Miguel Oliveira: “Fazer melhor do que em 2020”

O português Miguel Oliveira (KTM) espera «fazer melhor do que em 2020» na edição de 2021 do Mundial de MotoGP, que arranca em 28 de Março, no Qatar, depois de ter vencido duas corridas na temporada anterior.

(auto.look2010@gmail.com)

Na apresentação da equipa KTM para o campeonato deste ano, o piloto português, de 26 anos, considerou que «a pausa de Inverno foi demasiado longa depois de terminar em alta», com uma vitória no Grande Prémio de Portugal, no Autódromo Internacional do Algarve, em Portimão.

Miguel Oliveira compete, este ano, pela equipa oficial da KTM – que mistura esta época o laranja com o preto nas carenagens das suas motos –, depois de nas duas temporadas anteriores ter defendido as cores da Tech3, a equipa satélite do construtor austríaco, pela qual conseguiu duas vitórias, a de Portugal e a do GP da Estíria, na Áustria.

Esta mudança para a equipa de fábrica vai permitir ao piloto almadense «trabalhar mais os detalhes» para tentar ser campeão do mundo: «Para se ser campeão é preciso conjugar muitos detalhes ao mesmo tempo e, para isso, dependendo de como corre a época e do que vai acontecendo, geralmente podemos atingir o sucesso ao longo do projecto», conferiu Miguel Oliveira.

«Numas vezes, um quarto lugar será um resultado muito bom e, noutras, um segundo lugar ficará aquém das nossas expectativas, mas será preciso trabalhar durante o trajecto e, neste momento, como ponto de partida, estou a pensar em conseguir um conjunto de resultados que consideremos de sucesso», disse o piloto de Almada, admitindo que «ser melhor do que em 2020 já é um bom começo».

O piloto português, que terá a companhia do sul-africano Brad Binder, confessou ser «relaxante saber que a moto é capaz de vencer corridas», ressalvando que, ao mesmo tempo, não pode «tomar nada como garantido». «Acho que todos os anos tens de elevar o teu jogo para manter um bom nível neste campeonato», frisou Miguel Oliveira, que tem «plena confiança» no seu trabalho.

Miguel Oliveira terminou a edição de 2020 do Mundial de MotoGP na nona posição, com 125 pontos e duas vitórias somadas, mais uma do que o campeão, o espanhol Joan Mir (Suzuki). Em 2021, o piloto português cumpre a terceira época na classe rainha do Mundial de Velocidade, campeonato em que se estreou em 2011 na classe de 125cc. Desde então conquistou 14 vitórias, seis na categoria de Moto3, seis na de Moto2 e duas em MotoGP.

Na temporada que arranca em 28 de Março, no circuito de Losail, no Qatar, há 19 provas confirmadas, incluindo o GP de Portugal, que volta a realizar-se em Portimão, agora a 18 de Abril.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *