Mercedes separados por… 0,007 segundos

O finlandês Valtteri Bottas conquistou hoje a “pole position” para o GP de Portugal de Fórmula 1, impedindo Lewis Hamilton, de somar a 100.ª “pole” da carreira, superando o britânico, saindo os dois da primeira linha da grelha de partida da corrida deste domingo.

PEDRO RORIZ (auto.look2010@gmail.com)

A Mercedes, que tinha dominado as sessões treinos livres de ontem, e visto o holandês Max Verstappen (Red Bull/Honda) impôr-se no treino livre desta manhã, regressou ao topo da tabela de tempos e monopolizou a primeira linha com o finlandês Valtteri Bottas (Mercedes) e o inglês Lewis Hamilton (Mercedes) a ficarem separados por 0,007”.

É a 17.ª “pole position” do finlandês que, depois das dificuldades sentidas em Imola, conseguiu um resultado que talvez não fosse esperado, sendo o terceiro piloto a largar da primeira posição, noutras tantas corridas, sucedendo a Max Verstappen (Bahrain) e Lewis Hamilton (Imola).

O holandês Max Verstappen (Red Bull/Honda), que tinha feito a melhor volta na pista, vai largar da terceira posição, por o tempo obtido ter-lhe sido retirado, por ter excedido os limites da pista, tendo a seu lado o mexicano Sérgio Perez (Red Bull/Honda), cada vez mais adaptado ao carro, o que deixa os quatro principais candidatos à vitória nas quatro primeiras posições.

O espanhol Carlos Sainz (Ferrari) foi “o melhor dos outros” e conseguiu superar, pela primeira vez, o seu colega de equipa, o monegasco Charles Leclerc (Ferrari), com o francês Esteban Ocon (Alpine/Renault) e o inglês Lando Norris (McLaren/Mercedes) a colocarem-se entre os dois carros de Maranello, com o francês a confirmar a evolução que a unidade motriz da Renault tem vindo a demonstrar.

O lote de pilotos que chegou à Q3 completou-se com o francês Pierre Gasly (Alpha Tauri/Honda) e o alemão Sebastian Vettel (Aston Martin/Mercedes) que, pela primeira vez, este ano, chegou à Q3. Fica por saber se é o regresso do alemão aos “bons velhos tempos”.

O inglês George Russell (Williams/Mercedes) foi o mais rápido dos que ficaram na Q2 e conseguiu o melhor resultado na qualificação dos Williams, nos últimos anos, com o italiano Antonio Giovinazzi (Alfa Romeo/Ferrari) a colocar-se no lugar seguinte, à frente do espanhol Fernando Alonso (Alpine/Renault), que chegou a dar a sensação de poder chegar à Q3, mas acabou por ficar pela Q2.

Surpresa foi o facto do canadiano Lance Stroll (Aston Martin/Mercedes) e o australiano Daniel Riccardo (McLaren/Mercedes) não terem passado da Q1, a exemplo do que sucedeu, como nas corridas anteriores, o canadiano Nicholas Latifi (Williams/Mercedes), Mick Schumacher (Haas/Ferrari) e o russo Nikita Mazepin (Haas/Ferrari).

GRELHA DE PARTIDA

Valtteri Bottas  
Mercedes W12/Mercedes  
1’18,348″  
  Lewis Hamilton
  Mercedes W12/Mercedes
  1’18,355″
Max Verstappen  
Red Bull 16B/Honda  
1’18,746″  
  Sergio Perez
  Red Bull RB 16B/Honda
  1’18,890″
Carlos Sainz  
Ferrari SF21/Ferrari  
1’19,039″  
  Esteban Ocon
  Alpine A521/Renault
  1’19,042″
Lando Norris  
McLaren MCL35M/Mercedes  
1’19.118″  
  Charles Leclerc
  Ferrari SF21/Ferrari
  1’19,306
Pierre Gasly  
Alpha Tauri AT02/Honda  
1’19,4752  
  Sebastian Vettel
  Aston Martin AMR21/Mercedes
  1’19,659″
George Russell  
Williams FW43B/Mercedes  
1’19,109″  
  Antonio Giovinazzi
  Alfa Romeo C41/Ferrari
  1’19,216″
Fernando Alonso  
Alpine A521/Renault  
1’19,456″  
  Yuki Tsunoda
  Alpha Tauri AT02/Honda
  1’19,463″
Kimi Raikkkonen  
Alfa Romeo C41/Ferrari  
1’19,812″  
  Daniel Riccardo
  McLaren MCL35M/Mercedes
  1’19,839″
Lance Stroll  
Aston MartinAMR21/Mercedes  
1’19,913″  
  Nicola Latifi
  Wiliams FW43B/Mercedes
  1’20,285″
Mick Schumacher  
Haas VF-21/Ferrari  
1’20,452″  
  Nikita Mazepin
  Haas VF-21/Ferrari)
  1’20,912″

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *