Nyck De Vries e Mercedes vitoriosos na Fórmula E

António Félix da Costa entrou com menos nove pontos que o líder, Nyck de Vries, na última corrida em Berlim, mas acabou por desistir, abalroado e atirado para o muro por um adversário a 15 voltas do final.

PEDRO RORIZ (auto.look2010@gmail.com)

De forma inesperada a Mercedes arrecada os primeiros títulos mundiais de Fórmula E, com o holandês Nyck De Vries (Mercedes) a conquistar o título de pilotos e a marca alemã a arrecadar o título de equipas, depois de uma última corrida inacreditável.

À partida tudo apontava para Mitch Evans (Jaguar), que largava de terceiro e à frente dos restantes seis candidatos ao título. Só que, quando as luzes se apagaram, o neo-zelandês foi batido pelo suíço Edoardo Mortara (Venturi).

Ao contrário daqueles que estavam à sua frente, Mitch Evans não evitou o embate no Jaguar, deixando a pista cheia de destroços, levando à interrupção da corrida, com o português António Félix da Costa (DS) a conseguir passar entre os destroços e o muro.

De uma assentada, o segundo e o quarto do campeonato estavam de fora e, depois da pista limpa, a corrida recomeçou atrás do “Safety Car”, passando o inglês Jake Dennis (BMW) a ser o principal candidato. Só

que, logo no arranque, o inglês não evitou um “toque” no muro e, a partir daí, o holandês só tinha de levar o carro até ao fim para garantir o título.

A corrida acabou por ser ganha pelo francês Norman Nato (Venturi), à frente do inglês Oliver Rowland (Nissan) e do belga Stoffel Vandoorne (Mercedes) que, com o terceiro lugar, permite à Mercedes triunfar entre as equipas.

António Félix da Costa acabou a corrida no muro, ao ser “apertado” pelo brasileiro Lucas Di Grassi (Audi), quando o português tentou a ultrapassagem e o brasileiro defendeu a posição de modo que o levou a ser punido com uma passagem pela via das “boxes”, por a sua atitude ter sido considerada irregular.

Por fim, refira-se que Toto Wolf, o patrão da Mercedes na F1, esteve em Tempelhof para festejar os dois títulos.

A oitava temporada da Fórmula E, segunda como Campeonato do Mundo, arranca a 28 de Janeiro, em Diriyah, na Arábia Saudita.

CLASSIFICAÇÕES

Corrida – 1.º, Norman Nato (Venturi), 1.11’57,152”; 2.º, Oliver Rowland (Nissan), a 2,270”; 3.º, Stoffel Vandoorne (Mercedes) a 2,837”; 4.º, André Lotterer (Porsche), a 7,105”; Alexander Sims (Mahindra), a 8,453”; 6.º, Pascal Wehrlein (Porsche), a 8,847”; 7.º, Sam Bird (Jaguar), a 10,473”; 8.º, Nyck De Vries (Mercedes), a 11,108”; 9.º, René Rast (Audi), a 12,189”; 10.º, Tom Blomqvist (Nio), a 12,679”. Classificaram-se mais 10 pilotos

Campeonatos

Pilotos – 1.º, Nyck De Vries, 99 pontos; 2.º, Edoardo Mortara, 92; 3.º, Jake Dennis, 91; 4.º, Mitch Evans, 90; 5.º, Robin Frijns, 89; 6.º, Sam Bird, 87; 7.º, Lucas Di Grassi, 87; 8.º, António Félix da Costa, 86; 9.º, Stoffel Vandoorne, 82; 10.º, Jean- Eric Vergne, 80; 11.º, Pascal Wehrlein, 79; 12.º, Alex Lynn, 78; 13.º, René Rast, 78; 14.º, Oliver Rowland, 77; 15.º, Nick Cassidy, 76; 16.º, Maximilian Gunther, 66 ; 17.º, André Lotterer, 58; 18.º, Norman Nato, 54; 19.º, Alexander Sims, 54; 20.º, Nico Muller, 30; 21.º, Sébastien Buemi, 20; 22.º, Sérgio Sette Câmara, 16; 23.º, Oliver Turvey, 13; 24.º, Tom Blomqvist, 6; 25.º, Joel Eriksson, 1.

Equipas – 1.º, Mercedes-EQ Formula E Team, 181 pontos; 2.º, Jaguar Racing, 177; 3.º DS Techeetah, 166; 4.º, Audi Sport ABT Schaeffler, 165; 5.º, Envision Virgin Racing, 165; 6.º, BMW i Andretti Motorsport, 157; 7.º, Rokti Venturi Racing, 146; 8.º, TAG Heuer Porsche Formula E Team, 137; 9.º, Mahindra Racing, 132; 10.º, Nissan e-Dams, 97; 11.º, Dragon/Penske Autosport, 47; 12.º, Nio 333 FE Team, 19.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *