Primeiro dia do Rali de Portugal pode “ser decisivo”

Quatro pilotos das marcas que disputam o WRC consideraram hoje que o primeiro dia Rali de Portugal, nos troços da região centro, poderá “ser decisivo” para encontrar o próximo vencedor da prova.

(auto.look2010@gmail.com)

Sebastien Ogier (Citroën C3 WRC)

Sebastien Ogier (Citroën C3 WRC), Sebastien Loeb (Hyundai i20 Coupe WRC), Otto Tanak (Toyota Yaris WRC) e Gus Greensmith (Ford Fiesta WRC) estiveram hoje a fazer a antevisão da prova, na sala de imprensa do centro logístico do rali, em Matosinhos, depois de terem cumprido o “shakedown”, onde Thierry Neuville (Hyundai i20 Coupe WRC), vencedor do rali no ano passado, foi o mais rápido.

«Temos um difícil arranque pela frente, e há que ser consistente. Tudo vamos fazer para conseguir bons tempos. Estamos num bom caminho na preparação do carro», disse Sebastien Ogier, que venceu as últimas seis edições do campeonato do mundo.

Antes do “reinado” de Ogier, foi Sebastien Loeb a dominar o mundial de ralis, com oito títulos consecutivos, mas o francês considera que ainda está em fase de adaptação ao carro da Hyundai.

Sebastien Loeb (Hyundai i20 Coupe WRC)

«É bom fazer o segundo rali consecutivo com este carro, já o conheço melhor. Nunca fui um campeão nos “shakedowns” (hoje fez o 11.º tempo), mas amanhã (sexta-feira) é um novo dia, e começamos todos iguais. Sei que será difícil, até porque não conheço tão bem as etapas», revelou Loeb.

Esse mesmo registo de antecipar dificuldades para os troços de Arganil, Góis e Lousã, partilhou o estónio Otto Tanak (Toyota Yaris WRC), embora mostrando-se entusiasmado para os cumprir.

«Esta nova parte do rali parece-me boa. Tem dificuldades, mas também características que assentam bem à nossa equipa. Vai ser um fim-de-semana quente em termos competitivos. Temos de conseguir um bom resultado já amanhã porque pode ser decisivo», afirmou Ott Tanak.

Otto Tanak (Toyota Yaris WRC)

Em representação da Ford surgiu o estreante na vertente WRC Gus Greensmith, que se mostrou motivado com esta nova etapa da carreira: «É um prazer guiar um carro de WRC. Apesar de ainda cometer alguns erros estou a melhorar. Tenho de ganhar mais alguma experiência, e por isso amanhã [primeiro dia] não vou arriscar tudo», desabafou o piloto britânico.

O Vodafone Rali de Portugal é a sétima prova do campeonato mundial da modalidade, que em termos competitivos arranca esta sexta-feira, na região centro, prolongando-se sábado e domingo, nos troços do norte do país.

Partilhe

Deixe um comentário

avatar
  Inscrever  
Notificação