Miguel Oliveira: “Obrigado pelo apoio tão único”

O português da KTM está “aparentemente bem” após ter sido visto no hospital de Portimão na sequência da queda sofrida esta tarde com o espanhol Iker Lecuona (KTM) durante o Grande Prémio do Algarve de MotoGP.

(auto.look2010@gmail.com)

Na sua conta na rede social instagram, o piloto português da KTM escreveu a agradecer «todo o apoio» que recebeu ao longo do fim-de-semana, que terminou da pior forma, após ser abalroado pelo companheiro de marca durante a 17.ª e penúltima prova do Campeonato do Mundo de Velocidade em motociclismo.

«Obrigado a todos os portugueses pelo apoio tão único que senti este fim-de-semana. O desfecho não foi aquele que queríamos, mas fica na minha memória a presença de todas as bandeiras e todos os aplausos. Passei pelo hospital e aparentemente estou bem. Nos próximos dias ficaremos atentos a mais algum sintoma que possa surgir», escreveu Miguel Oliveira, que saiu da pista em maca até ao centro médico do circuito, antes de ser transportado ao hospital.

A habitual conferência de imprensa do piloto português após o final da corrida foi cancelada pela KTM, cuja assessoria de imprensa assegurou que Miguel Oliveira estava «bem».

Miguel Oliveira sofreu uma queda após um toque do espanhol Iker Lecuona na 23.ª das 25 voltas da corrida disputada hoje no Autódromo Internacional do Algarve (AIA), em Portimão. A organização do campeonato informou que os dois pilotos saíram conscientes do incidente, tendo Oliveira sido transportado para o centro médico do circuito, por precaução.

O acidente foi sinalizado com bandeira vermelha e a interrupção da corrida terminou antecipadamente a corrida, por já terem sido percorridos 75% da prova, vencida pelo italiano Francesco Bagnaia (Ducati).

Também nas redes sociais, Iker Lecuona voltou a pedir desculpa ao piloto de Almada: «Quero pedir desculpas ao Oliveira e à sua equipa. Bati-lhe quando o tentava ultrapassar, mas espero que não tenha nada grave e possamos estar juntos em Valência (na última prova do campeonato»», escreveu o piloto espanhol, que na próxima época vai correr no Mundial de Superbikes, depois de ter perdido o lugar na KTM Tech3.

Iker Lecuona escreveu ainda que o que mais lhe custa «é ter levado (na queda)] um companheiro de marca». «Tinha sido melhor bater noutro. Assim, toda a gente se atira a mim. Já desinstalei as redes sociais no telemóvel, pelo que já não me importo com o que as pessoas digam», concluiu Ika Lecuona, 19.º classificado do Mundial.

Após a corrida de hoje, Miguel Oliveira desceu de 10.º para o 13.º lugar, com 92 pontos, quando falta apenas a realização do GP da Comunidade Valenciana, no próximo domingo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *