Ocon alcança primeira vitória na Fórmula 1

O francês foi o vencedor do Grande Prémio da Hungria de Fórmula 1, que se disputou na tarde deste domingo, no circuito de Hungaroring. O jovem de apenas 24 anos teve a companhia de Sebastian Vettel, segundo, e Lewis Hamilton, terceiro, no pódio.

PEDRO RORIZ E CARLOS SOUSA (auto.look2010@gmail.com)

O francês Esteban Ocon (Alpine/Renault) alcançou a primeira vitória na Fórmula 1, primeira da Alpine, que substituiu a Renault como construtor, com a marca do losango a manter-se como fornecedora de motores e a regressar ao degrau mais alto do pódio. Uma proeza que já não sucedia desde o triunfo do australiano Daniel Riccardo (Red Bull/Renault) no Grande Prémio da Bélgica de 2014, enquanto como equipa o último triunfo data do Grande Prémio do Japão de 2008, pelas mãos do espanhol Fernando Alonso.

Uma vitória surpreendente fruto de um conjunto de circunstâncias que se conjugaram para proporcionar uma corrida que entra para a história da Fórmula 1.

A corrida começou com o asfalto do Hungaroring molhado o que levou todos os pilotos a arrancar com pneus intermédios e com o inglês Lewis Hamilton (Mercedes), que largou da “pole”, a não desperdiçar a oportunidade para assumir o comando da corrida, enquanto atrás de si era o caos, que levou à interrupção da corrida.

É que Valtteri Bottas (Mercedes) falhou a partida e foi ultrapassado pelo holandês Max Verstappen (Red Bull/Honda), o mexicano Sergio Perez (Red Bull/Honda), que saíram da segunda linha, e pelo inglês Lando Norris (McLaren/Mercedes).

O finlandês falhou a travagem na curva 1 e acertou no inglês, que atirou o holandês para fora da pista, com o canadiano Lance Stroll (Aston Martin/Mercedes) e o monegasco Charles Leclerc (Ferrari) a serem, também eles, vitimas da confusão e a ficarem fora da corrida, com o monegasco a comentar: «excelente lance de bowling!…»

Para a segunda largada, a grelha estava assim formada: Hamilton/Ocon; Vettel/Sainz, Tsunoda/Latifi, Alonso/Russell; Raikonen/Schumacher, Gasly/Riccardo; Verstappen/Mazepin; Norris/Giovinazzi

Com a interrupção da corrida, o asfalto secara e quando regressaram à pista, todos os pilotos, com excepção de Lewis Hamilton rumaram às “boxes” para montar pneus para piso seceo, deixando o inglês isolado na grelha de partida para só arrancarem depois do campeão do mundo passar pela saída das boxes.

A Mercedes apercebeu-se de imediato do erro que cometera e chamou instantaneamente o piloto às “boxes”. Sem surpresa, Lewis Hamilton regressou à corrida na derradeira posição, obrigando-o a uma recuperação fantástica.

O inglês foi ultrapassando adversários até chegar ao terceiro lugar, atrás do alemão Sebastian Vettel (Aston Martin/Mercedes), que regressou a um lugar onde não estava há muito tempo, e ao comando do campeonato, com seis pontos de avanço sobre Max Verstappen, piloto que conseguiu recuperar até ao 10.º lugar e marcar um ponto.

O erro da Mercedes deixou Esteban Ocon e Sebastian Vettel na frente da corrida e os dois mantiveram as posições até ao final, com Lewis Hamilton a terminar a menos de um segundo de Sebastian Vettel.

Destaque para o facto da Williams ter colocado os seus dois carros nos lugares pontuáveis, com o canadiano Nicolas Latifi (Williams/Mercedes) a bater o inglês George Russell (Williams/Renault), com a equipa criada por Sir Frank Williams a marcar os primeiros pontos e a ultrapassar a Alfa Romeo, com a Haas a ser a única equipa que ainda não pontuou.

Antes dos Williams, que ficaram à frente de Max Verstappen, classificaram-se o espanhóis Carlos Sainz (Ferrari) e Fernando Alonso (Alpine/Renault), que contribuiu para o bom resultado da marca, chegou a comandar e travou um duelo intenso com Lewis Hamilton, quando resistiu à ultrapassagem do inglês, os Alpha Tauri/Honda do francês Pierre Gasly, autor da volta mais rápida, e do japonês Yuki Tsunoda.

Ficha da prova

Grande Prémio – Rolex Magyar Nagydij

Circuito – Hungaroring

Extensão – 306,630 km = 70 x 4,381 km

“Pole position” – Lewis Hamilton (Mercedes W12/Mercedes), 1 volta (4,381 km) em 1’15,419” (209,119 km/h)

Grelha de partida1.ª linha: Lewis Hamilton (Mercedes W12/Mercedes), 1’15,419”; Valtteri Bottas (Mercedes W12/Mercedes), 1’15,734; 2.ª linha: Max Verstappen (Red Bull RB16B/Honda), 1’15,840”; Sérgio Perez (Red Bull/Honda), 1’16,421”; 3.ª linha: Pierre Gasly (Alpha Tauri AT02/Honda), 1’16,483”; Lando Norris (McLaren MCL35/Mercedes), 1’16,489”; 4.ª linha: Charles Leclerc (Ferrari SF21/Ferrari), 1’16,496”; Esteban Ocon (Alpine A 521/Renault), 1’16,653”; 5.ª linha: Fernando Alonso (Alpine A521/Renault), 1’16,715”; Sebastian Vettel (Aston Martin AMR21/Mercedes), 1’16,750”; 6.ª linha: Daniel Riccardo (McLaren MCL35/Mercedes), 1’16,871”; Lance Stroll (Aston Martin AMR21/Mercedes), 1’16,893”; 7.ª linha: Kimi Raikkonen (Alfa Roneo C41/Ferrari), 1’17,564”; Antonio Giovinazzi (Alfa Romeo C41/Ferrari), 1’17,583”; 8.ª linha: Carlos Sainz (Ferrari SF21/Ferrari), sem tempo; Yuki Tsunuda (Alpha Tauri AT02/Honda), 1’17,91”; 9.ª linha: George Russell (Williams FW43B/Mercedes), 17,944”; Nicholas Latifi (Williams FW43B), 1’18,036”; 10.ª linha: Nikita Mazepin (Haas VF-21/Ferrari), 18,922”; Mick Schumacher (Haas VF-21/Ferrari), sem tempo

Comandantes sucessivos – Lewis Hamilton, na 1.ª e 2.ª volta; Esteban Ocon, na 3.ª volta; Lewis Hamilton, na 4.ª volta; Esteban Ocon, da 5.ª à 37.ª volta; Fernando Alonso, na 38.ª e 39.ª volta; Esteban Ocon, da 40.ª à 70.ª volta

Volta mais rápida – Pierre Gasly (Alpha Tauri AT02/Honda), 1 volta (4,381 km), em 1’18,394” (201,183 km/h)

Vencedor – Esteban Ocon (Alpine A521/Renault), 70 voltas (306,630 km), em 2.04’43,199” (147,512 km/h)

CLASSIFICAÇÃO

POS. PILOTO CARRO MOTOR TEMPO
1.º Esteban Ocon Alpine A521 Renault 2.04’43,199″
2.º Sebastian Vettel Aston Martin AMR21 Mercedes a 1’859″
3.º Lewis Hamilton Mercedes W12 Mercedes a 2′,736″
4.º Carlos Sainz Ferrari SF21 Ferrari a 15’018″
5.º Fernando Alonso Alpine A521 Renault a 15,651″
6.º Pierre Gasly Alpha Tauri AT02 Honda a 1’03,614″
7.º Yuki Tsunoda Alpha Tauri AT02 Honda a 1’15,803″
8.º Nicolas Latifi Williams FW43 B Mercedes a 1’17,910″
9.º George Russell Williams FW43 B Mercedes a 1’19,094″
10.º Max Verstappen Red Bull 16B Honda a 1’20,244″
11.º Kimi Raikkonen Alfa Romeo C41 Ferrari a 1 volta
12.º Daniel Ricciardo McLaren MCL35 Mercedes a 1 volta
13.º Mick Schumacher Haas VF-21 Ferrari a 1 volta
14.º Antonio Giovinazzi Alfa Romeo C41 Ferrari a 1 volta

Classificações dos “Mundiais”

PILOTOS – 1.º, Lewis Hamilton, 192 pontos; 2.º, Max Verstappen, 186; 3.º, Lando Norris, 113; 4.º, Valtteri Bottas, 108; 5.º Sérgio Perez, 104; 6.º, Charles Leclerc, 80; 7.º, Carlos Sainz, 80; 8.º, Daniel Ricciardo, 50; 9.º, Sebastian Vettel, 48; 10.º, Pierre Gasly, 48; 11.º, Esteban Ocon, 39; 11.º, Fernando Alonso, 36 ; 13.º, Lance Stroll, 18; 14.º, Yuki Tsunoda, 16; 15.º, Nicola Latifi, 4; 16.º, George Russell, 2; 17.º, Antonio Giovinazzi, 1; 18.º, Kimi Raikkonen, 1

CONSTRUTORES – 1.º, Mercedes-AMG Petronas F1 Team, 300 pontos; 2.º, Red Bull Racing Honda, 290; 3.º, McLaren F1 Team, 163; 4.º, Scuderia Ferrari Mission Winnow, 160; 5.º, Alpine Renault, 75; 6.º, Aston Martin Cognizant F1 Team, 66; 7.º, Scuderia Alpha Tauri Honda, 64; 8.º, Williams Mercedes, 6; 9.º, Alfa Romeo Racing Ferrari, 2

Próxima prova – Rolex Belgian Grand Prix, no Circuito de Spa-Francorchamps, dia 29 de Agosto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *