Mundial Ralicross deve manter-se em Montalegre

O Circuito Internacional de Montalegre, no distrito de Vila Real, deverá manter, nos próximos três anos, a etapa portuguesa do Mundial de ralicross, anunciou o presidente da Câmara Municipal.

(auto.look2010@gmail.com)

«Está alinhavado esse acordo – manutenção do Mundial do ralicross – com o promotor. Ainda vamos ter uma reunião para finalizar os pormenores do protocolo que iremos celebrar, mas tudo aponta para que possamos anunciar com segurança que iremos ter a prova por mais três anos», explicou o autarca, Orlando Alves.

Apesar de considerar que um acordo por três anos é bom, o presidente disse que o ideal seria por cinco anos: «Três é bom, mas cinco é muito melhor. Já avancei com essa proposta, mas não vi grande receptividade, algo que compreendo», sublinhou. Contudo, Orlando Alves garantiu que irá continuar a insistir na celebração de um acordo por cinco anos.

A prova portuguesa, no circuito que se situa no sopé da serra do Larouco, que recebeu ininterruptamente o Mundial entre 2014 e 2018, recebeu este fim-de-semana a antepenúltima etapa desta competição sob a alçada da Federação Internacional do Automóvel (FIA) e que tem como promotor a Rallycross Promoter GmbH.

Depois de fechar o protocolo, a Câmara Municipal de Montalegre tenciona fazer obras de melhoria no Circuito Internacional, nomeadamente construir sanitários e gabinete médico. Todos os anos, acrescentou, a autarquia faz um grande investimento nos espaços que servem de sanitários e de enfermarias sendo, portanto, obras urgentes a resolver.

Já sobre o regresso do Mundial de Ralicross a Montalegre, após três anos de interregno, o autarca fez um balanço extremamente positivo do evento: «Estou muito satisfeito com esta presença massiva de entusiastas a Montalegre neste fim-de-semana, além de projetar a modalidade, projecta a região para o mundo», sublinhou.

Segundo dados da organização, ao longo do fim-de-semana passaram cerca de sete mil espectadores no circuito transmontano. O finlandês Niclas Grönholm venceu a corrida final da etapa portuguesa do Mundial de Ralicross, em Montalegre, à frente do líder do campeonato, o sueco Timmy Hansen, que, no entanto, aumentou a vantagem na classificação geral.

Na corrida decisiva, Niclas Grönholm (Hyundai i20) foi o mais forte, terminando à frente do líder do Mundial, Timmy Hansen (Peugeot 208) e do seu irmão Kevin Hansen (Peugeot 208).

Após a antepenúltima jornada Timmy Hansen, campeão em 2019, reforçou a liderança na geral, ao somar o maior número de pontos no fim-de-semana (27) e a ter agora mais 17 pontos que Johan Kristoffersson (Audi S1) que terminou com 22 pontos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *