“Não consigo explicar como aconteceu a queda”

Em declarações divulgadas pela assessoria de imprensa da KTM, Miguel Oliveira admitiu não conseguir «explicar como aconteceu a queda que o colocou fora do Grande Prémio de França de MotoGP.

(auto.look2010@gmail.com)

Com mais de uma centena de milhar de espectadores a assistir ao vivo Miguel Oliveira cumpriu hoje em Le Mans aquela que foi a sétima ronda do campeonato do mundo MotoGP. No final do primeiro terço da época o piloto de Almada arrancou na 17ª depois de uma série de sessões de treinos marcadas por algumas dificuldades técnicas e duas quedas logo na manhã de sexta-feira.

O português Miguel Oliveira (KTM) mostrou-se «frustrado» por ter sofrido uma queda que o colocou fora do Grande Prémio de França de MotoGP a três voltas do final da sétima etapa do Mundial de motociclismo de velocidade: «O fim-de-semana não começou bem e eu não sabia o que esperar a partir da segunda sessão dos treinos livres, mas até foi aquela sessão em que mais progredimos», referiu o português. O piloto natural de Almada disse que a corrida «foi dura, tal como esperado», mas que tentou «muito ganhar posições».

«Estava dentro do “top-10” mas depois caí à entrada da curva três e não consigo explicar como aconteceu. Não fiz nada de diferente comparativamente com as voltas anteriores», lamentou. Miguel Oliveira reconheceu ser «bastante frustrante não terminar a corrida tão próximo do fim e perto de um bom resultado».

Após sete corridas, o português ocupa o 11.º lugar, com 43 pontos, menos 59 do que o francês Fábio Quartararo (Yamaha), campeão do mundo e líder da classificação. A próxima etapa está marcada para 29 de Maio, em Mugello, onde vai ser disputado o Grande Prémio de Itália.

«Temos de ir para Mugello com uma mentalidade positiva e dar o nosso melhor», concluiu o português.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.