Montalegre no Portugal Lés-a-Lés Off-Road

Calorosa recepção aos participantes no Portugal Lés-a-Lés Off-Road sem bruxarias mas com bom fumeiro. A aventura das agrestes Terras de Barroso às veraneantes praias algarvias, passando pela Serra da Estrela e as inevitáveis planícies alentejanas…

(auto.look2010@gmail.com)

Uma lista de participantes bem recheada – que esgotaram as inscrições em poucos dias – levou enorme animação a Montalegre, ponto de partida da 6.ª edição do Portugal de Lés-a-Lés Off-Road.

A travessia do mapa nacional através de estradões, caminhos, veredas e trilhos vai começar na terra do bom fumeiro e das famosas noites de bruxaria, rumo à Covilhã, destino depois de 326 quilómetros de subidas e descidas num promissor carrossel serrano. Variedade de pisos é a promessa da organização, que traçou um percurso para todo o tipo de motos e onde as “maxi-trail” estarão particularmente à vontade.

O entusiasmo gerado em redor do evento levado a cabo pela Federação de Motociclismo de Portugal atraiu centenas de motociclistas ávidos de aventura e descoberta, não só portugueses como muitos estrangeiros. Do grande contingente espanhol aos vários ingleses, passando por motociclistas oriundos de França, Bélgica, Alemanha ou Suíça.

Caravana internacional que se prepara para ir até Lagoa, depois da paragem também em Borba, no final da segunda etapa, em percursos fora-de-estrada. Ocasião ímpar para apreciar as mudanças da paisagem lusitana, das agrestes Terras de Barroso às veraneantes praias algarvias, passando pela Serra da Estrela e as inevitáveis planícies alentejanas.

Quase mil quilómetros para cumprir em ritmo de diversão, por motos de todas as cilindradas, das grandes BMW R1200 GS ou KTM Adventure 1290 às pequenas AJP, Macal ou Zundapp, todas de 50 cc, passando pelo grande pelotão de Yamaha Teneré 700 e Honda CRF1100 Africa Twin bem como muitas ligeiras máquinas enduristas.

E com condutores de todos os níveis, incluindo os reformados dakarianos, António Lopes, Bernardo Villar, Miguel Farrajota ou Rodrigo Amaral. Que, apostados apenas em divertir-se com os amigos, continuarão seguramente a mostrar capacidades de condução muito acima da média, tantos nos belíssimos estradões como em algumas passagens mais técnicas ao longo das três etapas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *