Mercedes na 1.ª linha… para não variar

Lewis Hamilton faz a “pole position” para o grande Prémio do Mónaco de Fórmula 1 com novo recorde da pista. A maior surpresa do dia foi a eliminação precoce do Ferrari do monegasco Charles Leclerc.

PEDRO RORIZ (auto.look2010@gmail.com)

Desilusão na Ferrari que, depois de ver o monegasco Charles Leclerc (Ferrari) ser o mais rápido na sessão de treinos da manhã, o que lhe dava alguma esperança de interromper o domínio da Mercedes, “caiu na real” na qualificação, quando o monegasco não passou da Q1 e o o alemão Sebastian Vettel (Ferrari) não foi além do quarto tempo, atrás dos dois Mercedes e do holandês Max Verstappen (Red Bull/Renault)

Na luta pela “pole position”, muito importante num traçado como aquele que está desenhado nas ruas de Monte Carlo, o finlandês Valtteri Bottas (Mercedes) colocou-se no topo da tabela de tempos na primeira tentativa, mas na segunda o inglês Lewis Hamilton (Mercedes) garantiu a segunda “pole” do ano, ao ser mais rápido 0,086” do que o seu colega de equipa.

Face ao sucedido na qualificação, a Mercedes reforça o favoritismo na corrida à vitória, a menos que algo aconteça, o que não é de todo improvável, face à posição de Max Verstappen na grelha, sabendo-se que o holandês é um piloto que gosta de arriscar nos primeiros metros, por vezes com consequências desastrosas, como já sucedeu.

Com Charles Leclerc relegado para o fundo da grelha, o francês Pierre Gasly (Red Bull/Renault) garantiu a quinta posição da grelha, à frente do dinamarquês Kevin Magnussen (Haas/Ferrari), que foi o “melhor dos outros”.

À Q3 chegaram, ainda, o australiano Daniele Ricciardo (Renault), a dar indicação de que a marca do losango pode, finalmente, começar a discutir o comando do segundo pelotão, o russo Daniil Kvyat (Toro Rosso/Honda), o espanhol Carlos Sainz (McLaren/Renault) e o inglês Alexander Albom (Toro Rosso/Renault), que colocou o segundo carro da equipa de Faenza na hora da decisão.

Desilusão para a Alfa Romeo que, depois de ter visto os seus dois pilotos, o finlandês Kimi Raikkkonen e o italiano Antonio Giovinazzi, colocarem-se entre os 10 mais rápidos no treino matinal, os viu serem os mais lentos na Q2, não confirmando as indicações que tinham dado de manhã.

Em dificuldades estão os Racing Point, do mexicano Sergio Perez e do canadiano Lance Stroll, que partilham a penúltima linha da grelha, só à frente dos Williams, do inglês George Russell e do polaco Robert Kubica, que continuam no fundo da grelha.

Grelha de partida (provisória)

Lewis Hamilton
Mercedes
1’10,166″
Valtteri Bottas
Mercedes
1’10,252″
Max Verstappen
Red Bull/Honda
1’10,641″
Sebastian Vettel
Ferrari
1’10,947″
Pierre Gasly
Red Bull/Honda
1’11,041″
Kevin Magnussen
Haas/Ferrari
1’11,109″
Daniel Ricciardo
Renault
1’11,218″
Danill Kvyat
Toro Rosso/Honda
1’11,271″
Carlos Sainz
McLaren/Renault
1’11,417″
Alexander Albon
Toro Rosso/Honda
1’11,653″
Nico Hulkenberg
Renault
1’11,678″
Lando Norris
McLaren/Renault
1’11,724″
Romain Grosjean
Haas/Ferrari
1’12,027″
Kimi Raikkonen
Alfa Romeo/Ferrari
1’12,115″
Antonio Giovinazzi
Alfa Romeo/Ferrari
1’12,185
Charles Leclerc
Ferrari
1’12,149″
Sergio Perez
Racing Point/Mercedes
1’12.233″
Lance Stroll
Racing Point/Mercedes
1’12,846″
George Russell
Williams/Mercedes
1’13,477″
Robert Kubica
Williams/Mercedes
1’13,751″

Partilhe

Deixe um comentário

avatar
  Inscrever  
Notificação