Portugueses implacáveis em solo transalpino

Gonçalo Reis continua de vento e popa no Campeonato do Mundo de EnduroGP e Taça do Mundo Enduro Open, ao terminar a primeira etapa com uma vitória imaculada em Spoletto, Itália, sendo secundado por Gonçalo Sobrosa. O piloto autolook.pt, Fred Rocha, terminou em nono, atrás do aguedense Ricardo Wilson.

CARLOS SOUSA (carlos.sousa@autolook.pt)

Servido o aperitivo na véspera, o primeiro dia da segunda jornada do Campeonato do Mundo de EnduroGP e Taça do Mundo Enduro Open, a disputar em Spoletto, Itália, voltou a cotar em alta os portugueses na bolsa endurista, com Gonçalo Reis a amealhar mais um triunfo na classe Open 2T. Um desfecho notável do piloto sintrense de Magoito, São João das Lampas que, em KTM, vai semeando frutos em França e Itália para os colher com qualidade superior em território nacional, quando disputar as últimas provas do Mundial em Marco de Canaveses, a desenvolver de 6 a 8 e entre 13 a 15 de Novembro.

A prova deste sábado, em Spoletto, ficou ainda marcada pelo brilhante segundo lugar conquistado por Gonçalo Sobrosa aos comandos de uma Beta, e a primeira subida ao pódio, relegando para o degrau mais baixo Robert Friedrich, pela diferença de 5 segundos.

Ainda no que concerne o Open 2T, os pilotos de Águeda e Coimbra, Ricardo Wilson (Beta) e Frederico Rocha (Husqvarna), terminaram num honroso 8.º e 9º lugar, respectivamente, ajudando a perfumar ainda mais a performance dos pilotos lusitanos que continuam a evidenciar toda a sua categoria em território italiano.

O jovem conimbricense, que na véspera registou um excelente 5.° lugar na super-especial, teve de suar as estopinhas para esgrimir argumentos no exigente piso escorregadio provocado pela bátega de água que caiu insistentemente no dia anterior, acabando por beneficiar as motos com maior potência e melhor tracção.

 

Frederico Rocha, apoiado por autolook.pt, não se fez rogado perante o cenário deslizante do traçado, e foi à luta para ultrapassar as adversidades mas, com o piso cada vez mais deteriorado, foi motivo para algumas quedas e perda de segundos preciosos. Contudo, o piloto da Husqvarna TC 125 Elimoto coleccionou uma “caderneta” de ensinamentos que o coloca numa posição vantajosa para atacar o derradeiro compromisso em solo transalpino. A moto está operacional para ascender lugares na classificação da respectiva classe.

Na classe Open 4T, mais uma prestação positiva do estreante Filipe Oliveira “Taniko”, que conduziu com afinco a sua Husqvarna à sexta posição, a pouco mais de 4 minutos de Mathia Van Hoof, vencedor sem mácula.

Quanto à classe Youth Cup, o jovem piloto Tomás Clemente, aos comandos de uma KTM, encerrou o dia deste sábado no oitavo lugar entre os 16 participantes, “sobrevivendo” uma etapa com piso bastante escorregadio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

%d bloggers like this: