Morreu o talentoso Joaquim Moutinho

Piloto da cidade Invicta não conseguiu vencer a derradeira etapa do “Rali da Vida”. Travado por doença prolongada, um dos grandes nomes do desporto automóvel partiu e deixou uma legião de fãs e entusiastas destroçados. Que descanse em paz.

Texto: CARLOS SOUSA (carlos.sousa@autolook.pt) – Foto: FÁBIO POÇO / GLOBAL IMAGENS

Um dos melhores pilotos do panorama nacional faleceu. Joaquim Moutinho era uma figura exemplar e um gentleman, tanto nos ralis como na velocidade, mas ainda o era mais com as pessoas e no convívio com os amigos. Conheci Joaquim Moutinho nos ralis, mas foi na “Casa do Alto”, em Arouca, que escutei mil e uma histórias de desporto automóvel.

Uma pessoa de enorme trato que, juntamente com o saudoso Professor Doutor Fernando Peres – personalidade que também dispensa apresentações dentro e fora do Desporto Automóvel que integrou com muito afeiçoamento a Peres Competições e a Federação Portuguesa de Automobilismo e Karting (FPAK), médico-estomatologista, director da Faculdade de Medicina Dentária da Universidade do Porto e professor universitário de renome – tive a honra de ter partilhado momentos de grande emotividade.

Amigo do amigo, Joaquim Moutinho foi, sem margem para qualquer dúvida, um ícone do desporto motorizado, apoderando-se de excelentes resultados desportivos, títulos nacionais e, mais importante que isso, “coleccionando” amigos que o respeitavam e admiravam.

Defendeu as cores da Renault Galp com muita perspicácia e, ao volante de um Renault 5 Turbo, com o qual dividiu com Edgar Fortes, ajudou a “injectar” o desejo junto dos mais joves pelos ralis. Ainda na condição de piloto de excelência, Joaquim Moutinho serpenteou estradas de asfalto e terra batida, bem como na velocidade, aos comandos de Renault GR5, Porsche da Miura Ciprac, Opel Kadett GT/E, Troféu Datsun, entre outros.

Campeão nacional de ralis em 1985 e 1986, Joaquim Moutinho morreu aos 67 anos, após doença prolongada: «Até sempre e obrigado Joaquim Moutinho! É com profunda consternação que a Renault Portugal recebeu a notícia do falecimento de Joaquim Moutinho», pode ler-se numa nota da marca a manifestar a desolação pela morte do seu antigo piloto.

Além de ter conquistado os títulos nacionais de 1985 e 1986, representando a Renault Sport Portugal, Joaquim Moutinho foi ainda o único português a vencer uma prova do campeonato do mundo, o Rali de Portugal de 1986, marcado pelo trágico acidente de Joaquim Santos, no qual morreram três pessoas, tendo ditado o abandono de todos os pilotos que integravam o mundial desse ano.

«Um piloto, mas também um homem extraordinário. O primeiro piloto a defender as cores oficiais da Renault e também o primeiro a conquistar as primeiras vitórias e títulos: 1985 e 1986, ambos com Edgar Fortes como navegador, e ao volante do saudoso Renault 5 Turbo, o “amarelinho” da Renault que tantas emoções e espectáculo proporcionou», conclui a nota da Renault Portugal.

O automobilismo português está este fim-de-semana de luto. À família, e aos amigos, a equipa www.autolook.pt endereça as suas mais sentidas condolências. Que descanse em paz.

Partilhe

Deixe um comentário

avatar
  Inscrever  
Notificação