Paulo Gonçalves vai ter alta dentro de uma hora

Apesar da queda que ditou o abandono ao quilómetro 173 da 5.ª etapa do Rali Dakar, Paulo Gonçalves vai ter alta hospitalar, dentro de uma hora, com os exames médicos a ditarem que não tem nenhuma fractura.

CARLOS SOUSA (carlos.sousa@autolook.pt)

Paulo Gonçalves à partida para a 41.ª edição do Dakar

Paulo Gonçalves, vítima de uma queda aparatosa que lhe provocou um traumatismo craniano ligeiro, obrigando-o a ser evacuado de helicóptero para uma unidade de saúde, não tem nada fracturado e vai ter alta hospitalar dentro de uma hora. O piloto de Esposende estava bem-disposto nos últimos minutos na companhia do médico e fisioterapeuta da Monster Energy Honda Team, Andoni, e Pedro Bianchi Prata, não se tendo confirmado, felizmente, a suspeita de fractura na mão direita como inicialmente foi avançada.

Paulo Gonçalves contou ter sentido muitas dores após a queda que o tirou da prova e deixou um agradecimento a Sam Sunderland, o piloto da KTM que parou para o ajudar. O piloto da Honda, que vinha de uma intervenção cirúrgica realizada há um mês, em Évora para retirar o baço, sublinhou que quando «seguia de forma tranquila, sem querer cometer qualquer excesso e não sei sequer como caí».

Paulo Gonçalves aos comandos da Honda 450 Rally

«Julgo ter batido numa pedra escondida e fui projectado numa zona de fesh-fesh. Senti muitas dores após a queda, deixando uma palavra de agradecimento e apreço ao Sam (Sunderland) por ter parado e auxiliar-me de forma pronta e sem querer ir atrás de um bom resultado», sublinhou Paulo Gonçalves.

Na companhia do médico Andoni e do portuense Pedro Bianchi Prata, ambos integrados na equipa Monster Energy Honda Team, Paulo Gonçalves está de saída da unidade hospitalar e seguir para o bivouac e juntar-se aos companheiros de equipa e restantes sobreviventes da 41.ª edição do Dakar, onde retemperam energias no dia de descanso.

Partilhe

Deixe um comentário

avatar
  Inscrever  
Notificação