenjiro Shinozuka, Joginder Singh, Dani Sordo, Achim Warmbold

1 – Andrea Aghini, Pentti Airikkala, Alain Ambrosino, Ove Andersson, Fulvio Bacchelli, Bernard Beguin, Walter Boyce, Roger Clark, Gianfranco Cunico, Ian Duncan, François Duval, Per Eklund, Elfyn Evans, Tony Fassina. Guy Frequelin, Josef Haider, Kyosti Hamalainen, Harry Kallstom, Anders Kullang, Esapekka Lappi Piero Liatti, Joaquim Moutinho, Alain Oreille, Mads Ostberg, Hayden Paddon Raffaelle Pinto, Jesus Puras, Jorge Recalde, Harri Rovampera, Armin Schwarz, Patrick Tauziac, Franz Wittmann

NAVEGADORES

79 – Daniel Elena

47 – Julien Ingrassia

30 – Timo Rautiainen

24 – Luís Moya

20 – Seppo Harjanne, Ilka Kivimaki

18 – Arne Hertz

16 – Mikka Antilla, Bernard Occelli, Tiziano Siviero

14 – Jarmo Lehtinen, Juha Piironen

13 – Christian Geistdorfer, Risto Mannisenmaki, Phil Mills, Hans Thorszelius

12 – Nicolas Gilsoul, Martin Jarveoja

10 – Bjorn Cederberg, Robert Reid

8 – Derek Ringer

7 – Alain Mahe, Herve Pannizzi

6 – Terry Harryman

5 – Fred Gallagher, Denis Giraudet, Michael Park, Stafan Parmander, Fabrizia Pons

4 – Mike Doughty, Daniel Grataloup, Henry Liddon, Silvio Maiga, Paul Nagle, David Richards, Jean Todt

3 – Christian Delferrier, Mario Mannucci, Marc Marti

2 – Jean-Marc Andrie, Lars Backman, Claes Billstam, Per Carlsson, Jean-Paul Chiaroni, Carlos Del Barrio, David Doig, «Biche», Jean-François Fauchille, Michel Gamet, Anders Jaeger, Jacques Jaubert, John Meadows, Juha Repo, Michel Vial

1 – Atso Aho, Claes-Goran Andersson, Jonas Andersson,  Daniel Barritt, Jochen Berger, Bruno Berglund, Arnaldo Bernacchini, Carlo Cassina, Sergio Cresto, John Davenport, Jorge Del Buono, Peter Diekmann, Lofty Drews, Stefano Evangelisti, Sauro Farnocchia, Janne Ferm, Ola Floene, Edgar Fortes, Fred Hinterleitner, John Kennard, Vincent Laverne, Jean-Claude Lefebvre, Jean-Jacques Lenne, Daniel LeSaux, Kaj Lindstrom, Mauro Mannini, Jaakoo Markkula, Roman McNamee, Claude Papin, Jorg Pattermann, Stuart Pegg, Risto Pietilainen, Francesco Rossetti, Sven Smeets, Hans Sylvan, Gilles Thimonier, Pierre Thimonier, Martti Tukkanen, Paul White, David Williamson, Neil Wilson, Doug Woods

MARCAS

102 – Citroën (C4 WRC, 44; Xsara WRC, 24; DS3 WRC, 26; C3 WRC, 6 ; Xsara Kit Car, 2).

91  – Ford (Focus WRC, 44; Escort RS 1800, 17; Fiesta WRC, 9; Escort RS Cosworth, 8; Fiesta RS WRC, 6; Escort RS 1600, 4; Escort WRC, 2; Sierra RS Cosworth, 1)

73 – Lancia (Stratos, 17; Delta Integrale, 14; Delta Integrale 16V, 13; Delta HF 4WD, 11; Delta HF Integrale, 8; 037 Rally, 6; Delta S4, 4)

56 – Toyota (Celica Turbo 4WD, 16; Celica GT4, 14; Yaris WRC, 13; Celica Twincam, 6; Corolla WRC, 4; Corolla Levin, 2; Celica 2000 GT, 1)

48 – Peugeot (206 WRC, 24; 205 Turbo 16, 9; 205 Turbo 16 E2, 7; 307 WRC, 3; 504 V6 Coupé, 2; Peugeot 504 Ti, 2; Peugeot 504, 1)

47 – Subaru (Impreza 555, 11; Impreza S3 WRC, 8; Impreza S5 WRC, 6; Impreza S10 WRC, 6; Impreza S09 WRC, 4; Impreza S4 WRC, 3; Impreza S6 WRC, 3; Impreza S07 WRC, 3; Impreza S11 WRC, 2; Legacy RS, 1)

44 – Volkswagen (Polo R WRC, 43; Golf GTi 16V, 1)

34 – Mitsubishi (Lancer III, 6 ; Carisma GT, 6 ; Galant VR-4, 6; Lancer VI, 5 ; Lancer V, 4 ; Lancer 6,5, 3 ; Colt Lancer, 1 ; Lancer, 1 ; Lancer II, 1 ; Lancer IV, 1)

24 – Audi (Quattro, 10; Quattro A2, 9 ; Quattro A1, 2 ; Sport Quattro, 2; 200 Quattro, 1)

21 – Fiat (131 Abarth, 18; 124 Abarth, 3)

14 – Hyundai (i20 Coupé WRC, 7; i20 WRC, 7)

7 – Datsun (160 J, 3; Violet GT, 2; 240 Z, 1; Violet 160 J, 1)

6 – Alpine-Renault (A110, 6); Opel (Ascona 400, 4; Ascona 1900 SR, 1; Kadett GSi, 1); Renault (5 Turbo, 3; 17 Gordini, 1; Maxi 5 Turbo, 1; 5 GT Turbo, 1)

4 – Saab (96 V4, 2; 99 EMS, 1; 99 Turbo, 1)

3 – Mazda (323 4WD, 3)

2 – BMW (2002 Tii, 1; M3, 1); Mercedes-Benz (500 SLC, 2); Nisssan (200 SX, 1 ; Violet GT, 1) ; Porsche (911 Carrera, 1; 911 SC, 1); Talbot (Sunbeam Lotus, 2)

OS CAMPEÕES

Criado em 1973, o Campeonato do Mundo de Ralis começou por ser reservado às marcas, com os pilotos a só verem os seus resultados reconhecidos seis anos depois. No início de mais uma temporada recordem-se a lista dos campeões:

AnoMarca
1973Renault-Alpine
1974Lancia
1975Lancia
1976Lancia
1977Fiat
1978Fiat
1979Ford
1980Ford
1981Talbot
1982Audi
1983Lancia
1984Audi
1985Peugeot
1986Peugeot
1987Lancia
1988Lancia
1989Lancia
1990Lancia
1991Lancia
1992Lancia
1993Toyota
1994Toyota
1995Subaru
1996Subaru
1997Subaru
1998Mitsubishi
1999Toyota
2000Peugeot
2001Peugeot
2002Peugeot
2003Citroen
2004Citroen
2005Citroen
2006BP-Ford WRT
2007BP-Ford WRT
2008Citroen Total WRT
2009Citroen Total WRT
2010Citroen Total WRT
2011Citroen Total WRT
2012Citroen Total WRT
2013Volkswagen Motorsport
2014Volkswagen Motorsport
2015Volkswagen Motorsport
2016Volkswagen Motorsport
2017M-Sport
2018Toyota Gazoo WRT
2019Hyundai Shell Mobis WRT

NÚMERO DE VITÓRIAS POR MARCAS

10 – Lancia

8 – Citroen

5 – Ford, Peugeot

4 – Toyota, Volkswagen

3 – Subaru

2 – Audi, Fiat

1 – Hyundai, Mitsubishi, Renault, Talbot

AnoPiloto
 

1979

Bjorn Waldegaard
1980Walter Rohrl
1981Ari Vatanen
1982Walter Rohr
1983Hannu Mikkola
1984Stig Blomqvist
1985Timo Salonen
1986Juha Kankkunen
1987Juha Kankkunen
1988Miki Biasion
1989Miki Biasion
1990Carlos Sainz
1991Juha Kakkunen
1992Carlos Sainz
1993Juha Kankkunen
1994Didier Auriol
1995Colin McRae
1996Tommi Makkinen
1997Tommi Makkinen
1998Tommi Makkinen
1999Tommi Makkinen
2000Marcus Gronholm
2001Richard Burns
2002Marcus Gronholm
2003Petter Solberg
2004Sebastien Loeb
2005Sebastien Loeb
2006Sebastien Loeb
2007Sebastien Loeb
2008Sebastien Loeb
2009Sebastien Loeb
2010Sebastien Loeb
2011Sebastien Loeb
2012Sebastien Loeb
2013Sebastien Ogier
2014Sebastien Ogier
2015Sebastien Ogier
2016Sebastien Ogier
2017Sebastien Ogier
2018Sebastien Ogier
2019Ott Tanak

NÚMERO DE VITÓRIAS POR PILOTO

9 – Sébastien Loeb

6 – Sébastien Ogier

4 – Juha Kankkunen, Tommi Makkinen

2 – Massimo Biasion, Marcus Gronholm, Walter Rohrl, Carlos Sainz

1 – Didier Auriol, Stig Blomqvist, Richard Burns, Colin McRae, Hannu Mikkola, Timo Salonen, Petter Solberg, Ott Tanak, Ari Vatanen, Bjorn Waldeggard

Partilhe

Deixe um comentário

avatar
  Inscrever  
Notificação