Ott Tanak oferece triunfo à Toyota em Portugal

O estónio conduziu o Yaris WRC ao lugar mais alto do pódio da prova do Automóvel Club de Portugal, sétima prova do Campeonato do Mundo de Ralis, deixando o belga Thierry Neuville (Hyundai i20 Coupe WRC) a 15,9 segundos, mas falhando o assalto à liderança do Mundial.

PEDRO RORIZ E CARLOS SOUSA (auto.look2010@gmail.com)

Final dramático do Vodafone Rali de Portugal, com o estónio Ott Tanak (Toyota Yaris WRC) a garantir a vitória, a primeira em Portugal, sendo o quinto piloto a vencer noutras tantas edições da prova no norte, e oitava da sua carreira, numa “Power Stage” interrompida por duas vezes.

Primeiro porque o inglês Gus Greensmith (Ford Fiesta WRC) “voou”, a roda dianteira esquerda soltou-se no momento da descolagem e quando “aterrou” foi à valeta e ficou atravessado no meio da estrada, levando à interrupção da especial, quando o finlandês Jari-Matti Latvala (Toyota Yaris WRC) tentava ir “buscar pontos” à “Power Stage”.

O finlandês foi mandado parar e teve o tempo atribuído pelo Director da Prova, sancionado pelo Colégio de Comissários Desportivos. A seguir foi o inglês Kris Meeke (Toyota Yaris WRC), então terceiro, que na especial tinha feito um pião e perdido a segunda posição, a bater numa pedra, logo na fase inicial da classificativa, com o carro a ficar atravessado e a obrigar à intervenção do pronto-socorro para o tirar do local, numa altura em que faltava entrar em acção os dois primeiros.

Contudo, nem um nem outro conseguiram bater o tempo do francês Sébastien Ogier (Citroën C3 WRC), que tinha sido “promovido” ao pódio pelo abandono do inglês e que ao vencer a “Power Stage” manteve o comando do campeonato, com um ponto de avanço sobre Ott Tanak.

A Toyota acabou por garantir a vitória, depois de ter tido a possibilidade de monopolizar o pódio, mas, ontem, a suspensão do carro de Jari-Matti Latvala e, hoje, os dois despistes de Kris Meeke fizeram com que a marca japonesa perde-se, primeiro, o pódio, e, depois o 1-2.

A Hyundai, que teve uma prova difícil, desde o inicio, com os problemas de bomba de gasolina nos carros do espanhol Dani Sordo (Hyundai i20 Coupé WRC) e o francês Sébastien Loeb (Hyundai i20 Coupé WRC), que os atrasaram, e depois optou por os fazer penalizar para os colocar à frente de Thierry Neuville, com o objectivo de “limpar a estrada” para o belga, que terminou em segundo, o que permite à marca sul-coreana terminar a primeira parte da temporada com 20 pontos de avanço sobre a Toyota.

O terceiro lugar de Sébastien Ogier “caiu-lhe no colo” face aos problemas que afectaram os seus adversários, mas nunca deu a sensação de poder entrar na discussão da vitória, embora saía de Portugal no comando do campeonato, com dois pontos de avanço sobre Ott Tanak.

 

ROVAMPERA VENCE RC2 E ARAÚJO O MELHOR PORTUGUÊS

Entre os RC2, que colocaram quatro carros nos 10 primeiros, o domínio pertenceu ao jovem finlandês Kalle Rovampera (Skoda Fabia R5 Evo), sexto da geral, com o checo Jan Kopecky (Skoda Fabia R5 Evo), oitavo, a confirmar que a nova versão do carro checo é competitiva, com Pierre-Louis Loubet (Skoda Fabia R5) a completar o pódio da categoria.

Entre os portugueses, Armindo Araújo e Luís Ramalho (Hyundai i20 NG R5) conquistaram o muito desejado título de “melhores portugueses”, depois de ter sido o mais pontuado, em termos de campeonato, face à classificação que se verificava após a primeira passagem por Amarante.

A dupla da Hyundai Portugal acabou no 16.º lugar da geral, à frente de Bruno Magalhães e Hugo Magalhães (Hyundai i20 NG R5) e Pedro Almeida e Nuno Almeida (Skoda Fabia R5), no 19.º e 21.º, respectivamente, com a curiosidade de ter ficado entre os dois o francês Sébastien Loeb (Hyundai i20 Coupe WRC).

Já o portuense José Pedro Fontes, navegado por Carlos Magalhães, (Citroen C3 R5), que hoje efectuou bons tempos depois de resolvidos os problemas que o afectaram nos dias anteriores, a ser, por norma, o mais rápido, encerrou o Vodafone Rali de Portugal na 23.ª posição.

Quem cumpriu com os objectivos traçados foi o piloto/jornalista João Fernando Ramos. O lousanense e pivot da RTP, navegado pelo José Janela, conduziu o Ford Fiesta R5 preparado pela espanhola RMC, sob a estruturação do engenheiro bracarense Gaspar Leite, ao top five entre a “armada lusitana.

João Fernando Ramos, que foi sempre fervoroso apoiante em levar o Rali de Portugal à Região Centro, esteve imparável ao longo das três etapas da prova do Automóvel Club de Portugal para fechar a uma prestação notável, culminando no 31.º lugar à geral.

No 35.º lugar e sextos melhores entre os portugueses terminaram Hélder Miranda e Rui Teixeira. A dupla de Cabeceiras de Basto recorreu ao Renault Clio para superar as dificuldades do Vodafone Rali de Portugal e chegar a Matosinhos para festejar com pompa e circunstância.

 

 

FICHA DA PROVA

Prova – Vodafone Rally Portugal

Data – 30 de Maio/2 de Junho

Organizador – Automóvel Club de Portugal

Estrutura – 1 433,15 km divididos por três etapas: Coimbra – Matosinhos (533,90 km); Matosinhos – Matosinhos (622,86 km); Matosinhos – Matosinhos (276,39 km)

PC – 18 (7 + 6 + 5)

Extensão das PC – 306,97 km (94,50 km + 160,70 km + 51,77 km)

Percentagem das PC – 21,41 %

Inscritos – 61 (11 RC1, 32 RC2, 1 RC3, 16 RC4, 1 ASN)

Participantes – 60 (11 RC1, 31 RC2, 1 RC3, 16 RC4, 1 ASN)

Classificados – 35 (8 RC1, 22 RC2, 1 RC3, 4 RC4)

COMANDANTES SUCESSIVOS

Absoluto – Dani Sordo, na 1.ª e 2.ª PC; Ott Tanak, da 3.ª à 18.ª PC

RC1 – Dani Sordo, na 1.ª e 2.ª PC; Ott Tanak, da 3.ª à 18.ª PC

RC2 – Kalle Rovampera, da 1.ª à 3.ª PC; Ole Christian Veiby, da 4.ª à 7.ª PC; Kalle Rovampera, da 8.ª à 18.º PC

RC3 – Hélder Miranda, da 1.ª à 8.ª PC

RC4 – Carlos Fernandes, da 1.ª à 4.ª PC; Daniel Berdomas, 5.ª à 8.ª PC; Ruairi Bell, da 9.ª à 12.ª PC; Enrico Oldrati, da 13.ª à 18.ª PC

VENCEDORES

Absoluto – Ott Tanak/Martin Jarveoja (Toyota Yaris WRC)

RC1 – Ott Tanak/Martin Jarveoja (Toyota Yaris WRC)

RC2 – Kalle Rovampera/Jonne Halttunen (Skoda Fabia R5 Evo)

RC4 – Enrico Oldrati/Simone Scattolin (Ford Fiesta R2)

CLASSIFICAÇÃO FINAL

POS.EQUIPACARRO TEMPO
1.ºOtt Tanak/Martin JarveojaToyota Yaris WRC3.20’22,8″
2.ºThierry Neuville/Nicolas GilsoulHyundai i20 Coupé WRCa 15,9″
3.ºSébastien Ogier/Julien IngrassiaFord Fiesta WRCa 57,1″
4.ºTeemu Suninen/Mikko MarkkulaFord Fiesta WRCa 2’41,5″
5.ºElfyn Evans/Scott MartinFord Fiesta WRCa 7’08,3″
6.ºKalle Rovampera/Jonne HalttunenSkoda Fabia R5 Evoa 10’34,2″
7.ºJari-Matti Latvala/Mikka AntillaToyota Yaris WRCa 11’28,2″
8.ºJan Kopecky/Pavel DreslerSkoda Fabia R5a 11’41,9″
9.ºPierre-Louis Loubet/Vincent LandaisSkoda Fabia R5a 12’46,3″
10.ºEmil Bergkvist/Patrik BarthFord Fiesta R5a 14’28,4

OS MAIS RÁPIDOS

 1.º2.º3.º4.º5.º6.º
Ott Tanak543021
Thierry Neuville533301
Kris Meeke251132
Jari-Matti Latvala231125
Dani Sordo203222
Sébastien Ogier123340
Teemu Suninen111111
Sébastien Loeb010221
Esapekka Lappi000511
Elfyn Evans000113

CLASSIFICAÇÕES DOS “MUNDIAIS”

PILOTOS – 1.º, Sébastien Ogier, 142 pontos; 2.º, Ott Tanak, 140; 3.º, Thierry Neuville, 132; 4.º, Elfyn Evans, 65; 5.º, Kris Meeke, 59; 6.º, Teemu Suninen, 44; 7.º, Sébastien Loeb, 39; 8.º, Jari-Matti Latvala, 36; 9.º, Andreas Mikkelsen, 36; 10.º, Esapekka Lappi, 34; 11.º, Dani Sordo, 27; 12.º, Kalle Rovampera, 10; 13.º, Benito Guerra, 8; 14.º, Gus Greensmith e Marco Bulacia Wilkinson, 6; 16.º, Yoann Bonato, Pontus Tidemand, Jan Kopecky e Mads Ostberg, 4; 20.º, Stéphane Sarrazin, Ole Christian Veiby e Pierre-Louis Loubet, 2; 23.º, Adrien Fourmaux, Ricardo Triviño, Janne Tuohino, Pedro Heller e Emil Bergkvist, 1

MARCAS – 1.º, Hyundai Shell Mobis WRT, 202 pontos; 2.º, Toyota Gazoo Racing WRT, 182; 3.º, Citroen Total WRT, 158; 4.º, M-Sport Ford WRT, 122

Próxima prova – Rally Italia Sardegna, de 13 a 16 de Junho

Partilhe

Deixe um comentário

avatar
  Inscrever  
Notificação