“Portugal Rowing Tour” à descoberta do Mondego

Remadores internacionais vão remar nos territórios de Tábua, Mortágua e Santa Comba Dão, numa iniciativa de remo de lazer que atrai participantes de toda a Europa. Três locais de eleição em que os participantes, amigos e familiares aliam a prática do remo ao convívio e à descoberta do património natural, cultural e gastronómico da região.

(auto.look2010@gmail.com)

Pedro Machado, David Pinto, Joaquim de Sousa e António Oliveira

Remadores de sete países europeus vão descobrir o território do rio Mondego no próximo mês de agosto, durante a edição de 2022 do “Portugal Rowing Tour”. O Turismo Centro de Portugal e o Ginásio Clube Figueirense apresentaram esta terça-feira o evento, em conferência de imprensa realizada no Luna Hotel de Tábua.

O Portugal Rowing Tour é um evento anual de remo de lazer, organizado desde 2008 pelo Ginásio Clube Figueirense e apoiado pelo Turismo Centro de Portugal, e que atrai à região remadores de várias nacionalidades.

Durante a sua estada, em unidades hoteleiras da região, os participantes do Portugal Rowing Tour, bem como amigos e familiares, vão poder aliar a prática do remo ao convívio e à descoberta de três concelhos recheados do património natural, cultural e gastronómico da região onde os circuitos acontecem.

António Oliveira, Artur Silva, Pero Machado, David Pinto e Joaquim de Sousa

Refira-se que este evento segue um modelo com grande expansão na Europa, onde existem mais de dois milhões de praticantes, e do qual o Ginásio Figueirense e o Turismo Centro de Portugal foram precursores em Portugal.

Ao longo das suas edições, o Portugal Rowing Tour já explorou as águas dos rios Mondego, Zêzere, Douro e Tejo, além da Ria de Aveiro. O circuito de 2022 do Portugal Rowing Tour acontece de 11 a 14 de agosto e realiza-se, novamente no Mondego, com a base logística a ser a cidade de Tábua.

Ao longo dos quatro dias, os participantes vão realizar quatro etapas, sempre na albufeira da barragem da Aguieira: São João de Areias – Sr.ª da Ribeira; Sr.ª da Ribeira – Santa Comba Dão; Santa Comba Dão – Chão do Vento; e Chão do Vento – Montebelo Aguieira Lake Resort.

No total, os remadores – belgas, franceses, neerlandeses, ingleses, irlandeses, luxemburgueses e suecos – vão ter a missão de remar cerca de 50 quilómetros nos concelhos de Tábua, Mortágua e Santa Comba Dão.

A conferência de imprensa contou com intervenções de Pedro Machado, presidente do Turismo Centro de Portugal, Joaquim de Sousa, presidente da Assembleia Geral do Ginásio Clube Figueirense, Artur Silva, da equipa de apoio ao Portugal Rowing Tour, e António Oliveira e David Pinto, respetivamente vice-presidente e vereador da Câmara Municipal de Tábua.

 

Pedro Machado

Na ocasião, Pedro Machado destacou a importância de eventos como o Portugal Rowing Tour para o Centro de Portugal: «Os territórios como aqueles onde se vai realizar este Rowing Tour são hoje uma aposta clara da procura turística no Centro de Portugal. Os visitantes procuram estes territórios porque aqui têm segurança, têm espaço, têm natureza, têm ar livre. É uma tendência que aumentou com a pandemia e que veio para ficar. Por isso, eventos como este, que se disseminam por vários municípios, são muito bem-vindos à região. O combate às assimetrias regionais faz-se praticando e este é um bom exemplo», justificou.

Pedro Machado destacou ainda a capacidade de “internacionalização” deste evento e o facto de se inserir na estratégia do Turismo de Portugal: «A partir de 2022, o país está a trabalhar novos segmentos de oferta de produtos turísticos. É o caso do turismo desportivo, que se está a posicionar na oferta de Portugal nos mercados internacionais. Assim, o Rowing Tour contribui para aumentar o leque de oferta do Centro de Portugal a esse nível».

Pedro Machado, David Pinto e Joaquim de Sousa

Por parte do Ginásio Clube Figueirense, Joaquim de Sousa recordou que este evento acontece na região graças ao apoio do Turismo Centro de Portugal, que vem já desde 2008, e sublinhou o grande potencial das atividades náuticas de lazer.

«Em Portugal, não há mais nenhum clube que se dedique a isto, mas na Europa, nomeadamente em França, Alemanha, Holanda e Inglaterra, este tipo de realizações é frequentíssimo, atraindo milhares de participantes. É um segmento de mercado que tem larguíssimas potencialidades, porque se estende a outros setores da oferta turística», frisou.

Pedro Machado e David Pinto

O vereador David Pinto enalteceu a escolha de Tábua para ser o centro nevrálgico deste evento, o qual «se insere na estratégia de promoção do concelho de Tábua, aproveitando os recursos naturais, como os rios Alva e o Mondego, que oferecem excelentes capacidades para a prática de desportos náuticos».

«Toda esta oferta é complementada na perfeição com a nossa gastronomia, os vinhos do Dão e os Queijos da Serra da região. Tenho a certeza de que os participantes vão gostar e vão querer regressar a Tábua», acrescentou David Pinto.

António Oliveira reforçou a ideia, lembrando que o concelho de Tábua é todo ele banhado pelos rios Mondego e Alva, pelo que o Rowing Tour faz todo o sentido acontecer neste território.

Refira-se que o Turismo Centro de Portugal é a entidade que estrutura e promove o turismo na Região Centro do país. Esta é a maior e mais diversificada área turística nacional, abrangendo 100 municípios, e tem registado um intenso crescimento da procura interna e externa.

É a região a escolher para quem pretende experiências diversificadas, pois concilia locais Património da Humanidade com a melhor costa de surf da Europa, termas e spas idílicos, locais de culto de importância mundial e as mais belas aldeias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.