Mundial de Enduro visita Coimbra de 1 a 3 de Julho

A quarta ronda do Campeonato do Mundo de Enduro, a desenvolver de 1 a 3 de Julho, em Souselas e localidades circundantes a norte de Coimbra, reúne mais de 100 pilotos, entre o quais Diogo Ventura (Góis) e Frederico Rocha (Coimbra), estando prevista a presença de 12 mil espectadores ao longo dos três dias de prova.

(auto.look2010@gmail.com)

Rui Soares, Pedro Mariano, José Manuel Silva, Nuno Cação e Carlos Lopes antes da apresentação da quarta ronda do Mundial de Enduro

Foi esta terça-feira apresentada em Coimbra a jornada mundialista de Enduro que irá reunir entre 100 a 120 pilotos das mais diversas categorias da modalidade, aos quais juntam-se 400 a 500 pessoas das diferentes equipas. A estrutura organizativa deverá apresentar entre 300 a 400 elementos em redor da prova, num evento que movimentará cerca de 12 mil espectadores entre os três dias de competição», disse o director da prova Coimbra/Souselas, Nuno Cação, em representação do Alhastro Clube de Todo-o-Terreno (ACTT).

A prova terá uma super-especial no dia 1 de Julho, entre Souselas e Botão, seguindo-se, nos dois dias seguintes, competição de índole mundial, com um percurso de 50 a 55 quilómetros, que irá passar por diversos pontos do concelho, contando com três zonas de espectáculo (duas em Souselas e uma em Ponte de Vilela), explicou o responsável, que falava durante a conferência de imprensa de apresentação do evento, que decorreu no Salão Nobre da Câmara de Coimbra.

Nuno Cação explicou os pormenores da prova

A prova do Campeonato do Mundo de Enduro vai piscar o olho a Coimbra quando os pilotos subirem a encosta nas proximidades de Logo de Deus e Urbanização de Santa Apolónia, permitindo o avistamento para a Lusa-Atenas, que serve de convite às equipas visitarem a cidade e fazer parte das festividades da Rainha Santa Isabel.

«Será uma prova repleta de espectáculo», salientou Nuno Cação, sublinhando que, para além do «enorme impacto» na hotelaria e restauração da região, estima-se que a prova tenha um alcance de 12 milhões de pessoas, desde as transmissões televisivas, redes sociais, entre muitas outras plataformas.

Nuno Cação sublinhou que o acolhimento de uma prova do Campeonato do Mundo surge depois de Souselas já ter recebido cinco provas nacionais e sempre com elevada qualidade, tendo o condão de ter atribuído o título de campão absoluto em Julho de 2020.

Pedro Mariano afirmou que faltava uma prova desta envergadura em Coimbra

«Havia a ambição de Rui Soares, presidente da União de Freguesias de Souselas e Botão de ter um evento internacional no “seu” território. Havia um plano para nos próximos dois ou três anos termos uma prova do Campeonato da Europa, mas este ano houve alterações no que concerne ao Campeonato do Mundo e surgiu esta possibilidade e resolvemos agarrar, explicou Nuno Cação.

Pedro Mariano, director de corrida de Enduro FIM – Federação Internacional de Motociclismo, sublinhou o impacto que uma prova destas poderá ter na economia local, recordando que os estudos feitos em 2009, aquando do International Six Days Enduro, competição considerada as Olimpíadas da modalidade disputada na Figueira da Foz «estimavam uma entrada de 180 mil euros diários», antes, durante e após a competição, sensivelmente duas semanas.

O Mundial, porventura, será um terço desse valor, mas o gasto que pode haver está longe do retorno que a cidade e região poderão ter», frisou Pedro Mariano, um figueirense de gema que já foi praticante de Enduro e, nos últimos anos, tem vestido a pele de presidente da Comissão de Enduro da Federação de Motociclismo de Portugal.

José Manuel Silva tomou as rédeas da apresentação

Recorde-se que os International Six Days Enduro, na Figueira da Foz, entre 10 a 17 de Outubro de 2009, contou com 790 pilotos inscritos provenientes de 25 países, desenvolvendo-se em vários concelhos da região centro, mas precisamente na Figueira da Foz, Soure, Cantanhede e Águeda.

Por seu turno, José Manuel Silva, presidente da Câmara Municipal de Coimbra, destacou a importância da projecção do nome e imagem da cidade de uma grande prova internacional no concelho, realçando que esta competição mostra também a capacidade do município «para trazer a organização de grandes eventos».

«A caminhada foi longa», recordou o presidente da União de Freguesias de Souselas e Botão, Rui Soares, frisando que «só é possível acolher a prova internacional porque o executivo que lidera a autarquia mudou».

Rui Soares: “Esta competição só é possível porque o executivo que lidera a autarquia mudou”

Visivelmente satisfeito, Rui Soares, afirmou que «desde que me candidatei que assumi que um presidente de junta deve ser um gestor de ideias e, tudo que seja para promover a freguesia estamos sempre disponíveis para participar. Nós já temos em Souselas provas do Campeonato Nacional de Enduro, e já efectuámos testes de ralis em pisos de terra e asfalto, sendo por via disso legítimo que queremos também ser uma referência ao nível dos desportos motorizados. Temos condições para isso e o Campeonato do Mundo de Enduro é um bom exemplo».

Já o vereador com o pelouro do Desporto, Carlos Lopes, afirmou que espera que este evento seja «o início de um futuro promissor de Coimbra nesta área», realçando ainda que «a preocupação ambiental com a prova também está em cima da mesa, estando a ser preparado um plano de reflorestação em conjunto com a junta de freguesia e a organização do evento».

Carlos Lopes apontou o meio ambiente como uma preocupação diária

Questionado pelos jornalistas sobre o apoio que a Câmara de Coimbra irá dar ao evento, o vereador referiu que os valores ainda não estão fechados.  Para além dos melhores pilotos dos quatro cantos o mundo, Souselas recebe também uma caravana de excelência de pilotos portugueses que enfrentam o desafio servido pelo ACTT, União de Freguesias de Souselas e Botão, e Câmara Municipal de Coimbra.

De referir que são habituais “frequentadores” no pelotão principal de EnduroGP os pilotos Diogo Ventura, Luís Oliveira, Gonçalo Reis, Gonçalo Sobrosa, Vítor Queirós, Bernardo Vots, Rodrigo Luz, Frederico Rocha, Fernando Sousa Jr. Fernando Sousa, Joana Gonçalves, Rita Vieira e Bruna Antunes. Este ano, todavia, mais pilotos poderão engrossar a lista de participantes, tanto na prova do Peso da Régua como em Souselas.

Eugénio e Aida Cação, do Alhastro Clube de Todo-o-Terreno (ACTT), atentos à apresentação

Acrescente-se que a empresa portuguesa Prime Stadium assumirá a promoção do Campeonato do Mundo de Enduro, tendo ainda alcançado um acordo inicial para um período de dez anos, de 2022 a 2031, inclusive.

O recém-nomeado promotor assumirá o controle da temporada 2022 com sete jornadas já definidas para o Campeonato Mundial FIM EnduroGP que terá início em Espanha no início de Maio, antes da vinda na semana seguinte a Portugal – Peso da Régua.

Após a jornada lusa, seguem-se Itália, Suécia, Portugal – Souselas – Eslováquia durante Junho e Julho, para os dois eventos finais na Hungria e Alemanha decorrerem em Agosto e Outubro, respectivamente.

CALENDÁRIO ENDUROGP

6 a 8 de Maio – GP de Espanha (Lalin)

13 a 15 de Maio – GP de Portugal (Peso da Régua – Armamar)

24 a 26 de Junho –  GP de Itália (Carpineti)

1 a 3 de Julho – GP de Portugal (Coimbra – Souselas)

29 a 2 de Julho –  GP da Eslováquia (Gelnica)

5 a 7 de Agosto – GP da Hungria (Zalaegerszeg)

14 a 16 de Outubro – GP da Alemanha (Zschopau)

Partilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.