Mesão Frio: corpo são em mente sã…

O concelho de Mesão Frio esteve recentemente no epicentro das emoções dos ralis e, ao mesmo tempo, da tranquilidade, com os seus cenários idílicos. O cenário sumptuoso nas Portas do Douro abriu a passagem para os visitantes descobrirem uma região de beleza natural, sabores, memórias e tradições. Os motores já fazem parte da tradição do concelho de mesão-friense…

CARLOS SOUSA (carlos.sousa@autolook.pt)

Quem o conhece não perde a oportunidade para regressar e, para quem não o conhecia, ficou apaixonado para toda a vida. O concelho de Mesão Frio, conhecido como a Porta do Douro, por ser lá que se encontram os primeiros marcos pombalinos da região vinícola mais antiga do Mundo, a Região Demarcada do Douro, e também, por ser o concelho que se localiza no limite desta região, teve o condão de ser palco da reabertura do Campeonato Norte de Ralis.

Se as paisagens são as principais atracções turísticas do Douro Vinhateiro, a extensa lista de participantes no Rali Município de Mesão Frio foi, sem margem para dúvidas, um motivo adicional para o contacto directo com a natureza e tranquilidade, de mãos dadas com as emoções das máquinas em presença.

Com os motores das viaturas a grunhir pelas estradas asfaltadas de Mesão Frio, limitadas a Oeste por Baião, a Norte e a Leste por Peso da Régua e, a Sul, já na margem esquerda do Douro, por Lamego e Resende, as comunidades locais, que parecem ter parado no tempo onde a vida decorre bem mais devagar, fizeram a festa a cada milímetro de alcatrão percorrido.

Fervorosos simpatizantes de uma modalidade que já ganhou raízes na Porta do Douro, todos, sem excepção, esperam que, brevemente, o Rali Município de Mesão Frio possa fazer parte do calendário das competições nacionais da Federação Portuguesa de Automobilismo e Karting (FPAK).

JOÃO BARROS E PEDRO ALMEIDA ESTIVERAM IMPERIAIS EM MESÃO FRIO

Na prova organizada pelo Clube Automóvel da Régua, estreita parceria com a Câmara Municipal de Mesão Frio, o piloto João Barros, navegado por Jorge Henriques, conduziu o Citroën C3 R5 ao topo da classificação geral, com o tempo total de 33m12,8s, cabendo à dupla Pedro Almeida e Hugo Magalhães levar o Peugeot 208 Rallye 4 ao triunfo no Campeonato Norte de Ralis.

O Rali Municipal de Mesão Frio, no entanto, teve muitos vencedores e conquistadores de pontos, como foi o caso de Lucas Simões e Simplício Gonçalves, em Mitsubishi Lancer Evo IX, que mais pontuaram no que concerne ao Campeonato Norte de Ralis.

O piloto/dentista Fernando Peres é como o vinho do Porto. Quanto mais velho melhor e, na região do Douro Vinhateiro, o piloto portuense revelou que “velhos são os trapos” e, uma vez mais, as suas aptidões ao volante vieram ao de cima.

Na defesa das cores da Peres Competições, o três vezes campeão nacional de ralis – 1994, 1995 e 1996 –, que fez equipa com Filipe Fernandes “Fifé”, levou o Mitsubishi Lancer Evo IX ao terceiro lugar, sem nunca baixar os braços e a deixar um rasto de excelência nas Portas do Douro.

O amarantino Vítor Pascoal, que reparte o Porsche 991 GT3 Cup com Ricardo Faria, foi o segundo mais rápido à geral, a 1m34,2s de João Barros, mas saiu de Mesão Frio com a vitória nas Duas Rodas Motrizes, também à geral. Já Augusto Costa e Susana Silva, aos comandos de um Peugeot 208 R2 encaixaram o maior número d pontos no que diz respeito ao Campeonato Norte de Ralis, nas Duas Rodas Motrizes e, por fim, Hélder Miranda (Seat Ibiza 6K2) levou de vencida entre os concorrentes do Desafio Kumho.

CRISTINA SILVA E ELIANA MONTEIRO ARRASARAM NO FEMININO

A Peres Competições esteve representada em Mesão Frio com uma dupla feminina, não o intuito de contemplar o roteiro turístico de paisagens deslumbrantes s da região com uma esplêndida vista sobre o Douro, mas desbravar terreno e garantir um lugar entre os melhores na prova do Clube Automóvel da Régua.

Cristina Silva e Eliana Monteiro “sobreviveram” a alguns contratempos no decorrer da prova, mas jamais deitaram a toalha ao chão. Ao volante de um Ford Fiesta Ecoboost, a dupla da Peres Competições ficou no lugar mais alto na categoria feminina, representando muito bem todas as mulheres de garra e determinação.

Cristina Silva e Eliana Monteiro nunca deixaram de sorrir mesmo nos momentos de algum apuro, mantendo sempre uma postura digna, inteligente e, por isso, o resultado final não poderia se outro que o triunfo na referida categoria.

Enquanto isso, a prova pontuável para o Campeonato Norte de Ralis esteve longe dos objectivos traçados pelo piloto Filipe Madureira e o navegador Emanuel Gonçalves que apostavam em garantir mais uma pontuação positiva aos comandos de um Ford Sierra Cosworth também com  as cores da Peres Competições. Algumas peripécias ficaram associadas ao piloto do Porto que, mesmo assim, ficou à frente da esposa Cristina Silva.

RODRIGO CORREIA: UM NOVATO

COM ESPÍRITO DE ADULTO

Quem também esteve endiabrado no Rali do Município de Mesão Frio foi Rodrigo Correia, o piloto mais jovem de ralis que, sem dó nem piedade, cimentou a sua posição de novato e, nos testes a que tem sido colocado à prova, a nota tem sido positiva, ou seja, suficiente mais, a roçar o bom. O piloto de apenas 16 anos teve nova oportunidade de efectuar mais de meia centena de quilómetros nas “Portas do Douro” e alcançou mais um período de amadurecimento no processo de aprendizagem.

O seu processo de maturação é feito, basicamente, no interior do Kia Picanto GT Cup, numa função que é coadjuvada por Miguel Paião, numa função que é fazer com que haja o equilíbrio entre aluno e mestre. Na competição desenhada a régua e esquadra no concelho de Mesão Frio pelo Clube Automóvel da Régua, a dupla Rodrigo Correia e Miguel Paião recolheu na região vinhateira uma excelente colheita: 28.º lugar à geral – num universo de quase 80 equipas presentes, em que terminaram 49 –, terceiro na Classe 3 e quarto no Grupo 2.

Por seu turno, Filipe Abrantes e Marco Vilas Boas aceitaram o desafio da JMR Competição em participar no Rali Município de Mesão Frio e alcançaram os objectivos a que se tinham proposto, ou seja, rodar o máximo possível para os desafios que se avizinham na zona Centro. Tratando-se da primeira participação nesta prova, o piloto de Águeda confessou que já está no leque das suas favoritas, muito por culpa das paisagens fantásticas e com um ambiente excelente.

Refira-se que a nona edição do Rali Município de Mesão Frio contou com oito provas especiais, numa extensão total de aproximadamente 60 km, com o piloto/presidente da Câmara Municipal de Mesão Frio, Alberto Pereira, que fez equipa com o irmão Adriano Pereira, foi o primeiro líder da competição.

Ao volante do Mitsubishi Lancer Evo VII, a dupla mesão-friense, mais rápida na especial nocturna de Mesão Frio – Santo André, voltou a destacar-se na manhã do dia seguinte, pulverizando os tempos entre o Campeonato Norte de Ralis, assumindo a liderança até à terceira especial – Vila Marim / Cidadelhe 1 –, na qual sofreu um acidente que a forçou a abandonar.

Este ano, a fasquia do Rali Município de Mesão Frio esteve mais elevada do que nunca, tendo envolvido perto de oito dezenas de equipas inscritas, que fizeram frente às desafiantes classificativas. A espectacularidade do evento atingiu o seu apogeu na presença de aficionados que, apesar da situação pandémica que vivemos, saiu à rua para aplaudir o espectáculo cumprindo as directrizes impostas pela Direcção-Geral de Saúde (DGS) e divulgadas pela município junto às zonas propensas e aglomerados de público.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

%d bloggers like this: