Miguel Barbosa mantém posição no Dakar

Cumprido o dia de descanso em Riyadh, na capital da Arábia Saudita, onde a Toyota Hilux T1 Overdrive foi integralmente revista, o início a segunda parte do Rali Dakar foi complicado para o piloto do BP Ultimate Vodafone Team, apoiado pelo Automóvel Club de Portugal (ACP).

(auto.look2010@gmail.com)

A dupla portuguesa Miguel Barbosa e Pedro Velosa enfrentou hoje uma etapa longa que acabou por se mostrar complicada devido aos sucessivos percalços que impediram a formação BP Ultimate Vodafone Team de conseguir obter um resultado de acordo com o andamento que está ao seu alcance. Mantiveram, contudo, a sua posição na classificação geral.

«Mais um dia difícil. Partimos de novo muito lá para trás. Furámos logo ao km7. Muita pedra nessa zona e muitos pilotos a furarem. Na neutralização estivemos a ver a transmissão porque tínhamos ouvido um barulho no início da especial, mas não encontrámos nada de anormal», referiu Miguel Barbosa.

«Infelizmente, a seguir ao Km 200, a transmissão acabou por partir e tivemos de a substituir. Depois voltámos a ter um furo. Foi mais um dia todo no pó dos concorrentes que partiram à nossa frente e também com muito “fesh fesh”. Com tudo isto terminámos o Sector Selectivo já de noite», referiu o piloto do BP Ultimate Vodafone Team.

«Continuamos a resistir, mas hoje poderíamos ter conseguido um pouco melhor. Entrámos com uma toada calma, defensiva para tentar melhorar a nossa posição. Mas está sempre a acontecer algo que nos atrasa», acrescentou o piloto pelo ACP.

A oitava etapa da 44.ª edição do Rali Dakar realiza-se amanhã entre Al Dawadimi e Wadi Ad-Dawasir e conta com um Sector Selectivo de 395 km. As longas ligações e o menu cheio de areia tornam esta jornada ao sul da Arábia Saudita uma daquelas etapas que se prolongam indefinidamente. Os primeiros 200 quilómetros da especial estarão repletos de areia e dunas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *