Miguel Barbosa ganha 13 posições na etapa

Piloto do BP Ultimate Vodafone Team partiu 49.ª posição e realizou o 36.º melhor tempo no final da tirada duríssima e bastante longa.

(auto.look2010@gmail.com)

Na oitava etapa da 44.ª edição do Rali Dakar que se disputou entre Al Dawadimi e Wadi Ad-Dawasir, a mais longa deste Dakar – já que ao Sector Selectivo de 395 km juntaram-se mais 435 km de ligação – Miguel Barbosa e Pedro Velosa vivera finalmente um dia sem contratempos aos comandos da Toyota Hilux T1 Overdrive.

No final do dia, o balanço é extremamente positivo para a dupla BP Ultimate Vodafone Team registou um ganho de 13 posições já que foram a 49.ª equipa a arrancar na competição automóvel, culminando com o 36.º tempo.

«A etapa foi muito longa. Foi um dia de extrema dureza no Dakar. Os primeiros 200 km eram de dunas de nível 2 e 3, muito mais difíceis, a areia também era muito mais quente e mole. Fizemos uma etapa tranquila. A nossa preocupação foi a de não registar problemas porque sabíamos que isso nos iria complicar a vida até porque tínhamos também uma longa ligação no fim, de 260 km, mais de 50 em terra. Passámos por muitos carros acidentados, com problemas mecânicos. Conseguimos fazer uma etapa certinha, correu tudo bem e estamos satisfeitos por isso», referiu Miguel Barbosa, apoiado pelo Automóvel Club de Portugal (ACP).

Esta terça-feira disputa-se a nona etapa, com 287 km cronometrados, em forma de “loop”, com início e fim em Wadi Ad-Dawasir. Por esta altura, a resistência dos concorrentes e das suas máquinas serão um fator decisivo. A presença de montanhas, seguidas de trilhas que serpenteiam pelos desfiladeiros exigirá uma abordagem diferente. Apesar de haver menos areia, esta etapa será ainda difícil, até pela navegação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *