Mercedes um segundo… à frente

O piloto britânico Lewis Hamilton conquistou hoje a 91.ª “pole position” da carreira ao ser o mais rápido na qualificação para o Grande Prémio da Grã-Bretanha de Fórmula 1, quarta prova do mundial, que se disputa em Silverstone.

PEDRO RORIZ (auto.look2010@gmail.com)

Sem surpresa, os Mercedes dominaram, de forma clara, a qualificação, com o inglês Lewis Hamilton (Mercedes) a assegurar a 7.ª “pole” na corrida caseira (2007, 2013, 2015, 2016, 2017, 2018 e 2020), 91.ª da carreira, ao bater o finlandês Valtteri Bottas (Mercedes) por 0,313”.

Mas se a igualdade de andamento dos Mercedes foi patente ao longo da sessão, tendo dominado de forma clara as três partes da qualificação, a concorrência só pode estar preocupado, porque o seu melhor elemento, o holandês Max Verstappen (Red Bull/Honda), ficou a mais de um segundo (!) do tempo do campeão do mundo, o que deixa antever uma luta a dois pelo triunfo e depois um grupo a discutir o derradeiro lugar do pódio.

De assinalar que a Q2 foi interrompida, por Lewis Hamilton, na primeira tentativa, ter feito um pião e deixado a pista de tal maneira suja, que foi necessário limpá-la, com o inglês a ter tempo para assegurar o topo da tabela de tempos, onde se manteve ao longo de toda a Q3.

O monegasco Charles Leclerc (Ferrari) garantiu o quarto posto, à frente do inglês Lando Norris (McLaren/Renault), de novo o mais rápido entre os que utilizam motores da marca do losango, e do canadiano Lance Stroll (Racing Point/Mercedes) que terá perdido a oportunidade de largar da quarta posição, em consequência de uma trajectória mais larga, que o fez ir à escapatória, na segunda tentativa na Q3, o que o fez perder décimos de segundo preciosos.

O espanhol Carlos Sainz (McLaren/Renault), o australiano Daniel Ricciardo (Renault), o francês Esteban Ocon (Renault) e o alemão Sebsatian Vettel (Ferrari) completaram o lote de pilotos que garantiu a presença na Q3.

De assinalar o facto do inglês Alexander Albon (Red Bull/Renault) e do alemão Nico Hulkenberg (Racing Point/Mercedes) terem ficado pela Q2, depois de terem nos treinos livres estarem no lote dos 10 mais rápidos, e do inglês George Russell (Williams-Mercedes) ter conseguido, uma vez mais, passar a Q1, deixando para trás Haas e Alfa-Romeo, numa clara demonstração da evolução dos Williams.

Grelha de partida

Lewis Hamilton  
Mercedes  
1’24,303″  
  Valtteri Bottas
  Mercedes
  1’24,616″
Max Verstappen  
Red Bull/Honda  
1’25,325″  
  Charles Leclerc
  Ferrari
  1’25,427″
Lando Norris  
McLaren/Renault  
1’25,782″  
  Lance Stroll
  Racing Point/Mercedes
  1’25,839″
Carlos Sainz  
McLaren/Renault  
1’25,965″  
  Daniel Ricciardo
  Renault
  1’26,009
Esteban Ocon  
Renault  
1’26,209″  
  Sebastian Vettel
  Ferrari
  1’26,339″
Pierre Gasly  
Alpha Tauri/Honda  
1’26,501″  
  Alexander Albon
  Red Bull/Honda
  1’26,545″
Nico Hulkenberg  
Racing Point/Mercedes  
1’26.566″  
  Danill Kvyat
  Alpha Tauri/Honda
  1’26,744″
George Russell  
Williams/Mercedes  
1’27,092″  
  Kevin Magnussen
  Haas/Ferrari
  1’27,158″
Antonio Giovinazzi  
Alfa Romeo/Ferrari  
1’27,164″  
  Kimi Raikkonen
  Alfa Romeo/Ferrari
  1’27,366″
Romain Grosjean  
Haas/Ferrari  
1’27,643″  
  Nicolas Latifi
  Williams/Renault
  1’27,705″

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

%d bloggers like this: