Primeira “pole” para Lewis Hamilton

Depois de ter sido o mais rápido nas três sessões de treinos, o piloto da Mercedes voltou a estabelecer o melhor crono para o Grande Prémio da Austrália de Fórmula 1.

Pedro Roriz (auto.look2010@gmail.com)

O inglês Lewis Hamilton (Mercedes) confirmou, na qualificação, a superioridade mostrada nos treinos livres e assegurou a primeira “pole position” do ano, com a superioridade da marca da estrela, neste arranque da temporada, a permitir ao finlandês Valtteri Bottas (Mercedes) completar a primeira linha da grelha.

Na primeira tentativa, o finlandês foi mais rápido que o seu companheiro de equipa, mas o inglês, que tinha sido o mais rápido nas três sessões de treinos livres, na segunda repôs a ordem e bateu o seu colega por 0,112 segundos.

O alemão Sebastian Vettel (Ferrari) ficou com o terceiro tempo, mas os 0,704 segundos, o que não deixa de ser preocupante para a marca italiana que, em Barcelona, parecia ser a mais eficaz, mas que na hora verdade viu os pilotos da marca da estrela mostraram uma superioridade que parecia improvável.

Não há dúvida que, mesmo tendo escondido o seu potencial no traçado espanhol, a Mercedes trabalho muito bem os dados recolhidos nas sessões de testes e chega a Melbourne, ao arranque da temporada, tal como terminou a época anterior, como a equipa a bater.

O holandês Max Verstappen (Red Bull/Honda) partilha a segunda linha com o alemão, mas a surpresa veio do francês Pierre Gasly (Red Bull/Honda) que não passou da Q1 quando dispõe de material para fazer bem melhor, mas a equipa convenceu-se que o tempo feito era suficiente para o francês ter acesso ao Q2, mas isso acabou por não suceder.

O monegasco Charles Leclerc (Ferrari) fez o quinto tempo e como consequência da ausência de Pierre Gasly no lote dos seis primeiros, foi o francês Romain Grosjean (Haas/Ferrari) a ficar com a sexta posição e a ser “o melhor dos outros”, com a equipa norte-americana a ser a mais eficaz do segundo pelotão, já que o dinamarquês Kevin Magnussen (Haas/Ferrari) ficou na posição seguinte.

Surpresa o oitavo tempo do inglês Lando Norris (McLaren/Renault), que bateu de forma clara o espanhol Carlos Sainz (Mclaren/Renault), que, tal como Pierre Gasly não passou da Q1, talvez por um desentendimento com o polaco Robert Kubica (Wliiams/Mercedes), e foi o melhor entre os que utilizam motores da marca francesa.

O finlandês Kimi Raikkonen (Alfa Romeo/Ferrari) e o mexicano Sergio Perez (Racing Point/Mercedes) fecharam o lote dos pilotos que chegaram à Q3, com os dois homens da Renault, o alemão Nico Hulkenberg (Renault) e Daniel Ricciardo (Renault) a serem os primeiros que ficaram fora da qualificação decisiva, com o contra de terem visto Lando Norris, com o mesmo motor, bater os pilotos da equipa oficial.

Sem surpresa os Williams/Mercedes fecham a grelha, com o polaco Robert Kubica, que está de regresso à F1, depois de oito anos de ausência, a ser o mais lento.

GRELHA DE PARTIDA (PROVISÓRIA)

Lewis Hamilton
Mercedes
1’20,486″
Valtteri Bottas
Mercedes
1’20,598″
Sebastian Vettel
Ferrari
1’21,190″
Max Verstappen
Red Bull/Honda
1’21,320″
Charles Leclerc
Ferrari
1’21,442″
Romain Grosjean
Haas/Ferrari
1’21,826″
Kevin Magnussen
Haas/Ferrari
1’22,099″
Lando Norris
McLaren/Renault
1’22,304″
Kimi Raikkonen
Alfa Romeo/Ferrari
1’22,314
Sergio Perez
Racing Point/Mercedes
1’22,781
Nico Hulkenberg
Renault
1’22,562″
Daniel Ricciardo
Renault
1’22,570″
Alexander Albon
Toro Rosso/Honda
1’22,636″
Antonio Giovinazzi
Alfa Romeo/Ferrari
1’22,714″
Danill Kvyat
Toro Rosso/Honda
1’22,774″
Lance Stroll
Racing Point/Mercedes
1’23,017
Pierre Gasly
Red Bull/Honda
1’23,020″
Carlos Sainz
McLaren/Renaukt
1’23,084″
George Russell
Williams/Mercedes
1’24,360″
Roberto Kubica
Williams/Mercedes
1’26,067″
    

Partilhe

Deixe um comentário

avatar
  Inscrever  
Notificação