Ole Veiby vence Rali Terras D’Aboboreira

Piloto norueguês chegou, viu e venceu com o Hyundai NG i20 R5 o Rali Terras D’Aboboreira, prova disputada nos concelhos de Amarante, Baião e Marco de Canaveses. Quanto ao Campeonato de Portugal de Ralis, os algarvios Ricardo Teodósio e José Teixeira foram os mais expeditos aos comandos do Skoda Fabia R5 Evo com o número 24 nas portas.

CARLOS SOUSA (carlos.sousa@autolook.pt)

O norueguês Ole Christian Veiby, navegado pelo sueco Jonas Andersson, conduziu o Hyundai NG i20 R5 ao triunfo no Rali Terras d’Aboboreira, relegando para a segunda posição os espanhóis Pepe López e Diego Vallejo, em Skoda Fabia Rally2, pela diferença de 2,8 segundos.

O pódio da prova do Clube Automóvel de Amarante foi monopolizado por estrangeiros, com a dupla britânica Chris Ingram e Ross Withcock, aos comandos de um Skoda Fabia R5 Evo, a ocupar o degrau mais baixo do pódio, a 11,1 segundos para o vencedor.

Ole Christian Veiby já tinha sido o mais rápido no primeiro dia de prova, competição que marcou a abertura do Campeonato de Portugal de Ralis e que, no segundo e derradeiro dia, viu a sua tarefa mais facilitada com o abandono de Georg Linnamae no primeiro troço do segundo dia. Uma saída de estrada e incêndio no motor do Volkswagen Polo R5, na sequência de um tubo de óleo que se soltou ditou a desistência, levando a estrutura organizativa a proceder à interrupção da especial.

Recorde-se que o piloto estónio alcançou o melhor registo na primeira passagem pela classificativa de Amarante (13,83 km) no dia anterior, mas o norueguês venceu a segunda e assumiu a liderança, com três segundos de vantagem.

Também o espanhol Pepe López beneficiou do abandono de Georg Linnamae para assumir o protagonismo na luta pelo triunfo, acabando, todavia, no lugar intermédio do pódio, a escassos 2,8 segundos do seu mais directo opositor. O britânico Chris Ingram, que no primeiro dia terminou no quinto lugar, chegou ao pódio, a 11,1 segundos do vencedor do rali.

Ricardo Teodósio e José Teixeira, em Skoda Fabia R5 Evo, terminaram na quarta posição, a 11,9 segundos de Ole Christian Veiby e a escasso 0,8 segundos do lugar mais baixo do pódio, na sequência de um a prova excepcional. A dupla algarvia, campeã nacional em 2019, comandou a “armada” lusitana de fio a pavio, batendo Armindo Araújo e Luís Ramalho, em viatura idêntica, por 8,3 segundos.

Acrescente-se que Ricardo Teodósio e José Teixeira já não venciam uma prova desde o Rali de Mortágua de 2019, precisamente no ano em que se sagraram campeões nacionais, pelo que esta vitória teve um sabor muito especial em Terras D’Aboboreira.

Os campeões nacionais em título, Armindo Araújo e Luís Ramalho tudo fizeram para contrariar o poderio de piloto e navegador algarvios, acabando, no entanto, por somar os pontos de segundos classificados.

Imperial foi a prestação de Miguel Correia. O jovem piloto de Braga, navegado por António Costa, desenhou uma prova a “régua e esquadro” com o Skoda Fabia R5 Evo, alcançando, à semelhança do ano passado, o terceiro lugar do pódio entre os portugueses.

Enquanto isso, Bruno Magalhães e Carlos Magalhães, em Hyundai i20 R5, foram sétimos da geral – quartos do Campeonato de Portugal de Ralis –, com o regressado Bernardo Sousa, que faz equipa com Victor Calado, a terminar em oitavo em termos globais e quinto entre os portugueses, aos comandos de um Skoda Fabia R5.

Ao volante de um Citroën C3 Rally2, Alberto Heller e Marc Marti terminaram na nona posição, mas com a missão de preparar o Vodafone Rali de Portugal. Com uma prestação modesta esteve José Pedro Fontes. O piloto do Porto, navegado por Inês Ponte, “fechou” as portas do “top ten” da geral ao volante de um Citroën C3R5, com a formação irlandesa Josh Mcerlean e Noel O’Sullivan, em Hyundai i20 R5, a posicionar-se no 11.º posto.

O vimaranense Pedro Meireles, que faz equipa com Mário Castro, levou o Volkswagen Polo R5 ao 12.º posto da geral e sétimo entre os pilotos lusitanos, com o açoriano Luís Miguel Rego, navegado por Jorge Henriques a conduzir o Skoda Fabia R5 Evo ao 13.º posto e oitavos entre os portugueses. Manuel Castro e Ricardo Cunha, em Skoda Fabia R5 Evo, terminaram logo a seguir.

A dupla Paulo Neto e Vítor Hugo, também em Skoda Fabia R5, terminou em 17.º, na frente de Daniel Nunes e Nuno Mota Ribeiro, em Ford Fiesta Rally3, seguidos de Gil Antunes e Diogo Correia, ao volante de um Dacia Sandero R4.

A quem a sorte não sorriu foi à dupla Pedro Antunes e Pedro Alves. Na derradeira especial e depois de uma prova sem grandes sobressaltos, o jovem piloto de Torres Vedras não evitou uma saída com o Citroën C3 Rally2 e finalizou ali a sua prestação.

CLASSIFICAÇÃO CAMPEONATO DE PORTUGAL DE RALIS

PILOTOS

ABSOLUTO – 1.º Ricardo Teodósio, 28 pontos; 2.º Armindo Araújo, 22; 3.º Miguel Correia, 18; 4.º Bruno Magalhães, 14; 5.º Bernardo Sousa, 12; 6.º José Pedro Fontes, 10; 7.º Pedro Meireles, 8; 8.º Manuel Castro, 6; 9.º Paulo Neto, 4; 10.º Daniel Nunes, 2; 11.º Alexandrino Dinis, Gil Antunes, Paulo Barata, Fernando Teotónio, 1.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *