“Miguel mandou o pai negociar com outras equipas”

O anúncio partiu do diretor da KTM, pronunciando-se sobre a atitude do piloto de Almada. Pit Beirer afirmou que a equipa de fábrica da marca austríaca anunciou Jack Miller como sucessor do piloto português.

(auto.look2010@gmail.com)

O diretor desportivo da KTM, Pit Beirer, deu seguimento à “novela” da saída de Miguel Oliveira da equipa no final do presente ano, Jack Miller a assumir o lugar do português na equipa de fábrica da marca austríaca, ao apontar o dedo à forma como Miguel Oliveira e o seu pai, Paulo Oliveira, lidaram com toda a situação.

«Certamente não encarou isso como um elogio. Ficou desapontado por querermos falar com ele sobre se poderia pilotar outra das nossas equipas e então isolou-se e mandou o pai negociar com outras marcas», explicou Pit Beirer em declarações ao Motorsport-Total.

«Claro que o meu trabalho é negociar com os melhores do paddock que vão ficar livres na próxima época», acrescentou, antes de voltar a debruçar-se sobre Miguel Oliveira: «De acordo com o pai dele, nada está assinado e quer falar connosco. Mas já vimos uma foto suspeita na internet», apontou.

Ainda assim, o homem forte da equipa austríaca deixa elogios ao piloto português: «Ainda estou a interceder pelo Miguel. Venceu quatro Grande Prémios e é uma peça importante do nosso projeto no seu todo. Mas é também alguém muito sensível. Sabemos isso. Tentamos sempre dar-lhe uma base simples que o faça conduzir de forma mais fácil. E quando tudo está alinhado e ele tem um dos seus bons dias, aí é imbatível. Vemos inclinações em curva com a moto e travagens tardias que nunca tínhamos visto», reconhece Pit Beirer.

MIGUEL OLIVEIRA CONFIRMA

CONTACTO COM A GRESINI

O piloto português já tinha confirmado que procura «uma moto que seja capaz de ganhar corridas» na próxima temporada do Mundial de MotoGP, confirmando ter tido uma reunião com a equipa Gresini.

«O meu objetivo é pilotar uma moto competitiva. E esse é o caso da Ducati neste momento. Parece que há um lugar disponível no Team Gresini», disse Miguel Oliveira em declarações ao sítio oficial do MotoGP, confirmando ter tido «um pequeno encontro» com os responsáveis da equipa, para se «conhecerem mutuamente».

O piloto luso sublinhou que «ainda não há nada sério», pelo que mantém «o futuro em aberto». O meu objetivo é pilotar uma moto que seja capaz de vencer corridas», garantiu. Miguel Oliveira disse ainda que espera ter o futuro resolvido «dentro de uma ou duas semanas».

Recorde-se que a KTM, marca à qual está ligado até ao final da temporada, ofereceu ao português um lugar na equipa satélite, a Tech3, a partir de 2023, que Miguel Oliveira recusou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.