Miguel Oliveira irrepreensível com a KTM

Na 11.ª prova do Mundial de MotoGP, Miguel Oliveira arrancou o 8.º lugar na sua melhor corrida do ano. A prova foi ganha pelo italiano Andrea Dovizioso, numa disputa até ao último metro com Marc Márquez.

PEDRO RORIZ (auto.look2010@gmail.com)

O desempenho do português Miguel Oliveira (KTM) ao longo da temporada levou o construtor austríaco uma colocar-lhe nas mãos uma moto oficial no GP da Áustria e o “motard” luso justificou a opção ao terminar em oitavo, a ser o melhor dos pilotos da marca e a subir para o 15.º lugar do “Mundial, naquele que foi o seu melhor fim-de-semana no ano de estreia em MotoGP.

Miguel Oliveira largou de 13.º e, com a excelente corrida efectuada, ultrapassou alguns adversários e aproveitou algumas quedas, uma delas do espanhol Pol Espargaro (KTM), para chegar ao oitavo lugar e ser o melhor dos pilotos da KTM, posição que tem sido ocupada de forma consistente pelo espanhol que se desentendeu, logo na fase inicial, com o inglês Cal Crutchlow (Honda) com ambos a ficarem pelo caminho.

Na frente assistiu-se a um intenso duelo entre os dois primeiros do campeonato, o espanhol Marc Marquez (Honda) e o italiano Andrea Dovizioso (Ducati), com o italiano a conseguir, na derradeira volta, assegurar o triunfo, o segundo do ano, com o francês Fabio Quartararo (Yamaha), que comandou nas primeiras voltas ao aproveitara a confusão vivida na primeira curva, quando o espanhol e o italiano, que partiram das duas primeiras posições, tiveram de alargar a trajectória, para não correrem o risco de um “toque” e de uma eventual queda, e o francês a chegar à primeira posição.

Fabio Quartararo esteve cinco voltas no comando, mas mal foi ultrapassado foi perdendo terreno para os homens da frente e teve de preocupar-se com o ataque do italiano Valentino Rossi (Yamaha), que terminou em quarto.

Tal como sucedera em Moto3, também em Moto2 o vencedor, o sul-africano Brad Binder (KTM), subiu ao lugar mais alto do pódio pela primeira vez este ano e assegurou a vitória da marca da casa.

O sul-africano arrancou bem, assumiu o comando e beneficiou das quedas registadas atrás de si, entre aqueles que tentavam roubar-lhe o comando, para chegar ao triunfo.

Os primeiros a cair, logo nas voltas iniciais, foram o espanhol Xavi Vierge (Kalex) e o japonês Tetsuta Nagashima (Kalex) que deixaram Brad Binder, durante algum tempo, à vontade no comando, mas com o australiano Remy Gardner (Kalex) a aproximar-se.

Mas, a cinco voltas do fim, o australiano não evitou uma queda, quando com os italianos Luca Marini (Kalex) e Enea Bastianini (Kalex) perseguia o sul-africano, com os dois italianos a caírem duas voltas mais tarde, o que permitiu ao espanhol Alex Marquez (Kalex) ser segundo, à frente do seu compatriota Jorge Navarro (Speed Up), e cimentar a posição de comandante do campeonato.

Em Moto3, o italiano Romano Fenati (Honda), que tinha triunfado pela última vez em Motegi, em 2017, regressou às vitórias ao impor-se ao seu compatriota Tony Arbolino (Honda) e ao inglês John McPhee (Honda) que completaram o pódio, com o inglês a conseguir, nos derradeiros metros, impedir que outro italiano Celestino Vietti (KTM), conseguisse colocar uma moto da casa no pódio, monopolizado pelos pilotos da marca nipónica.

Em termos de campeonato, graças ao sexto lugar alcançado, o italiano Lorenzo Dalla Porta (Honda) ascendeu ao comando do campeonato, ao transformar os três pontos de atraso, num ponto de avanço, por o espanhol Aron Canet (KTM), que foi décimo.

CLASSIFICAÇÕES

CORRIDAS

MOTOGP – 1.º, Andrea Dovizioso (Ducati), 28 voltas (120,904 km), em 39’34,771” (183,2 km/h); 2.º, Marc Marquez (Honda), a 0,213”; 3.º, Fabio Quartararo (Yamaha), a 6,117”; 4.º, Valentino Rossi (Yamaha), a 7,719”; 5.º, Maverick Viñales (Yamaha), a 8,674”; 6.º, Alex Rins (Suzuki), a 8,695”; 7.º, Francesco Bagnaia (Ducati), a 16,021”; 8.º, Miguel Oliveira (KTM), a 16,206”; 9.º, Danilo Petrucci (Ducati), a 17,350”; 10.º, Franco Morbidelli (Yamaha), a 20,510”. Classificaram-se mais seis pilotos.

MOTO2 – 1.º, Brad Binder (KTM), 25 voltas (107,95 km), em 37’24,963” (173,1 km/h); 2.º, Alex Marquez (Kalex), a 0,330”; 3.º, Jorge Navarro (Speed Up), a 1,839”; 4.º, Lorenzo Baldassarri (Kalex), a 2,183”; 5.º, Augusto Fernandez (Kalex), a 3,303”; 6.º, Thomas Luthi (Kalex), a 4,645”; 7.º, Jorge Martin (KTM), a 5,200”; 8.º, Iker Lecuona (KTM), a 5,285”; 9.º, Marcel Schrotter (Kalex), a 6,973”; 10.º, Mattia Pasini (Kalex), a 9,428”. Classificaram-se mais 17 pilotos.

MOTO3 – 1.º, Romano Fenati (Honda), 23 voltas (99,314 km), em 37’50,135” (157,4 km/h); 2.º, Tony Arbolino (Honda), a 1,097”; 3.º, John McPhee (Honda), a 1,105”; 4.º, Celestino Vietti (KTM), a 1,120”; 5.º, Marcos Ramirez (Honda), a 6,789”; 6.º, Lorenzo Dalla Porta (Honda), a 7,559”; 7.º, Makar Yurchenko (KTM), a 17,880”; 8.º Jakub Kornfeil (KTM), a 17,902”; 9.º, Niccolò Antonelli (Honda), a 17,936”; 10.º, Aron Canet (KTM), a 18,030”. Classificaram-se mais 17 pilotos

CAMPEONATOS

PILOTOS

MOTOGP – 1.º, Marc Marquez, 230 pontos; 2.º, Andrea Dovizioso, 172; 3.º, Danilo Petrucci, 136; 4.º, Alex Rins, 124; 5.º, Valentino Rossi, 103; 6.º, Maverick Viñales, 102; 7.º, Fábio Quartararo, 92; 8.º, Jack Miller, 86; 9.º, Cal Crutchlow, 78; 10.º, Takaaki Magamami, 62; …; 15.º, Miguel Oliveira, 26. Estão classificados mais 10 pilotos

MOTO2 – 1.º, Alex Marquez, 181 pontos; 2.º, Thomas Luthi, 138; 3.º, Jorge Navarro, 126; 4.º, Augusto Fernandez, 121; 5.º, Lorenzo Baldassarri, 115; 6.º, Marcel Schrotter, 114; 7.º, Brad Binder, 109; 8.º, Luca Marini, 101; 9.º, Enea Bastianini, 74; 10.º, Fabio Di Giannantonio, 59. Estão classificados mais 20 pilotos.

MOTO3 – 1.º, Lorenzo Dalla Porta, 155 pontos; 2.º Aron Canet, 154; 3.º, Toby Arbolino, 113; 4.º, Niccolò Antonelli, 105; 5.º, Marcos Ramirez, 89; 6.º, John McPhee, 84; 7.º, Celestino Vietti, 81; 8.º, Jaume Masia, 78; 9.º, Romano Fenati, 67; 10.º, Jakub Kornfeil, 67. Estão classificados mais 19 pilotos.

CONSTRUTORES

MOTOGP – 1.º, Honda 236 pontos; 2.º, Ducati, 202; 3.º, Yamaha, 179;

4.º, Suzuki, 141; 5.º, KTM, 69; 6.º, Aprilia, 47

MOTO2 – 1.º, Kalex, 270 pontos; 2.º, Speed Up, 148; 3.º, KTM, 119; 4.º, MV Augusta, 15, 5.º, NTS, 8

MOTO3 – 1.º, Honda, 249 pontos; 2.º, KTM, 204

EQUIPAS

MOTOGP – 1.º, Ducati Team, 308 pontos; 2.º, Repsol Honda Team, 259; 3.º, Monster Energy Yamaha, 205; 4.º, Team Suzuki Ecstar, 163; 5.º, Petronas Yamaha SRT, 150; 6.º, LCR Honda, 140; 7.º, Pramac Racing, 110; 8.º, Red Bull KTM Factory Racing, 83; 9.º, Aprilia Racing Team Gresini, 54; 10.º, Red Bull KTM Tech3, 29; 11.º, Real Avintia Racing, 18

MOTO2 – 1.º, Dynavolt Intact GP, 252 pontos; 2.º, Flexbox HP40, 249; 3.º, EG 0,0 Marc VDS, 220; 4.º, Beta Tools Speed Up, 185; 5.º, Red Bull KTM Ajo, 131; 6.º, SKY Racing Team VR46, 129; 7.º, Italtrans Racing Team, 112; 8.º, ONEVOX TKKR SAG Team, 96; 9.º, American Racing KTM, 45; 10.º, Federal Oil Gresini Moto2, 38; 11.º, MV Augusta Idealavoro, 22; 12.º, Tasca Racing Scuderia, 16; 13.º, Idemitsu Honda Team Asia, 11; 14.º, Red Bull KTM Tech3, 10; 15.º, NTS RW Racing GP, 9; 16.º, Petronas Sprinta Racing, 8; 17.º, Sama Qatar Angel Nieto Team, 4; 18.º, Kiefer Racing, 3

MOTO3 – 1.º, Leopard Racing, 244 pontos; 2.º, VNE Snipers, 180; 3.º, Sterilgarda Max Racing Team, 154; 4.º, SIC58 Squadra Corse, 144;

5.º, Bester Capital Dubai, 127; 6.º, Sky Racing Team VR46, 127; 7.º, Petronas Sprinta Racing, 102; 8.º, Honda Team Asia, 111; 9.º, Sama Qatar Angel Nieto Team, 80; 10.º, Redox PruestelGP, 73; 11.º, Kommerling Gresini Moto, 50; 12.º, Estrela Galicia 0.0, 42; 13.º, CIP Green Power, 42; 14.º, Boe Skull Rider Mugen, 30; 15.º, Red Bull KTM Ajo, 4

PRÓXIMA PROVA – GoPro British Grand Prix, dia 25 de Agosto, no Circuito de Silverstone

Partilhe

Deixe um comentário

avatar
  Inscrever  
Notificação