Mercedes favorita em Singapura

Com o Marina Bay Street Circuit a servir de pano de fundo, o inglês Lewis Hamilton e o finlandês Valtteri Bottas surgem em Singapura determinados a “vingar” as vitórias da Ferrari nas duas últimas dias provas de Fórmula 1.

PEDRO RORIZ (auto.look2010@gmail.com)

Se as duas últimas corridas europeias (Spa-Francorchamps e Monza) davam vantagem à Ferrari, com a marca italiana a confirmar esse favoritismo ao vence-las por intermédio do monegasco Charles Leclerc (Ferrari), as ruas da cidade-estado de Singapura, cenário da próxima prova, devem favorecer a Mercedes, com o inglês Lewis Hamilton (Mercedes) a ter de ser apontado como favorito.

Estreado em 2008, o Marina Bay Street Circuit, desenhado no centro da cidade, não tem rectas que permitam à Ferrari explorar a sua superior velocidade de ponta, o que faz com que Charles Leclerc e o alemão Sebastian Vettel (Ferrari) tenham “sofrer”, o que Lewis Hamilton e o finlandês Valtteri Bottas (Mercedes) “sofreram”, nas duas últimas corridas, com a corrida a ter, tal como no Qatar, lugar à noite, para que na Europa seja hora de almoço, o que permite aumentar a audiência.

Cumpridas 11 edições da corrida nas ruas de Singapura, só quatro pilotos venceram com Lewis Hamilton (2009, 2014, 2017 e 2018) e Sebastian Vettel (2011, 2012, 2013 3 2015), apostados em desempatar a igualdade de triunfos (quatro), cabendo os restantes ao espanhol Fernando Alonso (2008 e 2010) e ao alemão Nico Rosberg (2016), com a Mercedes a vencer nos últimos três anos.

E se o alemão e o inglês podem ser apontados como favoritos, não é de descartar a hipótese do monegasco Charles Leclerc (Ferrari), com a moral em alta depois das vitórias nas duas últimas provas (Spa-Francorchamps e Monza), poder continuar no lugar mais alto do pódio e relegar o alemão para segundo plano no seio da equipa italiana.

Resta saber aquilo que o holandês Max Verstappen (Red Bull/Honda) será capaz de fazer, num traçado onde saiu da primeira linha da grelha nos dois últimos anos e qualquer erro é pago com um “toque” no muro, o que pode ser um risco para a sua conhecida fogosidade.

Interessante será, também, a luta no segundo pelotão, com a Renault, após o bom desempenho em Monza, a ter de confirmar a evolução para conseguir superar a McLaren, que utiliza os mesmos motores e que tem dominado entre os “outros”.

Mas o Marina Bay Street Circuit levanta uma dificuldade suplementar aos pilotos por ser corrido em sentido contrário aos ponteiros do relógio, contra o que é habitual, o que podem parecer pouco significativo acaba por afectar, uma vez que as forças a que os pilotos são submetidos são sentidas na direcção oposta.

 

 

CLASSIFICAÇÕES DOS “MUNDIAIS”

PILOTOS – 1.º, Lewis Hamilton, 294 pontos; 2.º, Valtteri Bottas, 221; 3.º, Max Verstappen, 185; 4.º, Charles Leclerc, 182; 5.º, Sebastian Vettel, 169; 6.º, Pierre Gasly, 65; 7.º, Carlos Sainz, 58; 8.º, Daniel Ricciardo, 34; 9.º, Alexander Albon, 34; 10.º, Daniil Kvyat, 33; 11.º, Nico Hulkenberg, 31; 12.º, Kimi Raikkonen, 31; 13.º, Sergio Perez, 27; 14.º, Lando Norris, 25; 15.º, Lance Stroll, 19; 16.º, Kevin Magnussen, 18; 17.º, Romain Grosjean, 8; 18.º, Antonio Giovinazzi, 3; 19.º, Robert Kubica, 1.

CONSTRUTORES – 1.º, Mercedes AMG Petronas Motorsport, 505 pontos; 2.º, Scuderia Ferrari, 351; 3.º, Aston Martin Red Bull Racing, 266; 4.º, McLaren F1 Team, 83; 5.º, Renault F1 Team, 65; 6.º, Red Bull Toro Rosso Honda, 51; 7.º, SportPesa Racing Point F1 Team, 46; 8.º, Alfa Romeo Racing, 34; 9.º, Rich Energy Haas F1 Team, 26; 10.º, ROKiT Williams Racing, 1.

Partilhe

Deixe um comentário

avatar
  Inscrever  
Notificação