Quartararo dominou e venceu o GP da Catalunha

Piloto francês assumiu a liderança na primeira curva após a partida e nunca mais de lá saiu. Já Aleix Espargaró cometeu um erro de palmatória antes da derradeira volta. Julgando que a bandeira de xadrez tinha sido agitada, o espanhol desacelerou, festejou o segundo lugar e… caiu para quinto.

(auto.look2010@gmail.com)

Fábio Quartararo (Yamaha)

O francês Fábio Quartararo (Yamaha) venceu hoje o Grande Prémio da Catalunha de MotoGP, prova em que o português Miguel Oliveira (KTM) foi nono e que terminou com um erro decisivo do espanhol Aleix Espargaró (Aprilia). O piloto da Aprilia pensou que a corrida tinha terminado quando faltava ainda uma volta e começou a festejar com o público, perdendo o segundo lugar que ocupava e ainda baixando até ao quinto posto final.

Miguel Oliveira, que no ano passado venceu esta corrida, foi nono classificado depois de ter partido da 16.ª posição, cruzando a meta a 26,800 segundos do vencedor, Fábio Quartararo, líder do campeonato e campeão em título e que já não ganhava desde o GP de Portugal.

O francês gastou 40m29,360s para completar as 24 voltas, que liderou desde o arranque. O espanhol Jorge Martin (Ducati) foi segundo, a 6,473 segundos, com o francês Johann Zarco (Ducati) em terceiro, a 8,385 segundos.

Fábio Quartararo festeja com a equipa o segundo triunfo da temporada

A prova começou com uma queda do japonês Takaaki Nakagami (Honda) na travagem para a primeira curva. O piloto nipónico deixou a frente da sua mota escorregar e, na queda, acabou por levar consigo a Ducati do italiano Francesco Bagnaia e a Suzuki de Alex Rins. O alemão Stefan Bradl (Honda) também ficou pelo caminho pouco depois.

No final da primeira volta, Miguel Oliveira era já 12.º, continuando a recuperar posições nas oito primeiras voltas, sempre atrás do companheiro de equipa, o sul-africano Brad Binder (KTM).

O piloto luso ainda tentou ultrapassar Binder a 13 voltas do fim, no final da reta da meta, mas falhou a travagem e acabou por perder 1,6 segundos, não mais voltando a encostar no companheiro da KTM.

Jorge Martin (Ducati)

Pelo caminho já tinham ficado os italianos Enea Bastianini (Ducati), Marco Bezecchi (Ducati), Fábio DiGiannantonio (Ducati) e Andrea Dovizioso (Yamaha). Nessa altura, Quartararo já tinha uma vantagem confortável, pois mostrou sempre um ritmo superior aos restantes pilotos, assumindo a liderança após a partida para não voltar a ser incomodado.

Aleix Espargaró tentava minimizar as perdas, entretendo-se numa luta acesa com o compatriota Jorge Martin pela segunda posição. Espargaró parecia que ia levar a melhor quando, à entrada para a última volta, abrandou e levantou os braços, acenando ao público.

Inicialmente, deu a ideia de que teria um problema mecânico mas o piloto rapidamente percebeu o erro e voltou à pista, cruzando a meta na quinta posição final.

Miguel Oliveira (KTM)

«A culpa foi minha. Estou muito triste. Olhei para o muro e vi L1 mas esqueci-me que, aqui, a última volta é L0», assumiu, no final, o piloto catalão, que pediu desculpas à equipa, pois considerou que este é um erro «que não se pode cometer quando se luta pelo título de MotoGP».

Com os 25 pontos da vitória de hoje, Fabio Quartararo soma, agora, 147 pontos, contra os 125 de Aleix Espargaró, que desperdiçou nove pontos com o erro. Miguel Oliveira mantém a 11.ª posição, agora com 57 pontos.

Em Moto2, a vitória sorriu ao italiano Celestino Vietti (Mooney VR46), que lidera o campeonato com 133 pontos. Já em Moto3, ganhou o espanhol Izan Guevara (GasGas), mas é Sérgio Garcia (GasGas) quem comanda.

A próxima ronda é o GP da Alemanha, em 19 de Junho.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.