PSP quer segurança na super-especial em Coimbra

Mais de 100 agentes da Polícia de Segurança Pública (PSP) estão mobilizados para o Vodafone Rally de Portugal, havendo um outro dispositivo para a Serenata da Queima das Fitas de Coimbra, que vai realizar-se no mesmo dia.

(auto.look2010@gmail.com)

A PSP vai ter um efetivo de mais de uma centena de agentes para a super-especial urbana de Coimbra do Vodafone Rally de Portugal, com as forças de segurança a aconselharem o público a chegar cedo à cidade. O subintendente do Comando da PSP de Coimbra, José Nascimento, afirmou, em conferência de imprensa, que o dispositivo daquela força de segurança no evento, que vai decorrer esta quinta-feira, será «acima de uma centena de efetivos».

Este número está apenas relacionado com o Vodafone Rally de Portugal, havendo um outro dispositivo para a Serenata da Queima das Fitas de Coimbra, que vai realizar-se no mesmo dia, explicou.

«Falando dos dois eventos, estaremos a falar de mais de duas centenas de agentes» na cidade, salientou, referindo que há um reforço do dispositivo, com recurso a forças de outros pontos do país, tendo, entre outros meios disponíveis, a Unidade Especial de Polícia e “drones”.

O responsável, que falava no Convento São Francisco, em Coimbra, aconselhou os interessados em assistir à competição a chegarem cedo à cidade e a estacionarem «legalmente». «Venha cedo, planeie a sua viagem, porque, face ao circuito, praticamente não é possível aceder a este de poente para nascente nem de norte para sul», salientou.

Com a delimitação de uma zona de exclusão aérea, a PSP irá controlar os fluxos de público e aglomerados através de recurso a “drones”. José Nascimento salientou que, caso o limite de pessoas seja alcançado, será impedido o acesso a um ou outra zona onde o público pode assistir à competição.

No entanto, o responsável não soube dizer qual o limite de pessoas que poderão estar a assistir ao evento, apontando apenas para a medida de «um metro quadrado» por espetador. Quando a PSP assinalar que esse rácio está a ser «posto em risco», irá impedir o acesso, asseverou.

O dispositivo «mais musculado» da PSP estará disponível a partir das 21h00 de quarta-feira, altura em que será encerrado por completo o trânsito na zona da competição, e estará presente até à manhã de sexta-feira.

O presidente da Câmara de Coimbra, José Manuel Silva, também presente na conferência de imprensa, realçou a importância de este ser um evento seguro, considerando que irão estar presentes muito mais do que 10 a 12 mil pessoas (número apontado anteriormente pelo vereador com a pasta do desporto, Carlos Lopes).

«Só as pessoas de Coimbra serão mais do que esse número. As duas encostas vão ter imensas zonas onde as pessoas podem apreciar com tranquilidade o rali. Acredito que todos os “rooftops” da Alta vão estar ocupados por pessoas a ver a super-especial», realçou, apontando ainda para a encosta de Santa Clara, como um lugar privilegiado para se assistir à prova.

Coimbra recebe a partida oficial e a primeira classificativa da 55.ª edição do Rali de Portugal, com a prova a decorrer na zona de Santa Clara, na margem esquerda do Mondego.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.