Pilotos Honda no Esports WTCR Series

Devido à pandemia mundial causada pelo Covid-19, os pilotos Honda preparam a sua época no Esports WTCR Series. As corridas serão exibidas nos meios de comunicação do WTCR.

(auto.look2010@gmail.com)

Os quatro pilotos WTCR – FIA World Touring Car Cup estão prontos para dar o seu contributo, de forma a entreter os fãs enquanto se preparam para a corrida de abertura da pré-época da Esports WTCR Series. Os pilotos Esteban Guerrieri, Nestor Girolami, Tiago Monteiro e Attila Tassi aceitaram o convite para competir numa mini competição de quatro voltas, que também contará com pilotos profissionais de simuladores virtuais de corridas, tendo sido criado de forma a preencher o tardio início da época de 2020. Os quatro irão estar a competir em versões virtuais dos seus automóveis WTCR da época de 2019.

Tendo reunido oito vitórias de forma conjunta no WTCR nos seus Honda Civic Type R TCR em 2019, os quatro pilotos estão conscientes de que podem não estar à altura de desafiar a elite de pilotos de simuladores virtuais, no entanto estão prontos para entrar no espírito competitivo contra alguns dos seus concorrentes “reais” do WTCR.

Esta iniciativa foi desenvolvida pela Eurosport Events, em conjunto com o seu parceiro RaceRoom, tendo sido recebida pela Honda como uma forma de recompensar e se envolver com os fãs de WTCR durante uma espera sem precedentes devido à pandemia causada pelo Covid-19.

A corrida de abertura decorreu esta segunda-feira à tarde através de uma sessão virtual no Hungaroring, onde deveria decorrer a abertura da época do WTCR. As corridas foram exibidas nos meios de comunicação do WTCR como Facebook e YouTube.

Nestor Girolami utiliza com regularidade o seu simulador de forma a preparar-se para os eventos do WTCR e, embora esteja actualmente na Argentina, o seu país de origem, obteve um simulador no mês passado e treina em casa desde então.

O seu compatriota e companheiro de equipa em 2019 do ALL-INKL.COM Münnich Motorsport, Esteban Guerrieri, vice-campeão do WTCR do ano passado, está determinado a aprender os “truques” da plataforma RaceRoom de forma a maximizar o seu desempenho.

A participação do piloto português, Tiago Monteiro, é um salto para o mesmo, uma vez que disputou a sua primeira corrida de “Esports” no mês passado. O jovem piloto, de 20 anos, Attila Tassi, tal como Tiago Monteiro, será enfrentado com algo desconhecido ao mesmo tempo que se tenta familiarizar, pela primeira vez, com a plataforma RaceRoom utilizada no Esports WTCR.

ESTEBAN GUERRIERI: “HÁ MANOBRAS

QUE NÃO SÃO APLICADAS NA VIDA REAL”

«Na verdade, quando eu compito, não me importo contra quem estou a competir, apenas me importo em dar o meu melhor. Enquanto conseguir fazer um bom trabalho para mim mesmo, nos padrões que considero bons, ficarei feliz e tentarei ter o maior foco possível. Sempre acreditei que a seriedade e o foco que se coloca nos treinos acaba por se reflectir na conquista de pontos ou do campeonato. Por este motivo, penso que um simulador virtual é uma óptima forma para se praticar. São necessárias muitas e muitas horas de prática para se adquirir estas competências, são semelhantes, mas nunca é o mesmo. Existem manobras que provavelmente não são aplicadas completamente na vida real mas que tenho de tentar aprender».

NESTOR GIROLAMI: “VAMOS TER PELA

FRENTE DOIS A TRÊS MESES PARA PRATICAR”

«Considero uma iniciativa muito boa da RaceRoom e do WTCR, especialmente para os fãs. Eles merecem ver-nos a competir, por eles, pelos patrocinadores e pela Honda. Penso que é uma boa forma de começar a época, mesmo que não se possa começar na vida real. Na minha opinião, é uma prática muito boa antes de começar a época, mesmo que ainda não saibamos quando será o seu início. Ainda temos pela frente, pelo menos, dois a três meses em que poderemos continuar a praticar. Ter a oportunidade de praticar desta forma é a melhor forma de continuar em forma».

 

TIAGO MONTEIRO: “ESTA INICIATIVA

É IMPORTANTE PARA FÃS E PATROCINADORES”

«Neste momento, esta é uma óptima forma de entreter os fãs e é a razão pela qual eu quero participar. Esta iniciativa será importante para os fãs, para o público e até para os patrocinadores. Quero ser justo e entreter toda a gente pois acredito que isso faz parte do meu trabalho. Nunca competi no RaceRoom e já me informaram que é completamente diferente de outras plataformas. Não estou com expectativas “loucas”, mas o importante não é estar lá para ganhar, apenas participar e desfrutar. Posso ficar em último ou noutra posição, mas o que realmente importa é mostrar o nosso compromisso».

 

ATTILA TASSI: “MUITO POSITIVO

A COMPETIÇÃO TER COMEÇADO NO MEU PAÍS”

«Embora o ambiente do RaceRoom seja muito distinto do que estou habituado nas corridas em simuladores, se pusermos isso de lado, penso que é uma excelente ideia para nos mantermos a competir e para que os fãs estejam entretidos durante este período menos bom e, ainda, fazer parte da equipa Honda. Considero positivo o facto desta competição começar no meu país, no circuito de Hungaroring, mesmo que não possamos estar fisicamente no evento nem conduzir o meu Honda. Não sei exactamente o que esperar, mas o principal não será o resultado, mas sim desfrutar e divertir-me nestas corridas».

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

%d bloggers like this: