Miguel Oliveira cai e fica fora do acesso à Q2

Piloto português caiu por duas vezes na 3.ª sessão de treinos livres para o Grande Prémio Riviera di Rimini em MotoGP, no traçado italiano de Misano.

PEDRO RORIZ (auto.look2010@gmail.com)

Miguel Oliveira (KTM) sofreu duas quedas na 3.ª sessão de treinos em Misano, que decorreu hoje de manhã. O piloto português começou por cair na curva 8, esta sem grandes consequências para o piloto da equipa Tech 3 da KTM. Porém, nova queda, já perto do fim da sessão, na curva 15, esta bem mais aparatosa, deixou-o algo combalido.

Miguel Oliveira foi prontamente transportado para o posto médico, onde foi assistido, sendo depois descartada a existência de uma lesão impeditiva de competir. Com esta segunda queda, contudo, o piloto de Almada ficou assim impossibilidade de discutir um lugar de acesso à Q2.

A terceira sessão de treinos livres ficou ainda marcada pelas quedas do espanhol Pol Espargaro (KTM), do australiano Jack Miller (Ducati) e do italiano Francesco Bagnaia (Ducati), com o italiano, apesar de ter experimentado a dureza do asfalto do traçado de Misano, a fazer o melhor tempo, à frente do espanhol Maverick Viñales (Yamaha), do francês Fabio Quartararo (Yamaha) e do italiano Franco Morbidelli (Yamaha), com marca dos três diapasões a confirmar a eficácia verificada no passado fim-de-semana.

Em Moto2, 23 dos 29 pilotos que estiveram em acção ficaram separados por menos de um segundo, com o italiano Enea Bastianini (Kalex) a registar o melhor tempo, à frente do inglês Sam Lowes (Kalex) e do seu compatriota Marco Bezzecchi (Kalex), com o espanhol Aron Canet (Speed Up), sétimo, a ser o melhor dos que não tripulam as Kalex.

O italiano Celestino Vietti (KTM) foi o mais rápido em Moto3 e estabeleceu um novo “record” oficioso da categoria, ao rodar em menos meio segundo daquilo que o espanhol Jaume Masia (Honda) havia feito ontem.

O piloto da marca austríaca impôs-se ao japonês Ai Ogura (Honda) e ao seu compatriota Romano Fenati (Husqvarna), com as três primeiras posições a serem ocupadas por motos de três marcas diferentes.

Melhores tempos

MotoGP – Francesco Bagnaia (Ducati), 1’31,127”; Maverick Viñales (Yamaha), 1’31,185”; Fabio Quartararo (Yamaha), 1’31,359”; Franco Morbidelli (Yamaha), 1’31’429”; Joan Mir (Suzuki), 1’31,626”; Valentino Rossi (Yamaha), 1’31,680”; Danilo Petrucci (Ducati), 1’31,701”; Takaaki Nakagami (Honda), 1’31,753”; Jack Miller (Ducati), 1.31,760”; Johann Zarco (Ducati), 1’31,826”; …; Miguel Oliveira (KTM), 1’32,260”. Treinaram mais quatro pilotos

Moto2 – Enea Bastianini (Kalex), 1’35,469; Sam Lowes (Kalex), 1’35,800”; Marco Bezzecchi (Kalex), 1’35,820”; Luca Marini (Kalex), 1’35,825”; Marcel Schrotter (Kalex), 1’35,968”; Nicolò Bulega (Kalex), 1’35,978; Aron Canet (Speed Up), 1’36,019”; Jorge Navarro (Speed Up), 1’36.045”; Jake Dixon (Kalex), 1’36,133”; Augusto Fernandez (Kalex), 1’36,147”. Treinaram mais 19 pilotos

Moto3 – Celestino Vietti (KTM), 1’41,155; Ai Ogura (Honda), 1’41,553”; Romano Fenati (Husqvarna), 1’41,661”; Raul Fernandez (KTM), 1’41,692”; Albert Arenas (KTM), 1’41,695”; Dennis Foggia (Honda), 1’41,762”; Jeremy Alcoba (Honda), 1’41,772”; Andrea Migno (KTM); 1’41,837”; Tatsuki Suzuki (Honda), 1’41,865”; Ayumu Sasaki (KTM), 1’41,913”. Treinaram mais 21 pilotos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

%d bloggers like this: