Nasser Al-Attiyah coroado de “rei das arábias”

O príncipe do Qatar e do Deserto e o navegador Mathieu Baumel derramaram com precisão o champanhe com a fita dourada de campeões no Rali Dakar.

PEDRO RORIZ E CARLOS SOUSA (auto.look2010@gmail.com)

Nasser Al-Attiyah (Toyota)

Chegar, acelerar, abrandar e vencer. Um domínio inabalável desde a partida, um prólogo de 19 km, até à linha de chegada, 12.ª etapa, entre Bisha e Jeddah, duas semanas depois. Um percurso imaculado em que ninguém teve arte nem engenho de incomodar a dupla Toyota Gazoo Racing. Na prova de todo-o-terreno mais dura e exigente do mundo, a Toyota GR DKR Hilux T1+ foi uma aliada de peso para piloto e navegador que, sem erros de navegação ou avarias mecânicas, proporcionou uma “viagem” tranquila longe de sobressaltos.

O “príncipe do Deserto” soube tirar partido do motor V6 de 3,5 litros de dupla turbina que provém do icónico novo Toyota Land Cruiser 300 GR Sport para certificar uma das mais retumbantes vitórias à geral.

Na 12.ª e derradeira etapa da 44.ª edição do Rali Dakar, em automóveis, o sul-africano Henk Lategan (Toyota GR DKR Hilux) registou a segunda vitória ao nível de Sector Selectivo, à frente do francês Stéphane Peterhansel (Audi RS Q e-tron). Apesar do resultado final estar longe do que esperava, o melhor do Team Audi Sport foi o sueco Mattias Ekstrom (Audi RS Q e-tron) em nono, a poder encarar o futuro com confiança, uma vez que a nova viatura revelou imenso potencial e, para o ano, com os ensinamentos recolhidos na edição de estreia, voltará a estar, por certo, na luta pela vitória.

Nasser Al-Attiyah

O qatari Nasser Al-Attiyah registou a quarta vitória na prova – segunda da marca nipónica –, juntando-a aos triunfos alcançados em 2011 (Volkswagen Race Touareg), 2015 (MINI ALL4 Racing) e 2019 (Toyota Hilux). Depois de uma segunda semana tranquila face à vantagem angariada na primeira parte, observando de cadeirão alguns problemas técnicos e erros de navegação dos seus principais opositores.

«Foi um Dakar incrível para nós. Já não ganhávamos desde 2019. Tínhamos terminado em segundo desde que viemos para a Arábia Saudita, há dois anos, e agora estamos muito satisfeitos por termos alcançado o nosso objectivo. Agora sabemos que temos um bom carro e faremos o nosso melhor para lutar pelo Campeonato Mundial», afirmou o agora tetracampeão do Dakar.

Sébastien Loeb (BRX Prodrive Hunter)

Comandante desde o início da prova, a qatari mostrou uma enorme confiança e tranquilidade ao longo de toda a prova. Venceu com justiça, à frente de Sébastien Loeb (BRX Prodrive Hunter), que tentou manter a pressão ao longo da segunda semana.

Na maior parte dos dias, o piloto francês até ganhou tempo ao vencedor absoluto da prova – o qatari limitou-se a gerir a vantagem de que dispunha –, repetindo o resultado alcançado em 2017, ao volante de um Peugeot 3008 DKR.

O derradeiro lugar do pódio ficou para o saudita Yazzed Al Rahji (Toyota Hilux Overdrive), que fez uma prova sem grandes erros e que soube aproveitar os cometidos pelos seus adversários.

Miguel Barbosa e Pedro Velosa (Toyota Hilux Overdrive)

“ARMADA” LUSITANA CUMPRE MISSÃO COM MUITO SUOR

Miguel Barbosa, navegado por Pedro Velosa (Toyota Hilux Overdrive), considerou que foi um regresso bem-sucedido após 12 anos de ausência, depois de ter terminado a derradeira etapa na 45.ª posição, a 33m05s, do vencedor da tirada.

Em termos globais, o piloto lisboeta, apoiado pelo Automóvel Club de Portugal, terminou no 35.º lugar, a 13h28m16s de Nasser Al-Attiyah, com o objectivo alcançado, uma vez que a edição deste ano do Dakar foi de extrema dificuldade,

Fantástico último dia para o português Paulo Fiúza, que ajudou a levar o lituano Vaidotas Zala (Mini John Cooper Works Rally) ao quinto lugar no Sector Selectivo e a manter a 11.ª posição da geral, resistindo ao ataque do espanhol Carlos Sainz (Audi RS Q e-tron), que ficou logo atrás. De assinalar que o polaco Jakub Przygonski (Mini John Cooper Works Rally) é o único, dos 10 primeiros, que não tem qualquer penalização

Vaidotas Zala e Paulo Fiúza (Mini John Cooper Works Rally)

Nos SSV, o lituano Rokas Baciuska (BRP CAN-AM Maverick XRS) foi o mais rápido no SS, mas o terceiro tempo feito pelo americano Austin Jones (BRP CAN-AM Maverick XRS) permitiu-lhe neutralizar o atraso para o espanhol Gerrard Farres Guell (BRM CAN-AM Maverick XRS), sexto no SS, e garantir o trunfo nos SSV, à frente do espanhol e do lituano.

O derradeiro dia não correu bem para Luís Portela Morais e David Megre (BRP CAN-AM Maverick XRS), apenas 24.º na etapa, resultado que lhes permitiu manter a sétima posição na geral, enquanto Rui Oliveira e Fausto Mota (BRP CAN-AM Maverick XRS) 30.º no SS e manteve o 16.º lugar da geral.

Nos camiões domínio absoluto da Kamaz que fez 1-2-3-4, mostrando uma superioridade incontestável, enquanto o português José Martins, ao lado dos franceses Didier Belivier e Jeremie Gimbre, levou o Iveco ao 24.º final.

CLASSIFICAÇÕES

SECTOR SELECTIVO (164 KM)

AUTOMÓVEIS – 1.º, Henk Lategan/Brett Cummings (Toyota GR DKR Hilux), 1.35’19”; 2.º, Stéphane Peterhansel/Edouard Boulanger (Audi RS Q e-tron), a 49”; 3.º, Brian Baragwanath/Leonard Cremer (Century CR6), a 1’51”; 4.º, Sébastien Loeb/Fabien Lurquin (Prodrive Hunter), a 2’20”; 5.º, Vaidotas Zala/Paulo Fiúza (Mini John Cooper Works Rally), a 3’25”; 6.º, Orlando Terranova/Daniel Oliveras Carreras (Prodrive Hunter), a 3’47”; 7.º, Marcelo Tiglia Gastaldi/Cadu Sachs (Century CR6), a 4’16”; 8.º, Bernhard Ten Bricke/Sébastien Delauney (Toyoya Hilux Overdrive), a 4’27”; 9.º, Khalid Al Qassimi/Dirk Von Zitzewitz (Peugeot 3008 DKR), a 5’03”; 10.º, Sébastien Halpern/Bernard Graue (Mini John Cooper Works Rally), a 5’19”; …; 45.º, Miguel Barbosa/Pedro Velosa (Toyota Hilux Overdrive), a 33’05”

SSV – 1.º, Rokas Baciuska/Oriol Mena (BRP CAN-AM Maverick XRS), a 1.51’15”; 2.º, Rodrigo Luppi de Oliveira/Maikel Justo (BRP CAN-AM Maverick XRS), a 3’23”; 3.º, Austin Jones/Gustavo Gugelmin (BRP CAN-AM Maverick XRS), a 5’47”; 4.º, Marek Gozcal/Lukasz Laskawiec (BRP CAN-AM Maverick XRS), a 5’50”; 5.º, Michal Gozcal/Szymon Gospodarczyk (BRP CAN-AM Maverick XRS), a 6’42”; …; 24.º, Luís Portela de Morais/David Megre (BRP CAN-AM Maverick XRS) a 23’13”; …; 30.º, Rui Oliveira/Fausto Mota (BRP CAN-AM Maverick XDS) a 27’54”

GERAL

AUTOMÓVEIS – 1.º Nasser Al-Attiyah/Mathias Baumel (Toyota GR DKR Hilux), 38.33’03”; 2.º, Sébastien Loeb/Fabian Lurquin (Prodrive Hunter), a 27’46”; 3.º, Yazeed Al Rahji/Michael Orr (Toyota Hilux Overdrive), a 1.01’13”; 4.º, Orlando Terranova/Daniel Oliveras (Prodrive Hunter), a 1.27’23; 5.º, Giniel De Villiers/Dennis Murphy (Toyota GR DKR Hilux), a 1.41’48”; 6.º, Jakub Przygonski/Timo Gottschalk (Mini John Cooper Works Rally), a 1.53’06”; 7.º, Mathieu Serradori/Loic Minaudier (Century CR6), a 2.32’05”; 8.º, Sebastian Halpern/Bernard Graue (Mini John Cooper Works Rally), a 2.38’26”; 9.º, Mattias Ekstrom/Emil Berqvist (Audi RS Q e-tron), a 2.42’11”; 10.º, Vladimir Vasiliev/Oleg Uperenko (BMW X5), a 3.02’21”; 11.º, Vaidotas Zala/Paulo Fiuza (Mini John Cooper Works Rally), a 3.31’55”; …; 35.º, Miguel Barbosa/Pedro Velosa (Toyota Hilux Overdrive), a 13.28’16”

SSV – 1.º, Austin Jones/Gustavo Gugelmin (BRP CAN-AM Maverick XRS), 47.22’50”; 2.º, Gerard Farres Guell/Diego Ortega Gil (BRP CAN-AM Maverick XRS), a 2’37”; 3.º, Rokas Baciuska/Oriol Mena (BRP CAN-AM Maverick XRS), a 15’18”; 4.º, Marek Gozcal/Lukasz Laskawiec (BRP CAN-AM Maverick XRS) a 16’21”; 5.º, Michal Gozcal/Szymon Gospodarczyk (BRP CAN-AM Maverick XRS), a 28’28”; …; 7.º, Luís Portela de Morais/David Megre (BRP CAN-AM Maverick XRS) a 3.20’29”; …; 16.º, Rui Oliveira/Fausto Mota (BRP CAN-AM Maverick XDS) a 8.42’15”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.