Motociclistas manifestam-se contra injustiças

Manifestação está agenda para o dia 16 de Outubro, às 16h00, em Lisboa, Porto, Faro, Coimbra, Funchal e Porto Santo.

(auto.look2010@gmail.com)

Todos os anos morrem milhares de utilizadores das estradas portuguesas. Automobilistas, ciclistas, camionistas, motociclistas e peões. A segurança nas vias nacionais é posta em causa de forma diária independentemente do veículo utilizado. E não foram as Inspeções Periódicas Obrigatórias aos automóveis que contribuíram de forma decisiva para a redução destes números. Como não o serão para os motociclos.

O Governo, através do secretário de Estado das Infraestruturas, Jorge Delgado, anunciou a entrada em vigor das IPO para motociclos a partir de Janeiro de 2022. Anunciou a medida com uma displicência inaceitável para um governante!

Mostrando uma falta de sensibilidade política e, sobretudo, um desrespeito enorme por milhares de cidadão que fazem dos motociclos a sua forma de transporte, ganhando em mobilidade e economia nas cidades cada vez mais entupidas de trânsito e em prazer de condução em muitas das belas estradas nacionais que o nosso País oferece.

São esses cidadãos que, no sábado, dia 16 de Outubro, a partir das 16h00, vão fazer ouvir o seu protesto em Lisboa, Porto, Faro, Coimbra, Funchal e Porto Santo contra uma anunciada decisão que, claramente, não leva em linha de conta o interesse maior dos motociclistas: a segurança.

Trata-se de mais uma taxa travestida de boa-fé que serve apenas para calar interesses económicos pouco claros. Sim, porque a questão da segurança está bem explícita nas ligações que fornecemos para documentos científicos que provam a ineficácia das inspeções às motos em termos de segurança e redução de sinistralidade. E onde fica provado que apenas 0,3% dos acidentes têm como causa principal o veículo.

ENTÃO E AS CAUSAS DOS RESTANTES

99,7% DOS ACIDENTES NÃO INTERESSAM?

O Manifesto que anexamos aponta as causas de uma luta de quem não pode e não quer calar-se perante mais uma tremenda injustiça no país dos combustíveis que sobem de preço todas as semanas, onde as motos de 200 kg e duas rodas pagam as mesmas portagens de um automóvel de 2,5 toneladas.

E onde uma moto com 25 anos paga uma taxa de IUC de 127,80 euros enquanto um automóvel com a mesma cilindrada e a mesma idade paga 18,42 euros e carros a gasolina de 1300 a 1750 cc ou a gasóleo entre os 2000 e os 3000 cc (a maioria do parque automóvel nacional!) pagam 57,73 euros.

Onde está a justiça? Os motociclistas vão marcar presença neste protesto cujos encontros terão lugar em várias cidades, a saber:

PORTO – Avenida dos Aliados

COIMBRA – Parque do Choupalinho (junto ao Exploratório Centro de Ciência Viva)

LISBOA – EXPO (Estacionamento junto à foz do Rio Trancão)

FARO – Estacionamento frente ao Estádio do Algarve

FUNCHAL – Av. Sá Carneiro

PORTO SANTO – Av. Manuel Gregório Pestana Júnior (Praça de Táxis)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *