Paulo Antunes dominou Montelongo – Carlos Vieira

Em Fafe viveu-se a festa do desporto automóvel, com o Rali Montelongo – Carlos Vieira, prova que contou para o Campeonato Norte de Ralis, Copa 106 e Challenge 1.000 cc. O triunfo foi caseiro e reclamado por Paulo Antunes e Natacha Antunes em Peugeot 208 VTi.

(auto.look2010@gmail.com)

A prova organizada pelo Clube de Desportos Motorizados do Porto (DEMOPORTO), foi dominada por Paulo e Natacha Antunes (Peugeot 208 VTi). Um domínio que começou pela especial inaugural (Montim). A dupla de Fafe começou da melhor forma, vencendo com o tempo de 3m 48,2s, bateram Filipe Madureira e Emanuel Gonçalves (Mitsubishi Lancer EVO IX), por 7,8s.

Mário Castro e Ricardo Cunha (Ford Fiesta Eco Boost) rodaram em mais dois segundos do que Filipe Madureira e fizeram o terceiro tempo, à frente de Luís Azevedo e Gabriel Cunha (Mitsubishi Lancer EVO VII), por 6,8s. Problemas mecânicos ditaram os abandonos de Pedro Lopes e Duarte Gouveia (Peugeot 207 RC/GTi) e pela dupla formada por José Adriano Costa e Tiago Ferreira (Nissan Micra). António Veiga e Ricardo Barbosa (Peugeot 106) saíram de estrada e desistiraam. O acidente não teve consequências para a equipa.

A primeira passagem pela especial de Rio Vizela ditou nova vitória de Paulo Antunes e Natacha Antunes, assinando o melhor tempo (6m 40,0s) e reforçaram a liderança, que em termos de geral é agora de 20 segundos. Mário Castro e Ricardo Cunha (Ford Fiesta Eco Boost) imprimiram um ritmo muito forte, e foram segundos, com a marca de 6m 50,7s e dessa forma ultrapassaram Filipe Madureira e Emanuel Gonçalves (Mitsubishi Lancer EVO IX).

Luís Azevedo e Gabriel Cunha (Mitsubishi Lancer EVO VII) eram os quartos, à frente dos “clássicos” Ilderico e Marco Almeida (Triumph Dolomite Sprint). Após a primeira ronda, Rafael Marques Pereira e Sandro Pereira comandam na Copa Peugeot 106, com uma luta animada com Rafael e Gonçalo Cunha e ainda com José Veiga e Edgar Nova.

Os bairradinos apoiados por AUTOLOOK, Pedro Pereira e Sandro Trindade (Peugeot 107), mantiveram a condição de comandantes do Challenge 1000cc, imiscuindo-se, inclusive, entre algumas viaturas da Copa 106, com João Pestana e André Pestana (Toyota Aygo), em estreia nesta competição de Art of Speed, a rodar mais atrás.

Os problemas mecânicos voltaram a fazer baixas. António Carvalho e Francisco Vieira Leite, em Fiat Punto HGT e Cesar Rodrigues e Aristides Carvalho (Peugeot 206) ficaram pelo caminho.

Na segunda passagem por Montim, Filipe Madureira e Emanuel Gonçalves (Mitsubishi Lancer EVO IX) lançaram o ataque que lhes permitiu ganhar dois segundos a Paulo Antunes e Natacha Antunes (Peugeot 208 VTi). Foram os mais rápidos na classificativa, mas mantiveram o terceiro posto da geral, agora apenas a uma décima dos segundos classificados: Mário Castro e Ricardo Cunha (Ford Fiesta Eco Boost).

Luís Azevedo e Gabriel Cunha (Mitsubishi Lancer EVO VII) continuavam a ser quartos, quer na classificativa, quer na geral. Hugo Araújo e Fernando Miguel (Fiat Punto HGT) tomaram de assalto o quinto posto, desalojando para o sexto lugar Ilderico e Marco Almeida (Triumph Dolomite Sprint). Manuel Pereira e Pedro Alves (Ford Escort) desistiram com problemas mecânicos.

Na quarta especial (Rio Vizela 2), Paulo Antunes Antunes e Natacha Antunes (Peugeot 208 VTi), voltaram a assinar o melhor tempo, depois de uma prova que quase parecia tirada a papel químico, face à passagem anterior. Fizeram a classificativa em 6m 40,1s, ou seja uma décimas mais lentos do que na primeira passagem.

Mário Castro e Ricardo Cunha (Ford Fiesta Eco Boost) foram 5,8s mais lentos mas reforçavam o segundo posto, agora três segundos à frente de Filipe Madureira e Emanuel Gonçalves (Mitsubishi Lancer EVO IX). O quarto lugar era de Luís Azevedo e Gabriel Cunha (Mitsubishi Lancer EVO VII).

Ilderico e Marco Almeida (Triumph Dolomite Sprint) foram 14 segundos mais lentos do que na passagem prévia e assim perderam três posições de uma assentada. Hugo Araújo e Fernando Miguel (Fiat Punto HGT) continuaram a imprimir um ritmo rápido e passaram para quintos, à frente de Paulo Pereira e Pedro Costa (Suzuki Swift).

Rafael Marques Pereira e Sandro Pereira mantinham-se na frente na Copa Peugeot 106 e logo a seguir continuava a luta animada, mas agora José Veiga e Edgar Nova tinham levado a melhor sobre Rafael e Gonçalo Cunha.

Pedro Pereira e Sandro Trindade (Peugeot 107) eram os comandantes do Challenge 1000cc, com a oposição de João Pestana e André Pestana (Toyota Aygo) em “lume brando”. Enquand isso, João Fontes Pereira e Rita Martins desistiram por avaria no Peugeot 106.

A terceira passagem por Montim voltou a colocar Filipe Madureira e Emanuel Gonçalves (Mitsubishi Lancer EVO IX) no topo da especial. Ganharam um segundo a Paulo Antunes e Natacha Antunes (Peugeot 208 VTi), que parecem estar já a controlar a vantagem, pois dominam a prova com 30,9s de vantagem sobre a equipa da Peres Competições, que ficou com o segundo posto praticamente na mão.

Mário Castro e Ricardo Cunha (Ford Fiesta Eco Boost) rodaram num tempo muito modesto de 4m 32,8s, devido a problemas mecânicos e acabaram por ter que desistir na ligação. Luís Azevedo e Gabriel Cunha (Mitsubishi Lancer EVO VII) subiram, desta forma, uma posição e passaram a ser terceiros, à frente de Hugo Araújo e Fernando Miguel (Fiat Punto HGT). Paulo Pereira e Pedro Costa (Suzuki Swift) encerravam o grupo dos cinco da frente.

Ilderico e Marco Almeida desistiram com problemas mecânicos no Triumph Dolomite. Miguel Barroso e Cláudio Pinto (Renault Clio R3) faziam um pião, não conseguiam recolocar o carro em marcha e desistiam. Os concorrentes que os seguiam encontraram o Clio na estrada, não conseguiram passar e a prova foi neutralizada.

Na terceira ronda por Rio Vizela, Paulo Antunes e Natacha Antunes (Peugeot 208 VTi) baixaram o ritmo na última classificativa da prova, mas mesmo assim voltaram a realizar o melhor tempo e depois foi seguir até Fafe para receberem os troféus da geral, do grupo P1 e ainda o Troféu Carlos Vieira, para a equipa fafense melhor classificada.

Filipe Madureira e Emanuel Gonçalves (Mitsubishi Lancer EVO IX) geriram a prova e seguiram até ao segundo posto e à vitória no grupo P3. O pódio ficou fechado com os vencedores do grupo X3, Luís Azevedo e Gabriel Cunha (Mitsubishi Lancer EVO VII).

Hugo Araújo e Fernando Miguel fizeram uma óptima prova, que levava o Fiat Punto HGT ao quarto posto e à vitória no grupo X2. Seguiram-nos Paulo Pereira e Pedro Costa (Suzuki Swift), que ao quinto posto, juntam a vitória nos X1.

A Copa Peugeot foi vencida por Rafael Marques e António Pereira, que só mais para o fim da prova podiam descansar um pouco, pois os segundos, José Veiga e Edgar Nóvoa, andaram sempre por perto, tendo terminado a 16,9s. O terceiro posto foi conquistado por 6,8s e foi para Rafael Cunha e Gonçalo Cunha.

No Challenge 1.000cc, Pedro Pereira e Sandro Trindade levaram o Peugeot 107 à vitória. Tratou-se de um triunfo descansado e imaculado, já que os amarantinos João Pestana e André Pestana terminaram a cinco minutos.

Por fim o Grupo X5, onde militam as equipas que podem participar no Campeonato de Portugal de Ralis, ou seja: os carros com homologação, Vítor Pascoal e Ricardo Faria, dominaram com o Porsche 991 GT3. Com o tempo de 31m 00,9s teriam ganho a prova à geral, caso pudessem pontuar para o Regional.

José Paula e Jorge Carvalho (Peugeot 208 T16) foram os segundos classificados, depois de um prova corrida sem sobressaltos. O restante posto do pódio foi posse de Tiago Macedo e José Carlos Silva (Renault Clio Sport).

Partilhe

Deixe um comentário

avatar
  Inscrever  
Notificação