MotoGP congela evoluções para baixar custos

Todas as novas especificações e homologações ficam congeladas até à primeira corrida de 2021.

(auto.look2010@gmail.com)

A Comissão de Grandes Prémios da Federação Internacional de Motociclismo (FIM) decidiu congelar novos desenvolvimentos nas categorias de MotoGP, Moto2 e Moto3 como forma de permitir a redução de custos às equipas, anunciou hoje o promotor do campeonato. Em comunicado, a Dorna, empresa promotora do Campeonato do Mundo de Velocidade de motociclismo, explicou que na classe principal, a MotoGP (onde corre o português Miguel Oliveira), todas as novas especificações e homologações ficam congeladas até à primeira corrida de 2021.

Assim, as equipas não podem fazer desenvolvimentos nem aos motores, nem à aerodinâmica durante toda a temporada de 2020, ao contrário do que previam os regulamentos (permitiam uma alteração durante o ano).

Em 2021, todas as equipas deverão começar a época com as especificações que estavam homologadas em Março de 2020, podendo as equipas de fábrica introduzir apenas uma alteração na aerodinâmica ao longo da temporada. Já nas classes inferiores, a Moto2 e a Moto3, todas as evoluções ficam congeladas até final de 2021.

«Estas mudanças foram desenhadas para permitir a redução de custos e de forma a manter a integridade da competição», explicou a Dorna, no comunicado. As alterações, desenhadas para mitigar o impacto da pandemia da Covid-19 na modalidade, foram aprovadas por maioria de votos das equipas e com nenhum voto contra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

%d bloggers like this: