Mercedes garante título de construtores

O piloto britânico Lewis Hamilton venceu hoje o Grande Prémio de Emilia-Romagna de Fórmula 1, chegou às 93 vitórias no Mundial, um novo recorde na modalidade, e garantiu, juntamente com Valtteri Bottas, o sétimo título consecutivo de Construtores para a Mercedes.

PEDRO RORIZ (auto.look2010@gmail.com)

A vitória do inglês Lewis Hamilton (Mercedes) e o segundo lugar do finlandês Valtteri Bottas (Mercedes) que se juntou o nulo da Red Bull, por abandono do holandês Max Verstappen (Red Bull/Honda) e pelo 15.º lugar do inglês Alexander Albon (Red Bull Honda), permitiu à equipa de Barckley garantir a conquista do título de construtores, o que faz pelo sétimo ano consecutivo.

Apesar de ter visto os seus pilotos monopolizarem a primeira linha da grelha, com o finlandês a superar o inglês, a Mercedes viu o holandês, que partiu tal como o homem da “pole” do lado limpo da pista, intrometer-se entre os “Mercedes boys”, situação que se manteve, até à 19.ª volta, altura em que Max Verstappen parou para trocar de pneus.

Para defender a posição do finlandês a Mercedes fez Valtteri Bottas fazer a mesma operação na volta seguinte, o que deixou Lewis Hamilton na frente, posição que nunca mais ninguém ameaçou, com o inglês prolongar a “vida” dos pneus médios, com que tinha arrancado, tal como Valtteri Bottas e Max Verstappen, até à 31.ª volta, altura em que a paragem do francês Esteban Ocon (Renault) fez a direcção da prova recorrer ao “Safety Car” virtual, o que permitiu ao inglês trocar de pneus sem colocar em risco o comando.

Entretanto Valtteri Bottas via o carro perder eficácia, por danos no fundo plano, por ter pisado um corrector, e não resistiu, à 43.ª volta, ao ataque de Max Verstappen que abandonou, oito voltas depois, com o pneu traseiro direito rebentado, o que obrigou à entrada do “Safety Car” e permitiu à Mercedes ter os seus dois pilotos nas duas primeiras posições.

Com a entrada do “Safety Car”, a maior parte dos pilotos foi às “boxes” montar pneus macios para as derradeiras voltas, que proporcionaram lutas intensas pelas posições seguintes, com o australiano Daniel Riccardo (Renault), numa confirmação da evolução que tem revelado, a assegurar o derradeiro lugar do pódio, o que permitiu à marca do losango ascender ao terceiro lugar do campeonato de construtores.

Para o alcançar, o australiano teve de resistir aos ataques do russo Daniel Kvyat (Alpha Tauri/Honda), que conquistou o melhor resultado do ano e compensou a equipa do abandono prematuro (10.ª volta) do francês Pierre Gasly (Alpha Tauri/Honda), que saiu de quarto, mas que viu a unidade motriz apresentar problemas na volta de saída das “boxes”, com a equipa a tentar resolver o problema na grelha de partida, mas sem o conseguir como se veio a constatar.

Com o quinto lugar, o monegasco Charles Leclerc (Ferrari) “salvou a honra” da marca italiana, com o mexicano Sergio Perez (Racing Point/Mercedes), o espanhol Carlos Sainz (McLaren/Renault), o inglês Lando Norris (McLaren/Mercedes), o finlandês Kimi Raikkonen (Alfa Romeo/Ferrari) e o italiano Antonio Giovinazzi (Alfa Romeo/Ferrari) a terminarem nos restantes lugares pontuáveis.

Destaque para os dois Alfa Romeo terem terminado nos pontos e para o facto de Kimi Raikkonen ter chegado ao quarto lugar, já depois do meio da corrida, por ter aguentado os pneus médios mais de 40 voltas, perdendo algumas posições quando parou para os trocar.

FICHA DA PROVA

Grande Prémio – Emirates Gran Premio Dell’Emilia Romagna

Circuito – Autódromo Enzo e Dino Ferrari

Extensão – 309,049 km = 63 x 4,909 km

“Pole position” – Valtteri Bottas (Mercedes W11/Mercedes), 1 volta (4,909 km), em 1’13,609” (240,084 km/h)

Grelha de partida1.ª linha: Valtteri Bottas (Mercedes W10/Mercedes), 1’13,609”; Lewis Hamilton (Mercedes W10/Mercedes), 1’13,706”; 2.ª linha: Max Verstappen (Red Bull RB16/Honda), 1’14,176”; Pierre Gasly (Alpha Tauri AT01/Honda), 1’14,502”; 3.ª linha: Daniel Ricciardo (Renault RS20/Renault), 1’14,520”; Alexander Albon (Red Bull RB16/Honda), 1’14,572”; 4.ª linha: Charles Leclerc (Ferrari SF1000/Ferrari), 1’14,616”; Daniil Kvyat (Alpha Tauri AT01/Honda), 1’14,696”; 5.ª linha: Lando Norris (McLaren MCL35/Renault), 1’14,814”; Carlos Sainz (McLaren MCL35/Renault), 1’14,911”; 6.ª linha: Sergio Perez (Racing Point RP20/Mercedes), 1’15,061”; Esteban Ocon (Renault RS20/Renault), 1’15,201”; 7.ª linha: George Russell (Williams FW43/Mercedes), 1’15,323; Sebastian Vettel (Ferrari SF100/Ferrari), 1’15,385”; 8.ª linha: Lance Stroll (Racing Point RP20/Mercedes), 1’15,494”; Romain Grosjean (Haas VF-20/Ferrari), 1’15,918”; 9.ª linha: Kevin Magnussen (Haas VF-20/Ferrari), 1’15,939”; Kimi Raikkonen (Alfa Romeo C39/Ferrari), 1’15,953”; 10.ª linha: Nicholas Latifi (Williams FW43/Mercedes), 1’15,987”; Antonio Giovinazzi (Alfa Romeo C39/Ferrari), 1’16,208”.

Comandantes sucessivos – Valtteri Bottas, da 1.ª à 19.ª volta; Lewis Hamilton, na 20.ª à 63.ª volta

Volta mais rápida – Lewis Hamilton (Mercedes W11/Mercedes), 1 volta (4,909 km), em, 1’15,484” (234,121 km/h)

Vencedor – Lewis Hamilton (Mercedes W11/Mercedes), 63 voltas (309,049 km), em 1.2832,430” (209,428 km/h)

CLASSIFICAÇÃO

POS. PILOTO CARRO MOTOR TEMPO
1.º Lewis Hamilton Mercedes W11 Mercedes 1.28’32,430″
2.º Valtteri Bottas Mercedes W11 Mercedes a 5,783″
3.º Daniel Ricciardo Renault RS20 Renault a 14,320″
4.º Danill Kvyat Alpha Tauri AT01 Honda a 15,141″
5.º Charles Leclerc Ferrari SF1000 Ferrari a 19,111″
6.º Sergio Perez Racing Point RP20 Mercedes a 19,652″
7.º Carlos Sainz McLaren MCL35 Renault a 20,230″
8.º Lando Norris McLaren MCL35 Renault a 21,131″
9.º Kimi Raikkonen Alfa Romeo C39 Ferrari a 22,224
10.º Antonio Giovinazzi Alfa Romeo C39 Ferrari a 26,398″
11.º Nicholas Latifi Williams FW 43 Mercedes a 27,135″
12.º Sebastian Vettel Ferrari SF1000 Ferrari a 28,453″
13.º Lance Stroll Racing Point RP20 Mercedes a 29,163″
14.º Romain Grosjean Haas VF-20 Ferrari a 32,935″
15.º Alexander Albon Red Bull RB16 Honda a 57,284″

CLASSIFICAÇÕES DOS “MUNDIAIS”

PILOTOS – 1.º, Lewis Hamilton, 282 pontos; 2.º, Valtteri Bottas, 197; 3.º, Max Verstappen, 162; 4.º, Daniel Ricciardo, 95; 5.º, Charles Leclerc, 85; 6.º Sérgio Perez, 82; 7.º, Lando Norris, 69; 8.º, Carlos Sainz, 65; 9.º, Alexander Albon, 64; 10.º, Pierre Gasly, 63; 11.º, Lance Stroll, 57; 12.º, Esteban Ocon, 40; 13.º, Daniil Kvyat, 26; 14.º, Sebastian Vettel, 18; 15.º, Nico Hulkenberg, 10; 16.º, Kimi Raikkonen, 4; 17.º, Antonio Giovinazzi, 4; 18.º, Romain Grosjean, 2; 19.º, Kevin Magnussen, 1

CONSTRUTORES – 1.º, Mercedes-AMG Petronas F1 Team, 479 pontos; 2.º, Aston Martin Red Bull Racing, 226; 3.º, Renault DP World F1 Team, 135; 4.º, McLaren F1 Team, 134; 5.º, BWT Racing Point F1 Team, 134; 6.º, Scuderia Ferrari, 103; 7.º, Scuderia Alpha Tauri Honda, 89; 8.º, Alfa Romeo Racing ORLEN, 8; 9.º, Haas F1 Team, 3

Próxima prova – DHL Turkish Grand Prix, no Intercity Istambul Park, dia 15 de Novembro

SÉTIMO TÍTULO DA MERCEDES

Como consequência de mais um 1-2 e da Red Bull ter ficado em branco, no traçado italiano, a Mercedes somou o sétimo título, igualando o número de ceptros da Lotus, mas tem o mérito de ser a primeira a fazê-lo em sete anos consecutivos, suplantando os seis títulos seguidos da Ferrari (1999 – 2004).

Recordem-se os campeões mundiais de construtores, cuja competição arrancou em 1958.

ANO CONSTRUTORES
1958 Vanwall
1959 Cooper-Climax
1960 Cooper-Climax
1961 Ferrari
1962 BRM
1963 Lotus-Climax
1964 Ferrari
1965 Lotus-Climax
1966 Brabham-Repco
1967 Brabham-Repco
1968 Lotus-Cosworth
1969 Matra-Cosworth
1970 Lotus-Cosworth
1971 Tyrrell-Cosworth
1972 Lotus-Cosworth
1973 Lotus-Cosworth
1974 McLaren-Cosworth
1975 Ferrari
1976 Ferrari
1977 Ferrari
1978 Lotus-Cosworth
1979 Ferrari
1980 Williams-Cosworth
1981 Brabham-Cosworth
1982 Ferrari
1983 Ferrari
1984 McLaren-TAG Porsche Turbo
1985 McLaren-TAG Porsche Turbo
1986 Williams-Honda Turbo
1987 Williams-Honda Turbo
1988 McLaren-Honda Turbo
1989 McLaren-Honda
1990 McLaren-Honda
1991 McLaren-Honda
1992 Williams-Renault
1993 Williams-Renault
1994 Williams-Renault
1995 Benetton-Renault
1996 Williams-Renault
1997 Williams-Renault
1998 McLaren-Mercedes
1999 Ferrari
2000 Ferrari
2001 Ferrari
2002 Ferrari
2003 Ferrari
2004 Ferrari
2005 Renault
2006 Renault
2007 Ferrari
2008 Ferrari
2009 Brawn GP
2010 Red Bull/Renault
2011 Red Bull/Renault
2012 Red Bull/Renault
2013 Red Bull/Renault
2014 Mercedes
2015 Mercedes
2016 Mercedes
2017 Mercedes
2018 Mercedes
2019 Mercedes
2020 Mercedes

Número de títulos conquistados por cada construtor

16 – Ferrari

9 – Williams

8 – McLaren

7 – Lotus, Mercedes

4 – Red Bull

2 – Brabham, Cooper, Renault

1 – Benetton, Brawn GP, BRM, Matra, Tyrell, Vanwall

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

%d bloggers like this: