MotoGP regressa ao Rio de Janeiro em 2022

Cidade brasileira acolhe uma prova da prova rainha do Mundial de Velocidade das duas rodas durante cinco anos, a partir de 2022, anunciou a Dorna Sports, promotora do campeonato do mundo de motociclismo de velocidade, mas a pista ainda está por construir e envolta em polémica.

(auto.look2010@gmail.com)

«O novo Rio Motorpark, a construir em Deodoro, acolherá o Grande Prémio», lê-se no comunicado da Dorna Sports e a sua conclusão está prevista para 2021. O autódromo inclui uma pista de 4,5 quilómetros, com um tempo previsto para motos da categoria rainha de 1m38s por volta.

No entanto, a construção deste circuito continua envolta em polémica e as obras ainda não arrancaram. O projecto localiza-se em terrenos cedidos pelo exército brasileiro, numa zona de Mata Atlântica, utilizado anteriormente para exercícios militares e que está pejado de minas terrestres.

O Ministério do Desporto do Brasil, responsável pelo financiamento das obras, suspendeu o projecto em 2014. Mas, em 8 de Maio, o presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, confirmou o interesse em acolher o Grande prémio do Brasil de Fórmula 1 já em 2020, o que implicaria a quebra do contrato com São. Paulo.

O Ministério Público acabaria por pedir a anulação do concurso público, que atribuiu o projecto ao consórcio Rio Motorsports, devido à inexistência de um Estudo de Impacte Ambiental.

Em 27 de Agosto, um Tribunal Regional Federal determinou a suspensão do contrato de construção do circuito. A última vez que o campeonato do mundo de motociclismo de velocidade passou pelo Brasil foi no circuito de Jacarepaguá, em 2004, demolido para dar espaço ao Parque Olímpico de 2016.

 

Partilhe

Deixe um comentário

avatar
  Inscrever  
Notificação