“Peter” e Fiúza ganham e agitam nos automóveis

A três etapas do final do Rali Dakar, a competição está relançada nos automóveis. Carlos Sainz perdeu-se na nona de 12 etapas, deixando Nasser Al-Attiyah a 24 segundos. A dupla franco-portuguesa está a pouco mais de meia dezena de minutos do topo. Nas motos, a classificação está praticamente definida. Ou talvez não…

PEDRO RORIZ E CARLOS SOUSA (auto.look2010@gmail.com)

Com as emoções ainda presentes provocadas pela morte de Paulo Gonçalves, que tinha levado à anulação da etapa de ontem, para motos e “quads”, com o aumento de dificuldades para as equipas dos automóveis que não tinham marcas de referência para seguir, o “Dakar” retomou a normalidade, com os todos a alinharem na etapa de hoje.

Nos automóveis foi o “dia mau” do espanhol Carlos Sainz (Mini), que furou, perdeu mais de seis minutos para a dupla franco-portuguesa, Stéphane Peterhansel e Paulo Fiúza (Mini), que foi a mais rápida no Sector Selectivo (SS), ao bater o qatari Nasser Al-Attiyah (Toyota Hilux)) por 15 segundos, o que diz bem da intensidade entre as duas equipas.

Stéphne Peterhansel e Paulo Fiúza gastaram 3h08m31s para cumprirem os 410 quilómetros da especial cronometrada entre Wadi Al Dawasir a Haradh, na Arábia Saudita. O segundo lugar de Nasser Al-Attiyah deixou-o a 24 segundos do comando, enquanto o francês está a pouco mais de seis minutos, o que significa que os derradeiros dias da competição vão ser empolgantes. O árabe Yazir Seaidan (Mini) fechou os lugares do pódio, a 4m48s da dupla vencedora.

«Esta foi mais uma especial completamente ao ataque. Tentámos elevar o ritmo desde o início, mas sem nunca acelerar em demasia. Não cometemos erros de navegação. Vamos tentar continuar a pressionar o líder», declarou Stéphane Peterhansel, no final.

Mais desanimado estava Carlos Sainz: «Não foi um dia bom para nós. Primeiro, perdemo-nos no início da especial e cedemos uns cinco minutos. Mais tarde, o pneu começou a desfazer-se e perdemos mais algum tempo», explicou, segurando o comando da prova por menos de meio minuto.

Com consequência de ter ganho a etapa anterior, Matthieu Serradori perdeu mais de 28 minutos na especial de hoje, caindo para a oitava posição da classificação geral.

A recuperar, embora a vitória esteja longe de poder acontecer, está o espanhol Fernando Alonso (Toyota Hilux) que, na estreia na competição, já está no “top ten”, com o letão Benediktas Vanagas (Toyota), que é navegado pelo português Filipe Palmeiro, a subir dois lugares e a ascender ao 17.º posto.

PABLO QUINTANILLA OFERECE VITÓRIA À HUSQVARNA

Nas motos, Pablo Quintanilla demorou 3h30m33s para cumprir os 410 quilómetros da especial cronometrada de um total de 476 que compunham a etapa que ligou Wadi Al Dawasir a Haradh. Em segundo lugar terminou o norte-americano Toby Price (KTM), a 1m54s do chileno, e o espanhol Joan Barreda (Honda) foi o terceiro classificado, a 2m42s.

Mário Patrão (KTM) foi, desta vez, o melhor português, no 26.º lugar, a 26m55s do vencedor. Fausto Mota (Husqvarna) foi 35.º e António Maio (Yamaha), penalizado em 15 minutos, 38.º.

Na classificação geral, o norte-americano Ricky Brabec (Honda), que foi quarto classificado na etapa de hoje, mantém a liderança, agora com 20m53s de vantagem sobre Pablo Quintanilla, depois de hoje ceder 3m55s. Toby Price subiu aos lugares do pódio e já é terceiro, a 26m43s do líder. António Maio é 28.º, Fausto Mota 33.º e Mário Patrão 35.º.

Os pilotos da marca japonesa, dirigidos pelo português Ruben Faria, a gerirem a prova de forma que o norte-americano Ricky Brabec possa vencer e interromper o domínio da KTM, vencedora desde 2001, que tem o vencedor do ano passado, o australiano Toby Price (KTM), no terceiro lugar.

Nos SSV, o norte-americano Blade Hildebrand (OT3) foi o mais rápido no SS, em que o zimbabueano Conrada Rautenbach (PH-Sport), que é acompanhado pelo português Pedro Bianchi Prata, a fazer o sétimo tempo, a 13m55s, mantendo-se, no entanto, na quarta posição da geral. Em termos globais, o norte-americano Casey Currie (Can Am) é o primeiro,

10.ª ETAPA ABRE PRIMEIRA PARTE DA ETAPA MARATONA

Amanhã é um dia difícil, com um Sector Selectivo de 534 km e 74 km de ligação, entre Haradh e Shubaytah, onde a caravana pernoita, sem assistência, uma vez que esta é a primeira parte da etapa maratona. Quase sempre em traçado fora de pista, as maiores dificuldades estarão nos derradeiros 30 km, todos eles percorridos em dunas, que não deixarão de ser uma preocupação para pilotos e navegadores. Para compensar os 45% de dunas, há 23% em asfalto, a que se juntam 12% em terra e 20% em areia.

CLASSIFICAÇÕES

9.ª ETAPA (415 KM)

MOTOS – 1.º, Pablo Quintanilla (Husqvarna), 3.30’33”; 2.º, Toby Price (KTM), a 2’42”; 3.º, Joan Barreda Bort (Honda), a 2’42”; 4.º, Ricky Brabec (Honda), a 3’55”; 5.º, Ross Branch (KTM), a 5’30”; 6.º, Kevin Benavides (Honda), a 5’50”; 7.º, Luciano Benavides (Honda), a 6’08”; 8.º, Jose Cornejo (Honda), a 6’23”; 9.º, Andrew Short (Husqvarna), a 6’57”; 10.º, Matthias Walkner (KTM), 8 4’07”; …; 25.º, Mário Patrão (KTM), a 26’55”; …; 34.º, Fausto Mota (Husqvarna), a 38’29”; …; 37.º, António Maio (Yamaha), a 39’45”; …;

AUTOMÓVEIS – 1.º. Stéphane Peterhansel/Paulo Fiuza (Mini), a 3.08’31”; 2.º, Nasser Al-Attiyah/Mathieu Baumel (Toyota), a 15”; 3.º, Yasir Seaidan/Kuzmich Alexy (Mini), a 4’48”; 4.º, Jakub Przygonski/Timo Gottschalk (Orlen), a 6’23”; 5.º, Carlos Sainz/Lucas Cruz (Mini), a 6’31”; 6.º, Yazzed Al-Rahji/Konstantin Zhiltsov (Toyota), a 8’22”; 7.º, Bernhard Ten Brinke/Tom Colsoul (Toyota), a 8’30”; 8.º, Giniel De Villiers/Alex Haro (Toyota), a 11’16”; 9.º, Fernando Alonso/Marc Coma (Toyota), a 13’03”; 10.º, Orlando Terranova/Bernardo Graue (Mini), a 13’10”; …;  17.º, Benediktas Vanagas/Filipe Palmeiro (Toyota), a 21’05”.

SSV – 1.º, Blade Hildebrand/François Cazalet (OT3), 4.00’42”; 2.º, Mitchell Guthrie/Ola Floene (Can-Am),a 58”; 3.º, Casey Currie/Sean Berriman (Can-Am), a 3’30”; 4.º, Sergei Kariakin/Anton Vlasiuk (Can-Am), a 10’27”; 5.º, Francisco Lopez/Juan Pablo Vinagre (Can-Am), a 11’27”; …; 7.º, Conrad Rautenbach/Pedro Bianchi Prata (PH-Sport), a 13’55”.

GERAL

MOTOS – 1.º, Ricky Brabec (Honda), 31.59’29”; 2.º, Pablo Quintanilla (Husqvarna), a 20’53”; 3.º, Toby Pryce (KTM), a 26’43”; 4.º, Joan Barreda Bort (Honda), a 28’16”; 5.º, Jose Cornejo (Honda), a 29’29”; 6.º, Matthias Walkner (KTM), a 37’16”; 7.º, Luciano Benavides (KTM), a 41’11”; 8.º, Franco Caimi (Yamaha), a 1.21’04”; 9.º, Skyler Howes (Husqvarna) a 1.24’24”; 10.º, Stefan Svitko (KTM), 1.30’35”; …; 28.º, António Maio (Yamaha), a 5’27’52”; …; 33.º, Fausto Mota (Husqvarna), a 6’50’01”; …; 35.º, Mário Patrão (KTM), a 7.12’37”

AUTOMÓVEIS – 1.º, Carlos Sainz/Lucas Cruz (Mini), 35.11’54”; 2.º, Nasser Al-Attiyah/Mathieu Baumel (Toyota), a 24”; 3.º Stéphane Peterhansel/Paulo Fiuza (Mini), a 6’38”; 4.º, Yazzed Al-Rahji/Konstantin Zhiltsov (Toyota), a 34’16”; 5.º, Orlando Terranova/Bernardo Graue (Mini), a 49’41”; 6.º, Giniel De Villiers/Alex Haro (Toyota), a 57’57”; 8.º, Bernard Ten Brinke/Tom Colsoul (Toyota), a 1.08’59”; 8.º, Mathieu Serradori/Fabian Lurquin (Century), a 1.24’20”; 9.º, Yasir Seaidan/Kuzmich Alexy (Mini), a 2.35’35”; 10.º, Fernando Alonso/Marc Coma (Toyota),a 3.17’23; …; 17.º, Benediktas Vanagas/Filipe Palmeiro (Toyota), a 6.17’48”.

SSV – 1.º, Casey Currie/Sean Berriman (Can-Am), 43.51’49”; 2.º, Francisco Lopez/Juan Pablo Vinagre (Can-Am), a 23’37”; 3.º, Sergei Kariakin/Anton Vlasiuk (Can-Am), a 41’26”; 4.º, Conrad Rautenbach/Pedro Bianchi Prata (PH-Sport), a 1.16’28”; 5.º, Jose Antonio Lopez/Diego Gil (Can-Am), a 1.17’53”.

Partilhe

Deixe um comentário

avatar
  Inscrever  
Notificação