Ole Christian Veiby suspenso seis meses pela FIA

A Federação Internacional do Automóvel acusou ainda o piloto de ter ocultado o facto de ter mantido um contacto de risco nos dias que antecederam o Vodafone Rally de Portugal.

(auto.look2010@gmail.com)

O norueguês Ole Christian Veiby foi hoje suspenso de toda a actividade nos ralis por seis meses por ter desrespeitado as indicações das autoridades de saúde portuguesas e ter abandonado o país após teste positivo à Covid-19.

Os comissários da Federação Internacional do Automóvel (FIA) consideraram que o piloto norueguês (Hyundai i20) desrespeitou o regulamento do Vodafone Rally de Portugal e o Código Desportivo da FIA, ao abandonar o país à revelia das autoridades de saúde depois de ter testado positivo à Covid-19 na quinta-feira (dia 20) e ter ficado em isolamento no hotel, segundo determinação das autoridades locais de saúde.

No entanto, o piloto e o seu navegador, o sueco Jonas Andersson (que testou negativo, mas foi considerado um contacto de risco), dirigiram-se para Espanha. Além disso, a FIA acusou o piloto de ter ocultado o facto de ter mantido um contacto de risco nos dias que antecederam a prova do Automóvel Club de Portugal (ACP).

Desta forma, o piloto norueguês foi penalizado com uma suspensão de seis meses (até 22 de Novembro) e o co-piloto com três meses (até 22 de Agosto). Já o navegador ucraniano Volodymyr Korsia, co-piloto do estónio Georg Linnamäe (VW Polo), também foi suspenso por seis meses, mas por ter ocultado às autoridades a realização de um teste à Covid-19 que deu positivo.

Volodymyr Korsia efetuou um teste PCR no dia 13 de maio, antes de viajar para Portugal, que se revelou negativo, tendo efectuado um outro teste no dia 16, que se revelou positivo.

«Por sua iniciativa, no dia 17, fez mais dois testes de antigénio e um PCR, que se revelaram negativos», descreve o comunicado do Colégio de Comissários. O navegador usou estes segundos testes para ter acesso à prova, escondendo que tinha tido antes um resultado positivo, evitando, assim, ficar isolado durante 10 dias.

Korsia «pode até ter apresentado vários testes negativos, mas o facto de ter escondido um positivo é uma séria violação dos regulamentos», conclui o comunicado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *