Miguel Oliveira quer pontuar sempre em MotoGP

Piloto português, que esteve à conversa com o SAPO Desporto, à margem da apresentação do seu livro “Next Level – 44 curvas até ao MotoGP”, onde falou dos objectivos para a temporada, a primeira na prova-rainha do motociclismo.

(auto.look2010@gmail.com)

«Quero pontuar em quase todas as corridas (do MotoGP). É um objectivo real e concretizável. Estou a apontar para isso», afiançou o piloto de Almada, que deu ainda a conhecer algumas das diferenças em relação ao Moto2.

«É mais desgastante fisicamente, a mota pesa mais, a forma de a conduzir é diferente, tudo se passa a uma velocidade maior… O nível de exigência aumenta bastante», revela. Sobre o livro apresentado esta sexta-feira, no Fórum Almada, Miguel Oliveira mostrou-se «orgulhoso» do produto final: «É fruto de um grande trabalho de várias entidades», disse.

E, afinal, o que é mais difícil: escrever um livro ou conduzir uma moto? «Imagino que seja mais difícil escrever o livro, porque não fui eu que o escrevi, foi a Edite (Dias, jornalista) portanto andar de moto continua a ser mais difícil», respondeu Miguel Oliveira, em tom de brincadeira.

“Next Level – 44 Curvas até ao MotoGP” é uma obra que destaca o caminho do jovem piloto de Almada rumo às grelhas de partida do mundial MotoGP, lançada por Miguel Oliveira esta sexta-feira.

Trata-se de 44 capítulos redigidos pela jornalista Edite Dias, em que o piloto português relata a sua história, os momentos bons e os momentos menos bons na construção do seu caminho até ao topo do motociclismo mundial onde entrou no passado fim‑de‑semana quando arrancou a época 2019 do mundial MotoGP com o piloto luso aos comandos de uma KTM RC16.

Partilhe

Deixe um comentário

avatar
  Inscrever  
Notificação