Por caminhos reais imaginados por Saramago

O Escape Livre, em parceria com a Suzuki, os Territórios do Côa e a Fundação Saramago, levou, de 15 a 19 de junho, uma centena de pessoas a percorrer os trilhos fora de estrada do elefante Salomão, contados por José Saramago no livro “A viagem do Elefante”.

(auto.look2010@gmail.com)

A primeira vez é sempre marcante. E a primeira edição do Off Road Caminho de Salomão foi isso mesmo. Durante cinco dias, uma caravana de 40 viaturas todo terreno, encabeçadas pelos modelos Suzuki como viatura oficial, partiu da Torre de Belém, em Lisboa, rumo a Castelo Rodrigo, percorrendo os caminhos descritos pelo nobel da Literatura na sua obra “A Viagem do Elefante”.

A história é simples de contar. Existiu, no século XVI, um elefante que caminhou de Lisboa a Viena, para ser oferecido pelo Rei de Portugal, D. João III, ao seu primo, Maximiliano II, Arquiduque da Áustria. A estória conta-se no livro “A Viagem do Elefante” de José Saramago e, antes de sair de Portugal rumo a Valladolid, Salomão partiu de Lisboa, terá viajado pelos antigos caminhos e Estradas Reais que ligavam a capital do reino a Constância, Castelo Novo, Belmonte e Castelo Rodrigo.

O primeiro dia desta aventura ficou reservado para a chegada das equipas ao Hotel Vila Galé Ópera, em Lisboa. Durante a tarde de quarta-feira, as equipas que chegaram mais cedo, ainda tiveram a oportunidade de visitar a Fundação Saramago, antes do jantar de boas-vindas, na companhia de Ana Guerreiro, responsável de vendas e marketing da Suzuki Motor Ibérica, Portugal, que aproveitou para desejar boa viagem a todos os participantes.

«Este será um passeio marcante, liderado por uma equipa especialista em todo terreno e no qual, a Suzuki, marca de referência também no todo terreno tem o orgulho de ser a marca oficial, com alguns dos seus modelos mais icónicos, como são o Vitara, o Jimny e o S-Cross a encabeçar a caravana».

A acompanhar esta viagem, esteve também o historiador Joel Cleto. Depois de ter estado em Salzburgo, onde foi visitar o lugar onde José Saramago ficou a conhecer a história que deu origem ao romance, aproveitou o momento para fazer um enquadramento histórico a todos os participantes antes do início da viagem.

A confiança de todos à partida para esta longa viagem, em grande parte por trilhos fora de estrada, ficou reforçada com a presença da assistência aos pneus ao longo de todo o percurso, cortesia da Bridgestone e das oficinas First Stop, parceiros oficiais desta aventura, em conjunto com a Valorpneu, os relógios CAUNY e a RFM.

A manhã de quinta-feira levou a caravana até à Torre de Belém, local de onde partiu o elefante Salomão para a sua viagem. Com o apoio da Câmara Municipal de Lisboa e da Polícia Municipal, os cerca de 40 veículos 4×4 posaram para a fotografia, com o emblemático monumento como pano de fundo. Ana Guerreiro voltou a marcar presença para dar a todos a partida para esta viagem.

Este primeiro dia de aventura até Constância, começou por explorar os trilhos junto ao Tejo que guiaram os participantes até Salvaterra de Magos, para uma visita à Falcoaria Real, com a presença da vice-presidente da Câmara, Helena Neves, a receber toda a comitiva. Já depois de uma passagem por Escaroupim, chegada à Casa Cadaval, para um merecido repasto acompanhado dos magníficos vinhos que ali se produzem.

A parte da tarde continuou até ao Miradouro do Castelo de Almourol, para depois se atingir Constância, para uma visita mais prolongada. Aqui, com a colaboração da Associação Casa Memória de Camões, os participantes puderam desfrutar de uma visita guiada ao Jardim Horto de Camões, ouvindo a história da flora ali presente com referência nos Lusíadas.

Depois, tempo para viajar até Tomar, ao Hotel dos Templários, para jantar e um merecido descanso. Afinal, também o elefante Salomão precisou de vários dias para chegar ao seu destino!

A caminho de Castelo Novo muito para ver, para visitar e para provar. A começar pelas magníficas paisagens do Miradouro do Bando dos Santos e a passagem pelo rio Ocreza. Aqui, onde se esperava um momento de condução emocionante, os participantes puderam apenas ver ao vivo as consequências de um ano de seca intensa.

Daí até Proença-a-Nova foi um saltinho. E a equipa liderada por Fernando Almeida, no Hotel Amoras Country Club, já esperava pelos participantes para um almoço recheado da melhor gastronomia local.

A parte da tarde ficou assinalada em Almaceda, onde, na quase renovada praia fluvial, a Junta de Freguesia preparou um pequeno miminho para todos. Já depois de uma passagem por São Vicente da Beira e Casal da Serra, iniciou-se a descida pela antiga Estrada Real até Castelo Novo. As paisagens de cortar a respiração abrandaram o andar da caravana, ao ritmo das muitas fotografias da praxe.

Já na Aldeia Histórica de Castelo Novo, a equipa de guias levou os participantes a percorrer as ruas cheias de história e a subir ao imponente e belíssimo castelo. Os quilómetros que ainda faltavam percorrer eram curtos e levavam a caravana até ao Hotel Alambique de Ouro, onde iria pernoitar e onde ao jantar tomaram conhecimento do projeto Golden Rock, um ponto de visita obrigatória já em 2023.

Aqui, juntaram-se à caravana Dulcineia Catarina Moura, responsável da Rota Literária “A Viagem do Elefante” dos Territórios do Côa e Carlos Condesso, Presidente da Câmara de Figueira de Castelo Rodrigo. A nova equipa, que se junta agora à restante caravana a bordo de um Suzuki Vitara, iria acompanhar os últimos dois dias de viagem até ao destino final, Castelo Rodrigo.

Manhã de sábado a visitar o Castelo e o Museu dos Descobrimentos e a almoçar na Pousada de Belmonte com um magnífico repasto beirão, acompanhado, naturalmente, pelos vinhos da região.

A parte da tarde levou os participantes até à Aldeia Histórica de Sortelha, para mais uma visita a não perder, para depois seguir caminho até ao Castelo do Sabugal com a paragem obrigatória para um Cof fee Break nas Termas do Cró, no Cró Hotel Rural e Termal Spa.

Foi o Hotel Lusitânia Congress & Spa a receber os participantes no final de mais um dia de viagem, num jantar que voltou a dar a provar as iguarias regionais. Tempo para entregar a todos os participantes o troféu SPAL, que assinala a primeira edição do Off Road Caminho de Salomão.

A caminho de Castelo Rodrigo, passagem pela aldeia que José Saramago apelidou de “Calcanhar do Mundo”. Aqui, pausa para as famosas farturas dos passeios Escape Livre e visita à Casa-Forte para descobrir o magnífico Pálio bordado a ouro, e um dos segredos mais bem guardados das tradições da Beira Interior.

Depois, passagem pela serra da Marofa antes da aguardada chegada a Castelo Rodrigo. Aqui, no almoço de encerramento, o anfitrião, Carlos Condesso, presidente da Câmara Municipal de Figueira de Castelo Rodrigo, aproveitou para dar as boas-vindas a todos e reforçar que «são eventos como este que dinamizam a região e criam valor para estes territórios onde as gentes e as tradições são reis e rainhas de uma cultura e gastronomia ímpares em Portugal».

Já Dulcineia Catarina Moura, coordenadora dos Territórios do Côa, afirmou que «a simbiose entre o Off Road Caminho de Salomão e a Rota Literária – A Viagem do Elefante é algo que engrandece ambos os projetos e reforça o seu potencial de atração para região».

Para Luís Celínio, presidente do Escape Livre, «é sempre um misto de emoção e nervosismo fazer um passeio desta dimensão pela primeira vez». «Felizmente, graças ao apoio de todos os patrocinadores e entidades locais, ao espírito fantástico dos participantes e ao profissionalismo dos nossos colaboradores, temos a certeza de que iremos repetir este Off Road Caminho de Salomão durante muitos anos», sublinhou ainda.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.