Portugal inicia odisseia dos ISDE no “top ten”

No primeiro dia da 94.ª edição dos International Six Days Enduro, Diogo Ventura foi o melhor português em termos individuais, na 19.ª posição da classe E1. Já o conimbricense Frederico Rocha, o mais novo piloto português em prova, atrasou-se com o tubo do travão da frente da sua Husqvarna roto.

(auto.look2010@gmail.com)

Começaram hoje no Algarve os International Six Days Enduro (ISDE), com os primeiros raios de sol – precisamente às 7h00 – a apadrinhar, finalmente, os motores no palanque de partida da prova que, pela terceira vez, realiza-se em Portugal.

O Autódromo Internacional do Algarve recebe ao longo de toda esta semana os mais de 600 pilotos e máquinas e entre os participantes estão as três selecções nacionais que discutem os troféus que, ano após ano, são alvo de “cobiça” e intensa luta por parte das equipas que enfrentam a prova de forma colectiva ao invés de individualmente como acontece com o campeonato do mundo da especialidade.

Neste primeiro dia de competição, os pilotos enfrentaram duas voltas a um percurso com 145 quilómetros, encarando, igualmente, três especiais em cada volta, às quais se juntou aquela que será sempre a especial final em todos os primeiros cinco dias de competição.

Num dia onde a chuva surgiu de forma tímida mas sem incomodar os pilotos e em que todos os elementos das selecções nacionais fecharam uma jornada cautelosa, sem exageros, o principal objectivo foi mesmo tomar pulso à corrida.

No final desta segunda-feira e no regresso ao “paddock”, localizado no Autódromo Internacional do Algarve, a selecção sénior ocupa o 10.º posto da classificação geral, cabendo aos juniores a 12.ª posição entre as equipas presentes. As três pilotos da selecção feminina fecharam este primeiro dia na sétima posição.

Individualmente, o piloto do Góis Moto Clube, Diogo Ventura, ocupa a 19.ª posição na classe E1, Tomás Clemente é o 27.º e Rodrigo Belchior o 31.º. Já Diogo Vieira é o 26.º da E2 e Manuel Teixeira o 38.º. Na E3, João Lourenço é o 15.º e Gonçalo Reis o 16.º.

Nas Senhoras, Joana Gonçalves fechou o dia na 10.ª posição da classificação geral, com Rita Vieira no 18.º posto e Bruna Antunes no 22.º lugar.

Na sequência de três quedas, Diogo Ventura foi caindo na tabela classificativa, mas o piloto do Góis Moto Clube acabou por conduzir a sua Honda à melhor posição entre a “armada” lusitana, ultrapassando todas as dificuldades do percurso desenhado pela organização para os dois primeiros dias e que tem o nome de Rota do Menir.

«Não comecei muito bem pois logo nas primeiras duas especiais sofri duas quedas mas ao longo do dia foi recuperando o meu ritmo e subindo na classificação nas especiais, mas na penúltima especial – a especial do paddock – enfiou-se uma “verguinha” de aço pelo disco da roda dianteira, bloqueando a roda o que me fez capotar por cima da mesma. Demorei algum tempo a retirar o ferro, cerca de 40 segundos, voltando a descer na classificação geral», disse Diogo Ventura.

O piloto de Góis regressa esta terça-feira ao mesmo percurso que hoje foi utilizado, encontrando novamente as mesmas especiais onde irá lutar contra uma feroz concorrência com o objectivo de subir lugares na classificação da prova.

 

FREDERICO ROCHA CAIU “DESAMPARADO” NA CLASSIFICAÇÃO

Refira-se, por outro lado, que o segundo mais jovem piloto presente nos International Six Days Enduro, Frederico Rocha, terminou a odisseia de hoje na 68.ª posição referente à classe C1, num dia marcado pela contrariedade, numa altura em que rodava nos lugares cimeiros.

Ao fim do dia, e quando nada o fazia prever, Frederico Rocha, que mantinha uma toada consistente mas sem correr riscos desnecessários, viu-se entregue a trabalhos redobrados, com o tubo de travão da frente da sua Husqvarna roto.

Mas como um azar nunca vem só, o jovem piloto de Coimbra, com apenas 17 anos de idade, arregaçou as mangas e entregou-se de “alma e coração” a esta “cirurgia” exaustiva que lhe custou uma penalização de oito minutos e um trambolhão desesperado na tabela classificativa.

Com o número 607 na sua Husqvarna, Frederico Rocha, campeão nacional em título de Verdes1 e Youth CUP e apoiado pela Mx Wise, está motivado para enfrentar nova jornada esta terça-feira com a determinação que lhe reconhecida, com o objectivo de recuperar posições e mostrar a sua raça de betão.

Esta terça-feira, segundo dia de prova, os pilotos voltam a enfrentar o mesmo percurso – A Rota do Menir – que é a mais antiga prova com o “selo” da Federação Internacional de Motociclismo.

CLASSIFICAÇÃO – APÓS 1.º DIA

WORLD TROPHY

1.º Austrália, 2h20m03,19s; 2.º Estados-Unidos, a 19,53s; 3.º Itália, a 2m03,59s; 4.º Grã-Bretanha, a 2m23,91s; 5.º Finlândia, a 2m38,75s; 10.º Portugal, a 8m03,73s.

JUNIOR TROPHY

1.º Austrália, 2h22m17,73s; 2.º Estados Unidos, a 1m14,10s; 3.º França, a 2m04,48s; 4.º Itália a 2m04,91s; 5.º Grã-Bretanha, a 3m15,87s; 12.º Portugal, a 13m18,03s.

WOMEN TROPHY

1.º Alemanha, 1h45m38,59s; 2.º Estados Unidos, a 5.45s; 3.º Austrália, a 1m02,66s; 4.º Grã-Bretanha, a 1m57,14s; 5.º Espanha a 4m46,01s; 7.º Portugal, a 6m41,21s.

Partilhe

Deixe um comentário

avatar
  Inscrever  
Notificação