Ole Veiby comanda o Rali Terras d’Aboboreira

No final do primeiro dia da prova de abertura do Campeonato de Portugal de Ralis, o piloto norueguês lidera a pauta classificativa, com a dupla algarvia Ricardo Teodósio e José Teixeira a conduzir o Skoda Fabia R5, à quarta posição e a melhor portuguesa.

CARLOS SOUSA (carlos.sousa@autolook.pt)

O norueguês Ole Veiby, que faz equipa com o sueco Jonas Andersson, levou o Hyndai NG i20 R5) à liderança do Rali Terras d’Aboboreira, encerrando o primeiro dia da prova de abertura do Campeonato de Portugal da especialidade com o tempo de 18m21,1s.

O primeiro dia do rali, disputado em piso de terra totalmente disputado na especial de Amarante Natureza Criativa com duas passagens pelos 13.83 km, ficou também marcado pelo triunfo no primeiro troço estónio Georg Linnamae, navegado pelo ucraniano Volodymyr Korsia, em Volkswagen Polo GTI R5.

Contudo, o norueguês Ole Veiby atacou na segunda passagem para assumir a liderança, com três segundos de vantagem para o estónio Georg Linnamae. Já o espanhol Pepe López, navegado pelo compatriota Dieg Vallejo e ao volante de um Skoda Fabia Rally2, terminou o primeiro dia do Rali Terras d’Aboboreira na terceira posição, a 7,8 segundos do líder.

Os campeões nacionais de 2019, Ricardo Teodósio e José Teixeira, conduziram o Skoda Fabia R5 Evo ao quarto posto, a oito segundos do líder. Os britânicos Chris Ingram e Ross Whittock, em Skoda Fabia Evo, fecharam o “top ten”, a 8,1 segundos do comandante do norueguês Ole Veiby.

Armindo Araújo, heptacampeão nacional (2003, 2004, 2005, 2006, 2018 e 2020), iniciou a defesa do título com a sexta posição no final do primeiro dia, a 0,8 segundos de Ricardo Teodósio. Num dia com apenas duas especiais de classificação, as diferenças entres os pilotos que estão na luta pela vitória final é bastante reduzida, estando os primeiros seis classificados separados por 8,8 segundos.

Na chegada à zona de assistência, instalada em Amarante, o piloto do Team Armindo Araújo / The Racing Factory estava conformado com o desfecho deste primeiro dia, apesar de ter ficado com a sensação que «podia ter sido um pouco mais rápido, se tivéssemos optado por outra mistura de pneus. Talvez pudéssemos não ter perdido alguns segundos, mas em termos de ordem de partida estamos numa boa posição», afirmou o campeão nacional.

Percorridos que estão os primeiros dois troços (27,66 km) da 1.ª etapa do Rali Terras d’Aboboreira, é a dupla espanhola Alejandro Cachón/”Jandrín” que surge à cabeça do pelotão de 208 Rally4 que servem de base à Peugeot Rally Cuo Ibérica 2021, iniciativa que tem aqui a primeira das seis provas da temporada quatro da copa co-organizada pelas filiais da Peugeot de Portugal e de Espanha, com logística da Sports & You.

A 13,4 segundos desta liderança provisória perfilam-se os conterrâneos Alberto Monarri/Ángel Vela e Óscar Palomo/José Pintor, separados por apenas 1,1 segundos, num top-5 que se fecha com as duas melhores equipas lusas, os regressados Miguel Campos e Hugo Lopes, navegados, respectivamente, por Paulo Lopes e Tiago Neves.

São apenas 3,5 segundos que os dividem, espelhando as parcas diferenças que há ao longo do pelotão, deixando tudo indefinido para o segundo e último dia de prova, num total de 17 “leões” que, neste primeiro rali de terra do ano, abriram a luta pelos títulos de 2021 da Peugeot Rally Cup Ibérica.

Para este sábado, estão previstas as restantes cinco especiais (73,21 km ao cronómetro) deste rali que é, em simultâneo, a primeira prova do Campeonato de Portugal de Ralis 2021, numa organização do Clube Automóvel de Amarante, com duas passagens pelo troço de Marão (10,18 km; às 10h05 e 12h45), intercaladas pela especial de Baião Vida Natural (19,17 km; às 11h00), completando-se o rali à tarde com uma dupla passagem por Aboboreira (16,94 km; às 15h40 e 18h20), antecipando a consagração dos vencedores em Amarante, cerca das 19h00.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *