MotoGP e Fórmula 1 sem adeptos nas bancadas

Primeiro-ministro não quer juntar pessoas nos recintos desportivos durante a segunda fase de desconfinamento. A Esperança foi agora dissipada por António Costa, que deixou claro que não haverá público nos Grandes Prémios de Portugal de F1 e MotoGP.

(auto.look2010@gmail.com)

António Costa confirmou, esta quinta-feira, que não haverá público nos Grandes Prémios de Portugal de Fórmula 1 e MotoGP. O primeiro-ministro declarou, na conferência de imprensa de divulgação das medidas da segunda fase de desconfinamento, que «não há eventos com público porque eventos com público são um risco acrescido de juntar pessoas e, juntando pessoas, há risco acrescido de transmissão da doença da Covid-19, pelo que tem de ser evitado e vamos continuar a evitar».

O Governo pretende manter os adeptos afastados dos recintos desportivos até ao final do processo de desconfinamento. Contudo, em declarações à Renascença, a 19 de Março, o presidente da Federação Portuguesa de Motociclismo expressou esperança de ainda poder receber público no Grande Prémio de Portugal.

«Tínhamos e temos essa expectativa de ter público. Naturalmente que vamos cumprir as orientações da Direcção-Geral de Saúde e das entidades competentes. Já não é uma decisão da minha competência. Terão de ser as entidades sanitárias a definir. Agora, se considerarmos a lotação do autódromo de Portimão, naturalmente que o que não falta é espaço ao ar livre para podermos ter determinado números de espectadores, que terá de ser definido pelas autoridades competentes», vincou Manuel Marinheiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *