Mercedes festeja 125 anos com “pole” de Hamilton

Britânico conquistou a 87.ª “pole position” da carreira na Fórmula 1, ao ser o mais rápido na sessão de qualificação para o GP da Alemanha, 11.ª prova do Mundial, com Sebastian Vettel (Ferrari) a sair do último lugar da grelha.

PEDRO RORIZ (auto.look2010@gmail.com)

Se a “pole position” do inglês Lewis Hamilton (Mercedes) não é surpresa, face ao domínio que os carros da marca alemã têm exercido esta temporada, já o facto do alemão Sebastian Vettel (Ferrari) partir da última posição da grelha constitui um rude golpe nas expectativas dos adeptos alemães e da marca italiana, que queriam ver o piloto local vencer em casa, a exemplo do que há 15 dias Lewis Hamilton tinha feito em Inglaterra.

Para a Ferrari, que tinha dominado as três sessões de treinos livres, a frustração é, ainda maior, porque o monegasco Charles Leclerc (Ferrari), que tinha chegado à Q3, foi relegado para a 10.ª posição da grelha, por, exemplo do que colega de equipa, não ter saído das “boxes”.

Um problema de turbo, no carro do alemão, e de pressão de combustível, no carro do monegasco, liquidaram as esperanças, fundamentadas, por aquilo que tinha sido visto nos treinos livres, que a Ferrari tinha de interromper o domínio da Mercedes, que tem tudo a seu favor para vencer em casa.

O inglês Lewis Hamilton assegurou da quarta “pole” da temporada (87.ª da carrera), sendo único a chegar ao segundo “11”, e deixou o holandês Max Verstappen (Red Bull/Honda), que conseguiu intrometer-se entre os dois “Mercedes boys”, a 0,346”, restando esperar que, no momento da partida, Max Verstappen não cometa mais um dos seus “excessos” na ansia de superar o inglês que, partindo na frente e mantendo a posição, tem tudo a seu favor para controlar a corrida e somar mais uma vitória.

A segunda linha é partilhada pelos dois carros das mesmas equipas, com o finlandês Valtteri Bottas (Mercedes) a superar o francês Pierre Gasly (Red Bull/Honda), com a ausência dos Ferrari, na luta pelas melhores posições da grelha de partida, a permitir que nas restantes seis primeiras posições haja carros de seis marcas diferentes.

Numa terceira linha “anormal”, o finlandês Kim Raikkonen (Alfa Romeo/Ferrari) ascendeu à posição de “melhor dos outros”, à frente do francês Romain Grosjean (Haas/Ferrari), havendo a expectativa de ver ser a equipa norte-americana consegue confirmar, em corrida, as boas indicações dadas nas qualificações.

Na “guerra” da Renault, o espanhol Carlos Sainz (McLaren/Renault), sétimo, equipa cliente, levou a melhor sobre o alemão Nico Hulkenberg (Renault), equipa oficial, nono, com o mexicano Sergio Perez (Racing Point/Mercedes) a separar os dois carros que utilizam motores da marca francesa.

A fechar as 10 primeiras posições da grelha o Ferrari de Charles Leclerc que terá, como Sebastian Vettel, de fazer uma corrida de recuperação, o que coloca os pilotos do construtor de Maranello em alta pressão, conscientes que, uma vez mais, a menos que algo de improvável aconteça, a vitória será algo de inalcançável.

GRELHA DE PARTIDA

Lewis Hamilton 
Mercedes 
1’11,767″ 
Max Verstappen 
Red Bull/Honda 
1’12,113 
Valtteri Bottas 
Mercedes 
1’12,129″ 
Pierre Gasly 
Red Bull/Honda 
1’12,522″ 
Kimi Raikkonen 
Alfa Romeo/Ferrari 
1’12,538″ 
Romain Grosjean 
Haas/Ferrari 
1’12,851″ 
Carlos Sainz 
McLaren/Renault 
1’12,897″ 
Sergio Perez 
Racing Point/Mercedes 
1’13,065 
Nico Hulkenberg 
Renault 
1’13,126″ 
Charles Leclerc 
Ferrari 
sem tempos 
Antonio Giovinazzi 
Alfa Romeo/Ferrari 
1’12,786″ 
Kevin Magnussen 
Haas/Ferrari 
1’12,789″ 
Daniel Ricciardo 
Renault 
1’12,799″ 
Danill Kvyat 
Toro Rosso/Honda 
1’13,135″ 
Lance Stroll 
Racing Point/Mercedes 
1’13,450″ 
Lando Norris 
McLaren/Renault 
1’13,333″ 
Alexander Albon 
Toro Rosso/Honda 
1’13,461″ 
George Russell 
Williams/Mercedes 
1’14,721″ 
Robert Kubica 
Williams/Mercedes 
1’14,839″ 
Sebastian Vettel 
Ferrari 
sem tempo 

Partilhe

Deixe um comentário

avatar
  Inscrever  
Notificação